22/09/2018 às 06h10min - Atualizada em 22/09/2018 às 06h10min

A chegada da estação de transições

Primavera começa oficialmente na noite deste sábado; estação é marcada por chuvas e ondas de calor

NÚBIA MOTA | CLIMATEMPO
Em Uberlândia, primavera é caracterizada como uma estação de transição e preparação para o verão | Foto: Rafael Neddermeyer/Agência Brasil
Marque na sua agenda. Neste sábado (22), exatamente às 22h53, começa oficialmente a primavera, mas, provavelmente, nada deve mudar de imediato. A nova estação marca a transição da seca característica do inverno para as chuvas do verão e, por isso, não é bem definida como esses outros dois períodos do ano. Seu início oscila em alguns dias ou horas entre um ano e outro. Em 2017, por exemplo, começou no mesmo dia, mas algumas horas antes, às 17h02. As mudanças que ocasiona não são percebidas a curto prazo e nem com tanta exatidão devido às interferências de fenômenos climáticos.  

Segundo o doutor em geografia Arcênio Meneses da Silva, professor do Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM), no Cerrado, bioma em que Uberlândia está inserida, há um predomínio do clima tropical semiúmido, com o verão mais quente e chuvoso e o inverno com temperatura menor e clima seco. Já a primavera e o outono não são bem definidos e ambos não passam de estações de transição. “O que temos razoavelmente definidos são o verão e o inverno. Por exemplo, o verão começa no dia 21 de dezembro, mas o período chuvoso começa um pouco antes, normalmente em outubro, e vai até março e abril. De maio a setembro é período de estiagem. Mas não dá para bater uma data e dizer que começa naquele dia [a estação]. Isso depende do movimento de translação e rotação da terra”, disse o professor. 

Arcênio Silva explica que, embora o verão e o inverno estejam razoavelmente estabelecidos, existem atividades climáticas no mundo que interferem sobre no clima de Uberlândia durante esses períodos. Um exemplo é o El Niño, que é o aquecimento nas águas do Oceano Pacífico, na costa oeste da América do Sul, na região do Chile, Peru e Colômbia. 

“Quando acontece o El Niño, há uma mudança na circulação atmosférica global e interfere na climatologia do Brasil, com aumento de chuva em alguns lugares, aumento de seca em outros. Veja agora, por exemplo. Mesmo que estejamos em um período de inverno até o dia 21, no entanto, estamos com chuva, que normalmente não acontece nessa época. Pode ser interferência do El Niño ou de massas de ar que vem do Atlântico Sul carregadas de umidade”, disse o doutor. 

Já a primavera e o outono não têm características específicas nesta região, pois são estações de transição e diferem de um ano para o outro. “A gente só sabe que quando termina o inverno e o período seco, a terra, a vegetação, a vida começam a se preparar para a primavera e para entrar no verão. Já o outono, em março, que vem depois do verão, entra em outra transição, entre o período quente e frio. São dois períodos transitórios”, disse Arcênio Meneses. 

MUDANÇA CLIMÁTICA

Na região, não há dados que confirmem a mudança climática e certifiquem, por exemplo, que o inverno está mais quente do que há alguns anos. Segundo o professor Arcênio Meneses, o que acontece são alguns eventos esporádicos, como a chuva ocorrida no último dia, o que é incomum. “Para comprovar que houve mudança climática, é preciso que se tenha um mapeamento por pelo menos 30 anos. Mas as mudanças de tempo têm muita influência das atividades humanas, como os desmatamentos, as queimadas, o ambiente urbano com poluição. O que muda também é a percepção, a chamada sensação térmica. Antes, os ambientes eram diferentes, as roupas eram diferentes. Hoje, estamos todos dentro de salas com ar-condicionado, carro com ar-condicionado e, em toda saída desses lugares, achamos que está quente demais. Só que os termômetros estão registrando a mesma coisa”, afirmou o especialista. 

PRIMAVERA
Significado da palavra primavera?
A palavra primavera tem origens muito antigas. Vem do latim primus, que significa antes, e provavelmente do sânscrito vem o ver. Então, primavera significaria resplandecer, iluminar, arder e que, por extensão, acabou por indicar também a estação em que o sol arde, isto é, o verão. Primavera, portanto, é a estação antes do verão.

Como é a chuva da primavera?
A chuva da primavera é a mais esperada do ano, pois vai permitir que os agricultores comecem a semeadura da nova safra de verão. Os eventos de chuva volumosa ficam mais frequentes e se espalham pelo país no decorrer da primavera, dando início a recuperação dos grandes reservatórios hidrelétricos e de abastecimento do país. É durante a primavera que aumentam os transtornos causados pelos temporais que começam a acontecer com mais frequência por quase todo o país.  

Por que a chuva aumenta e tem mais temporal?
Durante a primavera, ocorre uma grande mudança na circulação dos ventos sobre o Brasil, que permite a formação do corredor de umidade entre o Norte, o Centro-Oeste e o Sudeste. Isto permite o crescimento de muitas áreas de instabilidade sobre estas regiões, que provocam pancadas de chuva frequentes especialmente durante as tardes e noites. É a maior disponibilidade de ar úmido e quente sobre o país, que facilita a formação das enormes nuvens cumulonimbus, que causam os temporais com muitos raios, ventania, granizo e até tornados.

Tem frente fria na primavera?
Frentes frias, com suas massas de ar frio, de origem polar, avançam pela costa do Sul e do Sudeste também durante a primavera. A maior influência do ar frio intenso é sobre a áreas próximas ao mar, mas algumas vezes o vento gelado consegue entrar pelo interior do país e aliviar o calorão.

Extremos de calor
Historicamente a primavera é época de extremos de calor. Os meses de outubro e novembro estão entre os mais quentes do ano em grande parte do país. O aquecimento que ocorre no Pacífico, com o processo de formação do El Niño, vai ajudar a deixar a primavera de 2018 mais quente no Brasil. O aumento da temperatura aquece muitos setores da economia.

O que esperar da primavera 2018?
A primavera de 2018 será influenciada pelo aquecimento da porção central e leste do oceano Pacífico Equatorial, na altura da costa do Peru, que vai gerar um novo episódio do fenômeno El Niño. Tudo indica que vamos terminar a primavera já com o El Niño formado. A maioria das áreas do Brasil terá mais dias quentes do que com temperatura baixa. A chuva retorna ao país, mas o processo de formação do El Niño será um complicador para a chuva. A chuva da primavera já é normalmente irregular e não beneficia igualmente uma grande região. O aquecimento que ocorre no Pacífico vai aumentar esta irregularidade espacial.  O impacto negativo da irregularidade da chuva da primavera de 2018 será mais sentido nos setores de abastecimento de água para as populações e para a geração de energia do que na agricultura.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »