17/01/2019 às 07h51min - Atualizada em 17/01/2019 às 07h51min

Custo para ter uma arma é de R$ 2,4 mil

Além de documentos e 8 certidões, é preciso fazer teste prático e exames

NÚBIA MOTA E MARIELY DALMÔNICA
Luciane disse que principais clientes em Uberlândia são produtores rurais e vigilantes | Foto: Núbia Mota
 Antes mesmo do presidente Jair Bolsonaro assinar o decreto que facilita a posse de armas no Brasil, cumprindo assim uma de suas principais promessas de campanha, os cidadãos comuns de Uberlândia já buscavam informações sobre o direito de andar armado. Mas, apesar da flexibilização das regras, ter uma arma em casa não é tão fácil assim. Na cidade, apenas uma loja é credenciada para vender armas por encomenda. Para a compra, é preciso providenciar uma série de documentos pessoais e oito certidões negativas, fazer teste de tiro, exame psicológico e ter o processo aprovado pela Polícia Federal (PF). Só nesses procedimentos, os gastos chegam a cerca de R$ 600, além, é claro, de precisar desembolsar de R$ 1.800 mil a R$ 30 mil para encomendar e comprar as armas de calibre permitido.

De acordo com Luciane Vanni, proprietária da loja de produtos de camping, pesca e caça, que comercializa armas por encomenda há 50 anos, os principais clientes em Uberlândia para esse tipo de produto são produtores rurais e vigilantes. A maioria são homens, mas algumas mulheres, assim como ela, também têm posse de arma.

“Com as novas mudanças, o [cidadão] civil já começou a procurar por armas porque está sentindo necessidade, pois estamos a mercê de pessoas de má fé”, afirmou Luciane. A empresária também monta todo o processo para se retirar a posse de arma, desde a protocolização dos documentos junto à PF até o acompanhamento do pedido.
 
PROCESSO
 
Em Uberlândia, existem cinco Instrutores de Armamento e Tiro (IAT) e um psicólogo responsável por avaliar o potencial cliente. Só com o aval desses profissionais, junto aos documentos pessoais e oito certidões de nada consta em oito esferas cível e criminal, o processo pode ser levado à Delegacia da Polícia Federal para ser analisado. Se for deferido, o registro é levado à loja de armamento e só assim a arma é encomendada, já que a proprietária, por medida de segurança, não mantém nada em estoque.

Segundo o instrutor de tiro Alessandro Zanon, quem deseja possuir uma arma deve ter no mínimo 25 anos, não pode possuir antecedentes criminais e deve demonstrar aptidão técnica e psicológica com qualquer instrutor credenciado. Não existe a obrigatoriedade de fazer um curso. Durante o processo, uma prova escrita de conhecimentos é aplicada antes da prova prática. Nesta avaliação, são abordadas normas de segurança e manuseio. “A gente orienta que a pessoa leia a cartilha de armamento e tiro que está disponível no site da Polícia Federal”, afirmou Alessandro.

A prova prática varia dependendo da arma e as capacidades técnicas são avaliadas pelo instrutor. “Uma prova com revólver ou pistola é feita com 20 disparos, dez a cinco metros e 10 a sete metros, e o aproveitamento é de 70%”, disse o instrutor de tiro. O valor médio do teste é de R$ 240, e segundo Alessandro, quem não tem nenhuma noção de tiro recomenda-se procurar um instrutor para fazer um curso antes das provas.
 
PARA TIRAR A POSSE DE ARMA É NECESSÁRIO: 
- 1 foto 3x4
- RG, CPF e Título de Eleitor autenticados em cartório
- Os 3 últimos comprovantes de profissão
- O comprovante mais recente de residência
- Nada consta nas esferas criminal e cível disponíveis no Fórum
- Curso de tiro
- Exame psicológico
Total de gastos: R$ 350
 
ARMAS DE CALIBRE PERMITIDO AO CIDADÃO COMUM

Armas de cano curto:

- Revólver calibres 22, 32 e 38
- Pistola calibre 380
 
Armas de cano longo:
- Rifle calibre 22
- Carabina calibre 38
- Espingarda calibres 12, 20, 28, 32 e 36
 
Valores das armas: de R$ 1.800 a R$ 30 mil
Valor do teste de tiro: R$ 240
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »