20/09/2018 às 09h14min - Atualizada em 20/09/2018 às 09h14min

Gilmar Machado e dois ex secretários são presos em nova operação do Gaeco

VINÍCIUS LEMOS
O ex-prefeito de Uberlândia, Gilmar Machado, foi preso na manhã desta quinta-feira (20), em operação realizada pelo Gaeco | Foto: Adreana Oliveira
O ex-prefeito de Uberlândia, Gilmar Machado, e os ex secretários de Trânsito e Transportes do Município, Alexandre Andrade, e de Educação, Gercina Novais, foram presos na manhã desta quinta-feira (20) em operação deflagrada pelos grupos de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) e Especial de Patrimônio Público (Gepp). Na chamada operação Quilômetros de Vantagem são apurados os crimes de organização criminosa, corrupção ativa, corrupção passiva, peculato-desvio, fraude à licitação, falsidade ideológica, uso de documento falso e lavagem de dinheiro, entre outros, cometidos entre os anos de 2014 e 2015. A ligação seria com uma suposta licitação fraudulenta para o transporte de estudantes do Município.

As prisões dos três ex-ocupantes de cadeiras no poder executivo em Uberlândia foram preventivas, ou seja, não têm um tempo determinado. Ao todo, foram expedidos, pelo juíz da 2ª Vara Criminal da comarca local, 11 mandados de prisão preventiva e 19 de prisão temporária, além de 31 mandados de busca e apreensão. Só em Uberlândia, 14 equipes da Polícia Militar e uma da Polícia Civil cumprem sete mandados de prisão preventiva e oito de prisão temporária, ao mesmo tempo em que 15 buscas e apreensões acontecem pela cidade.

Os trabalhos acontecem também nos Estados de Goiás e Tocantins. Isso porque, segundo o Ministério Público Estadual (MPE), duas empresas de Goiás, habilitadas na licitação citada na investigação, apresentaram pelo menos oito atestados de capacidade técnica e declarações de prestação de serviços à diversas Prefeituras do interior de Goiás ideologicamente falsas. Como informou a promotoria, a Prefeitura Municipal de Uberlândia, então, por meio, mesmo diante das evidências de crime, contratou, mediante dispensa de licitação, uma das empresas de Goiás para a prestação do serviço de transporte público escolar.

O Diário tenta contato com representantes dos envolvidos e aguarda retorno.



 

 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »