10/10/2018 às 08h31min - Atualizada em 10/10/2018 às 08h31min

Cadê a obra da trincheira do Taimam?

Quem passou pelo local na semana passada, chegou a ver maquinário no local, que sumiu após as eleições

CAROLINA PORTILHO
Máquina esteve no local na semana passada, mas foi retirada após o 1º turno das eleições | Foto: Jorge Alexandre Araújo
Na semana passada, a cinco dias das eleições, o Governo Federal anunciou a liberação de uma verba de R$ 22 milhões para obras no trecho urbano da BR-365, quantia que poderia ser aplicada na construção da trincheira do bairro Taiaman, em Uberlândia. Quem passou pelo local, ainda na semana passada, viu uma máquina operando no local onde será instalado o canteiro de obras. Um dia após os resultados das urnas, no entanto, a realidade não era mais essa. Nenhum equipamento está no local, nem mesmo há qualquer sinal de que ali existe uma obra em andamento.

O Diário de Uberlândia ouviu um empresário, que preferiu não se identificar e que há seis anos trabalha na região que espera pela obra. Ao ser abordado pela reportagem ele foi direto: “aquilo era só caô! O que esperar de alguém que coloca gente para fazer campanha aqui, falando que a obra será realizada a poucos dias das eleições? Não pode ser político sério. Não me lembro o dia que começaram [a obra] na semana passada, mas dava para ver que era só encenação. A máquina dava seis pazadas e parava. Revirava a terra e parava. Há pouco tempo apareceu um ministro por aqui e tivemos esperança. Mexem com nosso sentimento. Isso não é bom. Acreditamos que obra seria realizada, mas outra vez vamos ficar na espera”, disse.

Outras pessoas que estavam próximas dividiam da opinião do entrevistado e praguejavam contra as promessas que nunca se consolidam. A trincheira é aguardada desde setembro de 2013, quando ocorreu o primeiro pronunciamento sobre o assunto. As obras foram paralisadas menos de dois meses depois após problemas de drenagem das águas pluviais e de rebaixamento do lençol freático. O projeto, então, foi revisado, mas não saiu mais desse patamar. Em julho deste ano, o Ministério Público Federal (MPF) recomendou ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) que as obras só fossem retomadas quando todo o recurso necessário para a execução estivesse disponível, o que aconteceu. A obra está orçada em R$ 22 milhões, valor exato que foi liberado na semana passada.

No dia 27 de setembro, o repasse do montante para as obras da BR-365 foi publicado no Diário Oficial da União. De acordo com o deputado federal Tenente Lúcio (PR), a liberação do valor foi uma movimentação de sua bancada.
Procurado pela reportagem, Tenente Lúcio reforçou seu empenho em conseguir o recurso, mas que não tem conhecimento sobre a situação da obra. “O que você viu na semana passada, foi o mesmo que eu vi, máquina trabalhando. Não passei por lá esses dias, então não sei como está o andamento. Sei que eles estavam fazendo sondagem no local para adequação do projeto da trincheira. O que eu pude fazer eu fiz, percorri caminhos que ninguém fez e consegui a liberação do recurso”, afirmou ele, que disputou a eleição deste ano, mas não foi reeleito.


Foto: Jorge Alexandre Araújo

A assessoria do Dnit também foi procurada, por e-mail e telefone, mas nenhum retorno foi feito até o fechamento desta edição. A reportagem procurou o escritório do órgão em Uberlândia e o analista de infraestrutura de Transportes, o engenheiro Wesley Ernanes Lima Novaes, informou ter ciência da suplementação orçamentária e de que a empresa responsável pela obra estaria fazendo a revisão do projeto. “Nada será decidido antes da superintendência do Dnit. É ela quem decide sobre a obra, sobre posicionamento e situação em que está. A empresa ainda não entrou com a revisão definitiva do projeto e não sei dizer sobre a máquina que operou no local na semana passada.”

A retomada da obra foi tema de vídeo gravado pelo ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Valter Casimiro. No arquivo, ele dizia que, com a liberação do recurso, estava sendo cumprida a recomendação do MPF, bem como compromisso com o Estado de Minas Gerais e com a população de Uberlândia. Na ocasião, ele agradeceu o empenho do deputado Tenente Lúcio na busca pelo investimento.

RECURSOS
O ministro Valter Casimiro esteve na cidade em julho deste ano, quando chegou a assinar a ordem de serviços para início das obras da trincheira. Do montante de R$ 22 milhões, R$ 6 milhões já tinham sido liberados, e mais R$ 10 milhões foram assegurados para que a obra tivesse prioridade ainda neste ano. Os outros R$ 6 milhões restantes teriam que ser alocados no orçamento do próximo ano a partir de um compromisso feito pela bancada mineira de deputados federais.

O PROJETO
A obra contempla a trincheira com pista dupla, com extensão de 700 metros, e dois viadutos que servem de travessia entre bairros. Moradores alertaram para a ausência de uma passarela no centro da trincheira.
Em entrevista ao Diário de Uberlândia no início deste mês, o Dnit informou que os viadutos serão construídos nas extremidades da trincheira, onde hoje estão os retornos, e que contarão com calçada para pedestres e cadeirantes.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »