10/04/2019 às 08h00min - Atualizada em 10/04/2019 às 08h00min

Queen B nos bastidores de Coachella histórico

"Homecoming - A film by Beyoncé" estará disponível no Netflix a partir do dia 17 de abril

FOLHAPRESS
Foto: Netflix/Divulgação
A Netflix divulgou o trailer do documentário " Homecoming – A film by Beyoncé", que mostra os bastidores da apresentação de Beyoncé no festival Coachella no ano passado. A produção, que vinha sendo mantida em segredo, estará disponível na plataforma a partir do dia 17 de abril. Segundo a sinopse, o documentário "intimista" mostra "a jornada emocional de um conceito criativo que se transforma em movimento cultural".

O trailer começa com imagens dos bastidores e do show enquanto é possível ouvir trechos de um depoimento da poeta, jornalista e ativista americana Maya Angelou, que lutou pela igualdade racial nos Estados Unidos. "O que quero fazer de verdade é ser uma representante da minha raça. Da raça humana. Tenho uma chance de mostrar que podemos ser gentis. Que podemos ser sábios e generosos. Tenho uma chance de ensinar, de amar, de rir... Sei que, quando eu terminar o que fui destinada a fazer, partirei deste mundo. E partirei sem medo ou receios. Eu me pergunto o que acontecerá, mas... ".

Em seguida, o entrevistador pergunta: "Qual conselho você daria para esta geração". Angelou responde: "Conte a verdade. Primeiro para si mesmo. E para as crianças".

Na sequência, são mostradas imagens e músicas da apresentação. O trailer tem também rápidas aparições dos filhos de Beyoncé e Jay-Z: Blue Ivy, 7, e os gêmeos Rumi e Sir, um ano e oito meses. Beyoncé foi a primeira mulher negra a abrir o Coachella, um dos festivais de música mais importantes do mundo e que costuma ser realizado em abril na Califórnia. A apresentação da cantora teve tom político.

Ela fez um show com várias referências a movimento negros, como o Pantera Negra, além de citar trechos do discurso do líder ativista Malcolm X. Também destacou o empoderamento feminino ao citar a escritora feminista nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie e homenagear à cantora Nina Simone, uma das maiores divas da história da música e ativista dos direitos civis dos negros norte-americanos.

Além disso, a apresentação teve participações especiais importante, como Kelly Rowland e Michelle Williams, com quem Beyoncé formou, até 2005, o grupo Destiny's Child. Elas cantaram os hits "Lose my breath", "Say my name" e "Soldier". O show teve, ainda, presenças familiares: o marido Jay-Z fez dueto com Beyoncé em "Déjà vu" e sua irmã Solange Knowles entrou com tudo em "Get me bodied", dançada em sintonia pelas duas estrelas, que ainda cantaram "Single Ladies".

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »