23/10/2018 às 08h19min - Atualizada em 23/10/2018 às 08h19min

Hemocentro mobiliza doadores pelo WhatsApp

Fenotipados são acionados para ajudar pacientes que têm a mesma compatibilidade sanguínea

CAROLINA PORTILHO
Em caso de transfusão são selecionados os doadores que têm a mesma compatibilidade sanguínea | Foto: Rodrigo Nunes/MS
“Temos um pedido de doação muito especial para você hoje! Tem um paciente precisando de uma bolsa de sangue e tem que ser o seu! Nenhum dos que temos em estoque é compatível. Acontece que você tem os mesmos fenótipos que esse paciente”. Bastou receber essa mensagem no WhatsApp para o professor Ricardo de Oliveira, 37 anos, agendar um horário no Hemocentro de Uberlândia, que conhece muito bem não só o tipo/fator sanguíneo dele, mas outras características genéticas do seu sangue.

Os chamados doadores fenotipados costumam atender chamados de diversos pacientes que precisam receber sangue com total compatibilidade. Nem sempre são casos de doenças graves, mas independente da situação o pedido precisa ser atendido o quanto antes. Ricardo é doador de sangue há 15 anos e disse que essa foi sua primeira experiência como doador fenotipado, atendendo a um paciente que necessitava exclusivamente do seu sangue.

“Quando recebi a mensagem no WhatsApp pensei que poderia ser mentira. Liguei na hora no Hemocentro e eles confirmaram a veracidade da informação. Agendei meu horário para o outro dia, bem cedo, até faltei do trabalho. Apesar do anonimato do paciente, me sinto feliz em saber que estou ajudando o próximo. Já me sinto realizado doando sangue normalmente, mas saber que meu sangue ajudou uma pessoa específica é gratificante”, disse o professor.

Encontrar doador de sangue com o mesmo tipo sanguíneo não é tão difícil, mas com outras características, que são os fenótipos, que evitam rejeição, pode se tornar uma batalha. O hematologista e gerente técnico do Hemocentro de Uberlândia, Adilson Botelho Filho, conta que é comum acionar doadores compatíveis com pacientes que precisam de sangue raro. Segundo ele, são acionados entre 10 e 12 por semana.

“Nem sempre são para atender pacientes com doenças graves ou específicas. O que precisa ficar claro é que quando os doadores desse perfil são acionados, eles precisam atender o chamado o quanto antes, pois há casos em que a pessoa fica aguardando uma bolsa compatível por semanas”.

Adilson explica que existem vários grupos de antígenos de hemácias, sendo o "sistema ABO" o mais conhecido. Em termos de antígenos presentes na superfície das hemácias, as pessoas podem ser do tipo A (que só apresentam o antígeno A), do tipo B (só apresentam antígeno B), tipo AB (apresentam antígenos A e B) e do tipo O (não apresentam o antígeno A nem o B). Os pacientes fenotipados são caracterizados pela ausência de algum antígeno e quando é necessária qualquer transfusão de sangue são selecionados os doadores que têm a mesma compatibilidade sanguínea.

“Temos o histórico dos doadores, como o tipo e fator sanguíneo e as características genéticas do sangue, o que possibilita essa fenotipagem, ou seja, conseguimos assegurar que o paciente receba um sangue com total compatibilidade. Quando acionamos esses doadores específicos, a grande maioria comparece por entenderam a importância do procedimento. Mesmo quando desconhecem do que se trata, eles atendem as solicitações”.

Além do WhatsApp, método implementado há uns dois anos, o Hemocentro de Uberlândia também aciona os doadores fenotipados por telefone. Assim que acionado, o doador terá atendimento prioritário e agilizado por ser uma doação específica. A unidade funciona na avenida Levino de Souza, 1845, bairro Umuarama, de segunda a sexta-feira, das 7h às 11h30, e segunda e quarta das 14h às 17h.

CRITÉRIOS PARA DOAR SANGUE
 
  • O candidato deverá estar alimentado
  • Apresentar documento original e oficial com foto
  • Condições plenas de saúde
  • Ter entre 16 e 69 anos
  • Mulheres podem doar sangue com um intervalo de 90 dias entre uma doação de sangue total e outra, até no máximo três vezes em um período de 12 meses
  • Homens podem doar sangue com um intervalo de 60 dias entre uma doação de sangue total e outra, até no máximo quatro vezes por ano
  • Pesar acima de 50 quilos
  • Ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »