04/10/2018 às 08h01min - Atualizada em 04/10/2018 às 08h01min

Prevenir é melhor que remediar

Ações do Outubro Rosa divulgam informações sobre a doença, que tem taxa de cura de 90% com diagnóstico precoce

CAROLINA PORTILHO
Mamografia é um exame importante para que o câncer de mama seja diagnosticado precocemente, alertam médicos | Foto: Divulgação/Sesc Ceará
Começou o Outubro Rosa e com ele vem a discussão sobre o câncer de mama, doença mais comum entre as mulheres. Somente neste ano, 59.700 novos casos devem ser registrados. Os dados são do Instituto Nacional do Câncer (Inca), que também alerta para a doença entre os homens, que chega a 1% do total. A importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença também são pontos levantados neste período.

Segundo o mastologista de Uberlândia Juliano Rodrigues da Cunha, com o diagnóstico precoce, a taxa de cura do câncer de mama é de 90%. Cunha também reforça que a mudança nos hábitos alimentares é fundamental para a prevenção da doença, sendo responsável pela queda de 30% dos casos. “É importante combater o sedentarismo, se alimentar bem, fazer qualquer tipo de atividade física. Esses hábitos dão qualidade de vida à pessoa e uma vida equilibrada é resultado de saúde.”

O hábito de fazer o autoexame também é um aliado no processo de prevenção da doença, que quando descoberta na fase inicial, pode ser tratada sem a necessidade de quimioterapia. “Mamografia é um método de rastreamento, por isso é importante o autoexame e, qualquer alteração, a mulher deve procurar um mastologista sem qualquer tipo de receio. Muitas, por falta de conhecimento sobre o assunto, acabam adiando a ida ao médico e isso pode contribuir para a evolução da doença, que tem maior incidência na quinta década de vida da mulher, em torno dos 55 anos”.

As campanhas sobre o tema têm alertado as mulheres a colocar na rotina anual as visitas ao médico, para acompanhamento à saúde. Dessa forma, caso a doença seja detectada, é iniciado o tratamento adequado para uma doença que tem cura na maioria dos registros. “Hoje, há várias opções de tratamento, inclusive com cirurgia conservadora, que é um procedimento para retirar o tumor com uma margem de segurança, preservando a maior parte possível da mama. Temos ainda recursos para reduzir os efeitos colaterais da quimioterapia”, disse o médico.

A coordenadora de telemarketing Lucilene Campos, de 47 anos, descobriu que estava com câncer de mama em maio de 2017. Passou um ano em tratamento, que foi finalizado em maio passado. Atualmente, ela deve tomar medicamento diariamente, por um período de 10 anos.

“Descobri porque o peito ficou dolorido e uma parte dele ficou endurecida, o que não caracterizava câncer porque não tinha nódulo definido. Eu também sentia dor, e o câncer não dói. Fui ao médico e nesse procedimento ele pediu uma mamografia, pois estava na hora de fazer, e aí sim detectou a doença.”

Lucilene encarou a doença sem mudar sua rotina, mantendo a fé, e preferiu não usar perucas e lenços. Ela disse ainda que câncer não é sinônimo de morte, muito menos de abandono à vida. “Conhecemos nosso corpo, então, a qualquer mudança, o correto é procurar ajuda médica. Quando o diagnostico é positivo, temos que manter o pé no chão e escolher o que quer fazer, se entregar à doença ou viver. Eu escolhi viver. Mantive minha rotina, permaneci fazendo tudo que eu estava acostumada a fazer e isso fez toda a diferença”, afirmou.

HEREDITARIEDADE

A realização anual da mamografia para mulheres a partir de 40 anos é importante para que o câncer seja diagnosticado precocemente. Quando há casos na família, Juliano reforçou que o rastreamento começa a partir dos 30 anos. Segundo dados do Inca, o câncer de mama de origem hereditária representa de 5% a 10% dos casos registrados no país.

ALIMENTAÇÃO

O câncer pode ser causado por diversos fatores, seja genético, endócrino ou até comportamental, como explica a nutricionista funcional e oncológica Michelle Mendes, da Aliança Instituto de Oncologia. Ela aponta que um dos agravantes da doença é a má alimentação, que ocasiona muitas vezes, o sobrepeso e a obesidade.

De acordo com ela, além de contribuir para a manutenção do peso e a prevenção da doença, alimentos naturais como frutas e verduras possuem fibras, vitaminas, minerais e diversos fitoquímicos que podem atuar no combate aos radicais livres, protegendo o DNA. "É importante fazer a ingestão destes alimentos diariamente", disse.

Já o consumo regular de alimentos gordurosos, salgados e enlatados pode favorecer o aparecimento da doença.
 
CÂNCER DE MAMA
 
Sintomas
  • O nódulo (caroço) é a principal manifestação da doença.
  • Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja
  • Alterações no mamilo
  • Nódulos nas axilas ou no pescoço
  • Saída de líquido anormal das mamas
Os médicos reforçam que grande parte dos casos são assintomáticos, ou seja, sem dor, febre, náuseas, entre outros sintomas. Percebendo qualquer alteração a recomendação é procurar uma unidade de saúde para avaliação.
 
Autoexame
O autoexame deve ser feito todo mês entre o 7º e o 10º dia contados a partir do 1º dia da menstruação. As mulheres que não menstruarem devem escolher um dia do mês.
  • Mama: para examinar a mama esquerda, coloque a mão esquerda atrás da cabeça e apalpe com a mão direita. O mesmo procedimento para a mama direita, invertendo os braços
  • Mamilo: pressione os mamilos suavemente e verifique se há alguma secreção
  • Axilas: após examinar as mamas, apalpe toda a área debaixo dos braços.
 
Alimentos que ajudam na prevenção do câncer de mama
  • Frutas vermelhas - como framboesa e amora, contêm antocianinas que retardam o crescimento de células pré-malignas.
  • Romã - contêm ácido elágico, um antioxidante que ajuda a inibir a enzima aromatase, responsável pela produção de estrogênio e fundamental para o surgimento de células cancerígenas.
  • Melancia, Morango e Tomate - frutas ricas em licopeno que protege as células do nosso organismo contra os radicais livres, além de ser também responsável por estimular o sistema imunológico.
  • Uva - rica em flavonoides que podem retardar o crescimento de células malignas no organismo.
  • Cenoura – rica em carotenoides, que atuam no combate aos radicais livres. Acerola, abóbora e manga são outras boas fontes desse nutriente.
  • Brócolis - contém sulforafano, molécula capaz de aumentar o número de enzimas protetoras presentes no tecido mamário.
  • Soja – Rica em fitoestrógenos que atuam como protetores contra o câncer de mama.
  • Ervas e especiarias como pimenta preta, curry, salsa, manjericão, orégano e açafrão são ricos em antioxidantes que possuem ação anti-inflamatória auxiliando na prevenção do câncer de mama.
  • Chá-verde - contém antioxidantes chamados catequinas, que podem ajudar a prevenir o câncer.
  • Linhaça - É fonte de lignana, um fitoestrógeno de ação relacionada à prevenção de câncer de mama.
  • Cogumelos – Contém antioxidantes que auxiliam na prevenção da doença.
  • Azeite de oliva, abacate e castanhas são gorduras boas com propriedades anticancerígenas.
  • A farinha branca, o arroz branco e o açúcar são gatilhos para mudanças hormonais que podem provocar o crescimento de células cancerígenas.
Sempre que possível troque esses alimentos por suas versões integrais.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »