08/10/2018 às 18h38min - Atualizada em 08/10/2018 às 18h38min

Luiz Humberto vê cidade enfraquecida pós-eleição

Deputado lamenta redução na bancada local nas esferas estadual e federal

CAROLINA PORTILHO
Parlamentar ocupou a 14ª vaga da coligação “Juntos para Reconstruir Minas” | Foto: Divulgação
Eleito pela quinta vez, o deputado federal Luiz Humberto Carneiro (PSDB) avaliou o resultado da eleição como diferente de tudo o que já viveu na política. Passado o sufoco de domingo (7), quando acabou ocupando a última vaga da coligação “Juntos para Reconstruir Minas”, de um total de 14, o reeleito falou com a reportagem do Diário de Uberlândia sobre a redução da bancada da maior cidade do Triângulo Mineiro tanto na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), quanto na Câmara Federal, além de comentar o segundo turno para a Presidência da República.

Luiz Humberto obteve 50.341 votos, cerca de 23% a menos que na eleição de 2014, quando foram registrados 65.301. Apesar da queda, o deputado avaliou como positivo o desempenho nas urnas, já que a população se mostrou insatisfeita com o cenário político, não elegendo nomes que estavam cotados como certos para o próximo pleito. 

“Diante de tanta renovação, ser reeleito é sinônimo de que o povo, que tem o poder do voto, quer que meu trabalho continue. Só posso agradecer e honrar por essa confiança. As pessoas estão insatisfeitas com a atual situação do país, e com razão. Isso foi mostrado nas urnas, pois enquanto as pesquisas apontaram que Dilma e Fernando Pimentel, seriam vitoriosos, o povo disse não”.

A insatisfação dos mineiros não foi somente a nível nacional. O cenário local também teve reflexos dessa eleição, quando Uberlândia perdeu metade da representação nas esferas estadual e federal. As eleições de 2014 entraram para a história como a maior formação de bancada de deputados eleitos por Uberlândia, com oito representantes, sendo três deputados federais e cinco deputados estaduais. Neste ano, a cidade teve um número recorde de candidaturas a cargos nos dois legislativos, mas só quatro se elegeram.

Dos 45 candidatos locais para o cargo de deputado estadual, três foram eleitos. Além de Luiz Humberto, a lista contempla Elismar Prado (Pros) e Leonídio Bouças (MDB). E dos 28 para o cargo de deputado federal, só Weliton Prado (Pros) se reelegeu. “A cidade perde muito com esse resultado, perdemos força política junto ao Governo. Uma cidade como Uberlândia tem potencial para ter cinco eleitos em cada esfera. Estamos no prejuízo, com certeza.”

SEGUNDO TURNO

Sobre a votação para saber quem fica com a presidência, Luiz Humberto também credita os 46,03% de Jair Bolsonaro (PSL) nesse primeiro turno à insatisfação da população com a política. “O brasileiro comprou a ideia do Bolsonaro porque acredita na mudança, seu principal discurso. Espero e torço, caso ele seja eleito, que possamos ter um país melhor nas áreas de segurança e respeito à população, por exemplo. O que sabemos de fato é que ninguém quer o PT mais no governo.”

Por fim, o deputado reeleito comenta sobre a necessidade de uma reforma política, começando com a redução do número de partidos. “Muitos foram eleitos com pouco voto e esse resultado só é possível porque a legislação permite. Isso não é democracia. Muitos foram penalizados, pois tiveram votos expressivos, mas não assumirão os cargos.”

RENOVAÇÃO

Os eleitores de Minas Gerais reelegeram, neste domingo, 46 parlamentares e elegeram 31 novos, ou seja, renovação de 40,25%. Os 77 parlamentarem assumem os cargos para a 19ª Legislatura da Assembleia Legislativa de Minas Gerais no dia 1º de fevereiro de 2019.

Dos cinco deputados estaduais mais votados nas eleições deste domingo, três são novatos: o campeão de votos, o apresentador Mauro Tramonte (PRB), além de Bruno Engler (PSL) e Cleitinho (PPS) que ficaram em terceiro e quarto lugar, respectivamente. O segundo colocado nessa lista foi o veterano Sargento Rodrigues (PTB), e o quinto lugar ficou com o também reeleito Noraldino Junior (PSC).

A bancada feminina também cresceu, de seis para dez deputadas. Das atuais parlamentares que concorreram à reeleição, Arlete Magalhães (PSDC) e Geisa Teixeira (PT) não conseguiram se reeleger. As eleitas foram Beatriz Cerqueira (PT), Delegada Sheila (PSL), Marília Campos (PT), Rosângela Reis (Pode), Ione Pinheiro (DEM), Celise Laviola (MDB), Leninha (PT), Laura Serrano (Novo), Ana Paula Siqueira (Rede) e Andreia de Jesus (PSOL).
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »