06/01/2019 às 08h02min - Atualizada em 06/01/2019 às 08h02min

Obras da UFU terão sequência em 2019

Construção do pronto socorro pode ser retomada até meados do ano, segundo pró-reitor de Planejamento e Administração

MARIELY DALMÔNICA
Darizon de Andrade disse neste ano mais um curso será transferido para o campus Glória | Foto: Mariely Dalmônica
As obras da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) nos campi de Patos de Minas, Ituiutaba e Glória, em Uberlândia, que iniciaram em 2014, seguirão em andamento em 2019. Dos R$ 1,067 bilhão do orçamento da instituição previsto para este ano, R$ 6 milhões serão destinados para as obras do campus de Patos de Minas e R$ 4 milhões para o campus de Ituiutaba. Um bloco para pesquisa está sendo construído no campus Glória, em Uberlândia, mas com recursos de anos anteriores. 

A principal obra da UFU é o novo pronto socorro do Hospital de Clínicas (HC), que está parada desde 2016 e poderá ser retomada ainda neste ano. Segundo o pró-reitor de Planejamento e Administração, Darizon de Andrade, a empresa que havia iniciado a obra deve permanecer com o contrato. “Estamos caminhando para um acordo entre a UFU e a empresa. Ele está nos acertos finais”, disse.

No início de 2018, a UFU chegou a anular unilateralmente o contrato com a empresa, que tem sede no Rio de Janeiro. O principal argumento foi justamente a paralisação das obras por quase dois anos. A empresa chegou a recorrer e o caso foi judicializado pela Justiça Federal carioca. Agora, um novo acordo pode acabar com o impasse e evitar uma nova licitação, o que também demandaria mais tempo para a retomada das obras.
 
Outras obras
 
Atualmente, os estudantes de Patos de Minas estão em prédios alugados ou cedidos pela prefeitura. Em Ituiutaba, parte das aulas é ministrada em prédios que também não pertencem à universidade.

“Teremos um ano movimentado nas obras, a maior necessidade que tenho é Patos de Minas. Ituiutaba é a segunda grande demanda, mesmo com instalações concluídas, temos um número maior de cursos”, afirmou o pró-reitor de Planejamento e Administração. 

O dinheiro disponibilizado para a continuidade das obras ainda é insuficiente para que elas sejam finalizadas neste ano, mas segundo Darizon nenhuma outra obra será iniciada durante em 2019. “Porque além disso, tenho que mobiliar o prédio, tenho que colocar material de escritório e de informática quando eu termino uma obra. Aumenta a despesa de custeio, passo a ter que pagar limpeza, vigilância e manutenção da nova instalação”, disse o pró-reitor de Planejamento e Administração. 

No ano passado, um bloco do campus Umuarama, em Uberlândia, e a obra de Monte Carmelo, que havia sido paralisada em julho de 2017 por falta de dinheiro, foram entregues. 

Neste ano, mais um curso será transferido para o campus Glória. Segundo Darizon, os estudantes de engenharia mecânica terão as atividades ministradas no local até o início do segundo semestre.  
 
ORÇAMENTO 
 
O orçamento previsto cresceu 4,7% e a UFU terá um total de R$ 1,067 bilhão para administrar em 2019. Cerca de 85% dos repasses estão vinculados às despesas com pessoal e encargos trabalhistas, como no último ano. Os valores ainda não foram sancionados, mas a Lei Orçamentária Anual deve ser aprovada até meados de janeiro, segundo o pró-reitor de Planejamento e Administração.

Este aumento no valor é considerado natural e segue as necessidades da UFU, mas não é suficiente para manter a instituição durante todo o ano, de acordo com Darizon. “Temos grandes contratos e devemos fazer reajustes legais. Esse valor sempre é maior que meu reajuste de orçamento. 

Segundo o pró-reitor explicou, os cálculos de custeio e investimento são feitos separadamente. “Estamos aguardando o detalhamento do orçamento, mas chegamos muito bem no fim de 2018. A expectativa é que o novo ano seja normal”, afirmou. 
 
SAÚDE
Orçamento do HC caiu 1,5% em relação a 2018
 
Diferente da universidade, o orçamento previsto para o Hospital de Clínicas da UFU caiu de R$ 321,1 milhões para R$ 316 milhões, e a maior parte também está comprometida com a folha de pagamento. Da quantia a ser repassada à unidade médica e de ensino, 85% estão vinculados à despesa de pessoal e encargos sociais.
 
O valor também será detalhado após a aprovação e a publicação no Diário Oficial da União, mas segundo o pró-reitor, o HC fechou o ano bem e está abastecido de medicamentos. 

No início do ano passado, o pró-reitor de Planejamento e Administração também afirmou que o hospital havia começado o ano em condições mais favoráveis que em 2017 e sem dívidas com fornecedores.
 
OBRAS ORÇAMENTO PREVISTO PARA 2019
Patos de Minas R$ 6 milhões 
Ituiutaba R$ 4 milhões
Glória Uberlândia ainda sem recursos para este ano

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »