08/12/2018 às 08h48min - Atualizada em 08/12/2018 às 08h48min

Paixão que não tem fim

Multishow exibe episódios inéditos das séries 'Chaves' e 'Chapolin'

FOLHAPRESS
Além de boxeador, toureiro e vendedor de produtos usados, de bombinhas para festas e churros, Seu Madruga teve uma outra profissão: artista de ioiô. Quem assistir ao episódio deste sábado (8), às 23h15, de "Chaves" no canal Multishow, poderá ver suas habilidades com o brinquedo.
Trata-se de um dos 112 episódios que o canal obteve e que não foram exibidos pelo SBT, emissora que consagrou os personagens do mexicano Roberto Gómez Bolaños (1929-2014), desde agosto de 1984. Nesses 34 anos em que o "Chaves" é reprisado exaustivamente no Brasil, por incrível que pareça, há episódios que a emissora de Silvio Santos nunca exibiu. São inéditos no país.

O Multishow se dedica a colocar no ar essas raridades desde maio. Um dos pedidos dos fãs era que, no canal pago, os episódios fossem exibidos na ordem original, o que o SBT nunca fez -alguns podem até ter se perdido em uma enchente que atingiu o SBT, então na Vila Guilherme, na zona norte de São Paulo, em março de 1991. Como a produção do Multishow, fez um levantamento da sequência certa, foi mais fácil achar quais episódios não haviam sido mostrados pelo SBT.

"Fizemos uma pesquisa sobre a exibição das séries no Brasil e em outros lugares, trabalhamos em parceria com a Televisa [emissora mexicana que produziu as atrações] e com os maiores fã-clubes do país", diz Bruna Demaison, gerente de programação e conteúdo do Multishow.
Alguns fãs fervorosos de "Chaves" e "Chapolin" pesquisaram eles mesmos a respeito de quais e quantos episódios dos seriados foram produzidos pela Televisa.

Um dos que ajudaram na pesquisa foi o ator e dublador Gustavo Berriel. Ele acompanhou o processo de mudança dos seriados do SBT para o Multishow e se tornou o tradutor dos inéditos. "É um trabalho específico, não era só questão de passar para o português. Precisei ser fiel à linguagem dos anos 1980 e ninguém poderia falar uma gíria atual", conta. Berriel também é o responsável pela voz do Seu Barriga (Édgar Vivar). Vale lembrar que os capítulos exibidos pelo SBT mantiveram as dublagens conhecidas.

Outro fã que ajudou na descoberta foi Antonio Purcino, do Forum Chaves, um dos maiores fã-clubes do seriado. "Nós nos manifestamos há anos para que o SBT exibisse os episódios, mas eles nunca fizeram nada. O Multishow passou na frente."

Busca
Dublador estima que 80 obras ainda estejam perdidas

Há ainda uma série de histórias de "Chaves" e de "Chapolin" para ser descoberta. Existem episódios que foram gravados e que se perderam na bagunça dos arquivos das emissoras que o exibiram: SBT e Televisa. E não são poucos. Gustavo Berriel, dublador e tradutor dos seriados, estima cerca de 80 episódios estão desaparecidos. "O Multishow está indo atrás deles, e os fãs também estão fazendo um trabalho importante. Na verdade, nem os mexicanos sabem direito sobre essas histórias", conta Berriel.

Chamados de "mundialmente perdidos", esses episódios foram "descobertos" pelos amantes dos seriados, com a ajuda de uma edição antiga do "Tele Guía", revista que registra a programação televisiva do México.

Entre esses episódios, está o final da série "Os Piratas", do "Chapolin", que tem apenas os capítulos iniciais conhecidos. Neles, o herói vermelho ainda teria enfrentado o ditador alemão Adolf Hitler (1889-1945).

"Chaves" também tem as suas surpresas. Em um desses episódios, todas as crianças da vila acham que Dona Clotilde, a Bruxa do 71, transformou Chaves em um papagaio que foi parar na casa do Quico. Em outra história, Seu Madruga se vê às voltas com goteiras em sua casa: algo semelhante ao que já aconteceu na casa de Dona Florinda.

Talento
Humor feito com poucos recursos


"O Chaves é um personagem que precisa ser colocado no patamar dos palhaços famosos do mundo. Era um palhaço melancólico, sem pintura no rosto e que fazia um humor com poucos recursos", avalia Fernanda Maia, responsável pelo texto do musical que será montado no ano que vem sobre o seriado mexicano.

A peça fará tanto referências a episódios conhecidos quanto a novas histórias. As músicas de que os fãs gostam estarão lá, bem como as composições inéditas.

"Não compensa levar ao teatro o que já foi feito na televisão, mas também não podemos trair a memória afetiva das pessoas", completa Fernanda. "Será um tributo ao Roberto Gomez Bolaños. Queremos contar como ele conseguiu criar essa multidão de personagens", afirma a produtora Adriana Del Claro.

Ela diz que conta com o apoio dos herdeiros do artista. "Eles já nos mostraram parte do acervo e será possível mostrar algumas peças inéditas", completa. A ideia é que, no teatro em que o musical estiver em cartaz, exista um espaço que reproduza os cenários do seriado. "O público poderá sentir a experiência de se sentir na vila." "Chaves" e "Chapolin" são exibidos diariamente no Multishow, às 23h15.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »