21/09/2018 às 17h41min - Atualizada em 21/09/2018 às 17h41min

Adalclever quer a região representada no governo

Candidato a governador pelo MDB esteve em Uberlândia e se reuniu com empresários

MARIELY DALMÔNICA
Adalclever Lopes esteve acompanhado de partidários na reunião na Aciub | Foto: Mariely Dalmônica
O deputado estadual e candidato ao governo de Minas pelo MDB, Adalclever Lopes, esteve em Uberlândia durante a manhã desta sexta-feira (21) para expor suas propostas para o Estado. O candidato participou de uma reunião com um grupo de empresários da cidade na Associação Comercial e Industrial de Uberlândia (Aciub) e depois atendeu à imprensa. Ao Diário de Uberlândia, Adalclever falou sobre segurança pública e disse que vai representar a região do Triângulo Mineiro de uma forma diferente, caso seja eleito.  

Candidato pela coligação #MinasTemJeito, formada pelo PDT, PODE, MDB, PROS, PRB e PV, Adalclever nasceu em Belo Horizonte, tem 51 anos, é empresário, deputado estadual pelo quarto mandato consecutivo e presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Ele substituiu o então candidato da chapa Marcio Lacerda, que teve sua candidatura barrada pela direção nacional do próprio partido, o PSB. Após a divergência, Lacerda se desfiliou do partido e declarou apoio a Adalclever.

Entre os compromissos assumidos pelo candidato, está tolerância zero com a corrupção e privilégios. Confira a seguir os principais pontos defendidos pelo candidato durante a reunião com empresários.

Governo diferente

“A nossa proposta é um pouco diferente dos outros candidatos ao governo. Minas Gerais tem que ser do tamanho que é, (temos que) parar com essa guerra. Os dois últimos governos tiveram oportunidades e o Brasil vive uma polarização, e assim também está Minas. Nossa ideia é fazer o que fizemos na Assembleia Legislativa. Lá, fizemos uma política de composição, de ouvir, a política da inclusão. Todos os projetos que chegaram nunca saíram como estavam. Nossa proposta é essa, vamos aproveitar o que o PT fez de bom. O governador de Minas tem que reivindicar as obras, temos duas mil obras paradas. Vocês (do Triângulo Mineiro) são 15% do nosso PIB e não têm uma representação à altura.”

Pacto por Minas

“Minha maior característica sempre foi ouvir, articular e conversar. E é isso que estou propondo no meu governo. Temos que fazer um pacto por Minas, unir todos os políticos, empresários e trabalhadores. Independente de quem for eleito presidente.”

Segurança pública

“Eu quero dizer que a segurança pública é consequência de uma série de coisas, e a causa é social. Nós devemos olhar a segurança como um todo, e aqui a principal função com o governo vai ser desburocratizar o Estado para a gente gerar mais emprego e renda, e com isso, investir principalmente na segurança pública. O governo federal tem R$ 140 bilhões a pagar ao Estado, nós vamos ter um governador que não é de uma sigla partidária, mas um governador que representa Minas Gerais. Então a nossa proposta é a geração de emprego e de renda, e consequentemente, esse recurso que Brasília nos deve, vamos investir em segurança pública, saúde e educação.”

Triângulo Mineiro

“Em primeiro lugar, temos que chamar o Triângulo para o governo, nós temos 15% do PIB saído daqui, temos que ter alguém daqui trabalhando diretamente com o Estado, diminuir a burocracia e gerar mais emprego e renda para justamente investirmos na infraestrutura, educação, saúde e segurança pública.”

MDB

“O partido está trabalhando muito, nós vamos governar acima de sigla partidária, nós vamos governar com todos os partidos, precisamos unir os mineiros e acabar com essa guerra. Hoje em dia, até grupo de WhatsApp está perigoso participar. Então, nós temos que voltar a fazer o que Minas faz bem, dialogar, conversar, fazer um pacto por Minas dialogando, e levar o Estado com todas as suas forças e suas riquezas para voltar a ter paz em Minas, é isso que nós precisamos.”
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »