16/04/2019 às 09h00min - Atualizada em 16/04/2019 às 09h00min

Passarela sobre a BR-365 gera questionamentos em Uberlândia

Moradores do bairro Taiaman não entendem motivo de estrutura ter sido priorizada

VINÍCIUS LEMOS
Passarela fica localizada no bairro Tocantins e começou a ser construída em janeiro (Vinícius Lemos)
A construção de uma passarela sobre a BR-365, ao lado do bairro Tocantins, na zona oeste de Uberlândia, chamou a atenção de moradores do bairro Taiaman, que aguardam há anos a construção de uma trincheira para transpor a rodovia. O estranhamento se deve ao fato que a estrutura foi erguida em um ponto menos movimentado e com menos população que o do Taiaman, cujos moradores já fizeram vários protestos solicitando o início da obra viária. Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), a passarela, no entanto, estaria prevista desde 2010 e seria construída ao mesmo tempo que a trincheira, caso as obras da BR-365 não tivessem passado por uma série de atrasos.

Iniciada em janeiro, a construção da passarela tem previsão de término até o fim do mês de maio ao custo de R$ 1,5 milhão, aproximadamente, de acordo com o Dnit. Na atual fase da construção, a estrutura está pronta, faltando o piso, a cobertura e os acessos ao chão. A obra é construída no KM 629 da BR-365, na altura da rua Dr. Manoel Tomás Teixeira de Souza, no Tocantins. Do lado oposto, está uma invasão de sem-teto, que há cerca de 5 anos ocupa uma área entre a BR-365 e o anel viário de Uberlândia. “Isso eu não entendo, a gente pede a trincheira no Taiaman há tanto tempo e não tem, mas a invasão, que é irregular, ganha a passarela? Para a gente, uma passarela [no Taiaman] já ajudaria atravessar para o Dona Zulmira, Jardim Patrícia”, disse o morador Vicente Adair Santos.

Segundo informado pelo Dnit, a passarela é uma das passagens que foram licitadas no mesmo contrato para obras de arte no município de Monte Alegre de Minas, ainda na época da duplicação da BR-365, as quais estavam paradas há quase 9 anos e foram retomadas em meados de 2018. O contrato é diferente das obras de duplicação da rodovia e tinha a obra extra prevista para Uberlândia devido a demandas de moradores de áreas próximas ao anel viário que precisavam se deslocar ao bairro Tocantins.

Morador de uma área próxima ao bairro Jardim Patrícia, João Carlos Vieira da Silva afirmou que a passarela vai ajudar na travessia da BR-365, no sentido Tocantins, trecho por onde ele passa há 17 anos, quando se mudou para Uberlândia. “Já falaram que pode ter um loteamento próximo a essa área que está invadida, aí vai ter até mais gente para atravessar”, disse.

A menos de 500 metros do KM 629, está localizado o setor de chácaras Parque Maravilha. No local, o acesso mais rápido a bairros como Tocantins e Guarani é feito por vias sem pavimentação que cortam a invasão e chegam à rodovia ao lado da passarela.

ESPERA

A demora para uma solução à população do bairro Taiaman faz com que Vicente Adair Santos se sinta preterido pelo Dnit. “A gente vê a população fazer manifestação, político vir até aqui falar que agora sai a obra, mas o que a gente vê acontecer é uma passarela em um local com muito menos movimento”, disse. De acordo com o Dnit, não haverá necessidade de uma passarela comum no Taiaman, pois a obra a ser feita contempla passagem de pedestres.

Em outubro de 2018, o Governo Federal liberou uma verba de R$ 22 milhões para a construção da trincheira. O valor é compatível com o orçado para a construção, que é aguardada desde 2013, quando houve o primeiro anúncio. Em julho de 2018, houve uma nova ordem de serviço, mas o trabalho ainda não começou. O projeto está sob revisão.

Questionado, o Dnit não informou a previsão de início da obra da trincheira no bairro.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »