18/10/2018 às 09h12min - Atualizada em 18/10/2018 às 09h12min

PSDB terá de ver onde errou, diz Anastasia

FOLHAPRESS
Tucano diz que partido não precisa fazer 'mea culpa' | Foto: Divulgação
O senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), que concorre ao governo de Minas Gerais no segundo turno, afirmou que houve um "cataclismo" nessas eleições e que o partido terá que fazer uma revisão sobre onde errou. O presidenciável tucano, Geraldo Alckmin, terminou a disputa com 4,76% dos votos válidos, o pior resultado do partido numa eleição presidencial. A crise na sigla se evidenciou na semana passada, com expulsões e saídas de tucanos e, principalmente, com uma briga entre João Doria (PSDB), candidato ao governo em São Paulo, e Alckmin.

"O que o PSDB vai ter que fazer, e na reunião da direção ficou decidido, é que, terminadas as eleições, teremos que fazer uma revisão. Onde o partido errou? Se errou, não errou... Qual vai ser a nova plataforma? Qual vai ser o nosso posicionamento diante do novo quadro político", disse Anastasia.

O tucano, porém, afirmou que não há crise no partido e que não se trata de um mea culpa. "Não vou dizer mea culpa. O que temos é o seguinte: perdemos as eleições. Isso é um dado indiscutível. Vamos ter que discutir por que perdemos. Por que o eleitorado brasileiro, ao contrário do passado, não confiou mais no PSDB."

Segundo Anastasia, houve "um cataclismo, um maremoto" que afetou os partidos de modo geral. "O partido sofreu um revés eleitoral. Não só o PSDB, mas a maioria dos partidos tradicionais perderam as eleições. O PSDB foi terceiro mais votado para a Câmara, distante dos dois primeiros, mas ficou com uma bancada pequena, de 29 deputados. Perdemos", afirmou.

O PSDB tem 49 deputados federais atualmente. Nas disputas estaduais, o partido concorre ao governo no segundo turno em seis estados: Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio Grande do Sul, Roraima e Rondônia. Para vencer em Minas, Anastasia precisa derrotar o empresário Romeu Zema (Novo), que teve 42,73% dos votos válidos contra 29,06% do tucano.
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »