28/09/2018 às 08h13min - Atualizada em 28/09/2018 às 08h13min

O som, a sílaba e a beleza das diferenças

Espetáculo de Miguel Falabella com Alessandra Maestrini e Mirna Rubim traz leveza em uma singular “dramédia”

ADREANA OLIVEIRA
Alessandra Maestrini e Mirna Rubim estrelam musical no Teatro Municipal de Uberlândia | Foto: Priscila Prade/Divulgação
Uma comédia como só Miguel Falabella sabe fazer, assim é “O Som e a Sílaba”, que chega amanhã ao Teatro Municipal de Uberlândia, com sessão também no domingo. Escrito para as atrizes e cantoras Alessandra Maestrini e Mirna Rubim, a produção conta a história de Sarah Leighton (Alessandra), com diagnóstico de autismo funcional (síndrome de Asperger)  – uma savant, com habilidades específicas em algumas áreas (entre elas, a música), e sua relação com Leonor Delis (Mirna), sua professora de canto. “Tem gente que pensa que é chato, que é pesado, falar de autismo e ainda incluir ópera! Mas não é! O espetáculo é maravilhoso e de um humor incrível que deve agradar muito aos fãs de séries como ‘The Big Bang Theory”, disse Alessandra Maestrini, em entrevista ao Diário de Uberlândia.

 Não por acaso, nesta semana, “O Som e Sílaba” conquistou o prêmio Bibi Ferreira na categoria Melhor Roteiro Original. “Falo isso sem modéstia, foi um prêmio merecido. O Miguel diz que esse é o melhor texto que ele já escreveu e nós concordamos. É uma obra prima que tem encantado as pessoas que voltam para assistir. É divertido, é emocionante e até criamos um nome pra ela: dramédia’”, disse Alessandra. Para Mirna, que tem amigos em Uberlândia mas que vem pela primeira vez com um espetáculo à cidade, o grande desafio para viver Leonor foi o fato de ela ser uma pessoa muito dócil. “A filha de Leonor roubou sua carreira, entre outros absurdos e essa cantora lírica madura se tornou uma pessoa triste e amarga, algo bem longe da minha personalidade. Tive que alcançar um nível muito alto de agressividade”, comentou a atriz.

Em contrapartida, muito de Leonor também está em Mirna. Ela tem sido professora há muitos anos, além da carreira nos palcos. Quando Sarah entra na vida da personagem, essa menina autista, requerendo toda sua atenção e em busca de conquistar seu espaço no mundo, a lutar por si mesma, é um ponto transformador. “A princípio elas têm que aprender a lidar uma com a outra e percebem que têm o mesmo objetivo: ser feliz”, disse Mirna. “A música tem um poder tão forte que praticamente acaba salvando a vida dessas duas personagens numa trajetória muito emocionante...e engraçada”, disse Alessandra.

Miguel é perfeccionista. “Ele é muito exigente e amável ao mesmo tempo, todos nós artistas somos obsessivos e compulsivos por excelência e vocês vão perceber isso em tudo no espetáculo: nas falas, no figurino, no cenário e principalmente na história”, falou Mirna, que não descuida da saúde vocal.

Enquanto Leonor tem que lidar com um doloroso divórcio, os disparates da filha e o momento ruim na carreira, Sarah tem que encarar a perda dos pais. Ambas buscam dar um novo sentido à vida. A jovem tem consciência de suas limitações nas relações pessoais e sabe que precisa romper as barreiras da síndrome para se ajustar ao mundo. Em sua busca por autonomia, ela lista suas habilidades, entre elas, o cantar. A música vai uni-las entre árias e duetos. “A comédia do Miguel é diferente porque ele tem a questão do ‘rir com’ e não ‘rir de’. A comunidade autista já está com a gente, e pessoas que não têm ligação com o autismo. No texto há situações que podem acontecer com qualquer um. Já ouvimos de pessoas diferentes que se viram retratadas em algum momento”, disse Alessandra.

Para Alessandra é preciso falar sobre o autismo e sobre tudo que é diferente. “Comentei como Miguel que existem muito mais armários que o da sexualidade. As pessoas ainda não compreendem o direito de ser diferente em vários sentidos – no homem que não quer a independência da mulher, no pai que não compartilha da felicidade dos filhos, no transgênero que não consegue se encaixar na sociedade. Nesse texto trabalhamos muito a questão da vocação e do encantamento”, comentou Alessandra, que afirma que não há momento melhor do que compartilhar essa história com uma plateia aberta. “Ali damos o que temos de melhor”.

ARTE PARA A VIDA

As estrelas de “O Som e a Sílaba” têm acesso à arte desde cedo e percebem que atualmente muita coisa mudou. “Hoje em dia os pais não têm mais ‘medo’ de que os filhos sejam artistas, como acontecia antigamente”, disse Alessandra Maestrini. Mirna Rubim é cantora, atriz, pianista, preparadora vocal e empresária. Sua bagagem conta com estudos no Brasil e no exterior e nos últimos anos tem ganhado força nos musicais como “A Noviça Rebelde”, “A Gaiola das Loucas”, entre outros.

Alessandra tem pai norte-americano. Foi alfabetizada nos Estados Unidos, onde na escola, desde cedo, arte é fundamental. “É comprovado cientificamente que a música e o teatro aceleram a evolução do raciocínio, melhora a autoestima e tem o poder de organizar o caos, como podem ver no espetáculo”, disse ela que aos 4 anos participava de musicais na escola.

“O Brasil tem o terceiro maior mercado em expansão em musicais, atrás de Inglaterra e Estados Unidos. Por isso, é mais difícil entrar do que quando eu entrei. Os pais que percebem esse dom nos filhos devem investir nos estudos artísticos. Temos um grande número de maravilhosos artistas mirins”, disse Alessandra que aos 11 anos foi aluna de Cláudia Jimenez. Fascinada por Barbra Streisand, “foi por causa dela que decidi ser artista”, Alessandra afirma que a arte incentiva a troca, estimula a convivência com as diferenças e ajuda a entrar em contato consigo mesmo.

SERVIÇO
O QUE: Espetáculo “O Som e a Sílaba”
QUANDO: amanhã (29) às 20h30 e domingo (30) às 19h
ONDE: Teatro Municipal de Uberlândia (Av. Rondon Pacheco, 7.070, Tibery)
INGRESSOS: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia-entrada) à venda nas lojas Provanza do Uberlândia Shopping e Center Shopping, pelo site megabilheteria.com (com taxa de conveniência) e na bilheteria do teatro nos dias de espetáculo a partir das 12h. Descontos para clientes Uberlândia Shopping, mediante apresentação de cupom fiscal de consumo acima de R$ 200 na entrada do espetáculo.
CLASSIFICAÇÃO: 14 anos
DURAÇÃO: 90 min
INFORMAÇÕES: 3235-1568
 
FICHA TÉCNICA
Texto e direção: Miguel Falabella
Elenco: Alessandra Maestrini e Mirna Rubim
Design de luz: Wagner Freire
Design de som: Mario Jorge Andrade
Cenário: Zezinho Santos e Turíbio Santos
Cenotécnico: Isaac Tibúrcio
Figurinos: Ligia Rocha e Marco Pacheco
Visagismo: Wilson Eliodorio
Fotografia: Priscilla Prade
Designer: Kelson Spalato
Operador de luz: Alessandra Marques
Operador de som: Mario Jorge Andrade
Assistente de produção e contrarregra: Marlon Bandarz
Produtora assistente e captação de apoios: Carla Schvaitser
Produtora executiva: Marisa Medeiros
Direção de produção: Deco Gedeon
Realização: Maestrini Produções
Produção local: Carlos Guimarães Coelho - Uberlândia na Rota do Teatro
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »