05/10/2018 às 08h20min - Atualizada em 05/10/2018 às 08h20min

Cruzeiro empata com Boca Juniors e é eliminado

Thiago Neves chora após queda, e Egídio dispara contra árbitro

Folhapress
Cruzeiro lutou muito no Mineirão (Vinnicius Silva/Cruzeiro)

Em partida com nova expulsão de Dedé, o Cruzeiro foi eliminado da Taça Libertadores da América. O empate por 1 a 1, com gols de Sassá e Pavón, no Mineirão, na noite desta quinta-feira (4), não foi suficiente para garantir o time na semifinal do torneio continental. O Boca Juniors, da Argentina, é quem avança para enfrentar o Palmeiras na próxima fase.A classificação dos hermanos ocorre devido ao resultado obtido na partida de ida. Os xeneizes venceram por 2 a 0 o primeiro confronto ocorrido na Bombonera. Na ocasião, houve uma expulsão controversa de Dedé. Apesar disso, o zagueiro foi liberado pela Conmebol para jogar a partida de volta e novamente expulso. O Cruzeiro ainda luta pela taça da Copa do Brasil. O time enfrentará o Corinthians na final desta competição de mata-mata.

Embora precisasse marcar gols, o Cruzeiro só deu um chute ao gol de Rossi no primeiro tempo do confronto. Foi Lucas Silva quem levou perigo à meta do adversário no confronto. O volante arriscou da intermediária e, por pouco, não acertou o ângulo direito do Boca Juniors. O goleiro, no entanto, afastou o perigo com um tapa para escanteio.O lance polêmico teve novamente Dedé como protagonista. Em um cruzamento da direita, o zagueiro entrou com o pé muito alto para dividir uma bola aérea com Rossi, arqueiro reserva do time argentino. Na sequência, Hernán Barcos estufou a rede. A arbitragem marcou falta na jogada e irritou os torcedores e jogadores do Cruzeiro.


Na etapa final, o Cruzeiro mostrou que partiria para o ataque com a entrada de Sassá no lugar de Henrique. E conseguiu o primeiro gol aos 12min, com Sassá pegando uma sobra da defesa argentina e chutando forte no canto esquerdo.A partir daí, o Cruzeiro parecia nervoso e pouco conseguiu assustar o gol do Boca. E aos 35min, Dedé levou o segundo cartão amarelo e acabou expulso. Ele levou a primeira advertência em um choque com o goleiro Rossi.

Com o desespero do Cruzeiro, o Boca Juniors se aproveitou para empatar e se garantir na semifinal. Aos 49min, um desvio de Ramón Ábila em um chutão da defesa fez o Cruzeiro perder todas as chances de chegar à semifinal da Copa Libertadores da América. O centroavante deu um leve toca para Pavón aparecer nas costas de Léo e estufar a rede de Fábio, aos 49min.

Choro e reclamação

Após o empate do Cruzeiro por 1 a 1 contra o Boca Juniors, que culminou na eliminação do time mineiro da Copa Libertadores, a maioria dos jogadores do Cruzeiro saiu em silêncio do campo, misturando revolta com a arbitragem do uruguaio Andrés Cunha com insatisfação pela queda no torneio continental.
No semblante dos atletas, foi possível ver o choro de Thiago Neves, e Robinho visivelmente emocionado. Ao contrário dos demais, Egídio preferiu ir aos microfones e disparou contra a arbitragem.

"A impressão é que o juiz brincou com o jogo, eu estava no lance, a bola bateu na mão do cara caído no chão. É vergonhosa a arbitragem, eu falei com ele, 'a culpa foi sua'", disparou o lateral, diretamente envolvido no lance que o Cruzeiro pediu um pênalti, não marcado pelo uruguaio Andrés Cunha.
O Cruzeiro se queixa de vários lances. O primeiro deles aconteceu antes do primeiro tempo. Arrascaeta foi derrubado na área, mas Andrés anulou o pênalti por causa de um impedimento. Barcos ainda chegou a balançar as redes, mas a arbitragem pegou falta de Dedé.

No segundo tempo, Dedé acabou fazendo uma falta no meio-campo, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso de campo. Por fim, o Cruzeiro reclamou de outro pênalti não marcado dentro da pequena área, quando a arbitragem pegou falta de Egídio no adversário.Apesar da eliminação, a torcida soube reconhecer a luta do time e valorizou a entrega dos jogadores, aplaudindo a equipe e gritando 'time de guerreiros'. O lateral Edílson parabenizou seus companheiros.

"O choro do Thiago (Neves) é o choro de todos nós. Decepção por não conseguir passar para a semifinal. O time jogou bem hoje. Nos doamos e entregamos ao máximo, mas não conseguimos. O torcedor está de parabéns. Temos que elogiar e dar parabéns. O sentimento é de decepção total", disse.

CRUZEIRO
Fábio; Edílson, Leo, Dedé, Egídio; Henrique, Lucas Silva (Sassá), Thiago Neves, Robinho, Arrascaeta (Rafinha); Barcos (Raniel). T.: Mano Menezes

BOCA JUNIORS
Rossi; Buffarini, Izquierdoz, Magallán, Olaza; Nandéz, Barrios, Pablo Pérez (Fernando Gago); Villa (Cardona), Zárate (Ábila), Pavón. T.: Guillermo Schelotto

Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Juiz: Andrés Cunha (URU)
Cartões amarelos: Egídio, Dedé, Rafael (Cruzeiro); Pérez, Pavón (Boca)
Cartão vermelho: Dedé (Cruzeiro)
Gols: Sassá, aos 12min do segundo tempo (Cruzeiro); Pavón, aos 49min do segundo tempo (Boca)


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »