16/09/2018 às 05h00min - Atualizada em 16/09/2018 às 05h00min

A arte de perseverar um sonho

Emcantar celebra 22 anos com espetáculo que remete às raízes do grupo

ADREANA OLIVEIRA
Foto: Divulgação
O mundo pode ser um lugar assustador... ou um playground no qual o ser humano jamais deve parar de brincar. Tudo depende do ponto de vista. Arte e cultura junto com educação e ação social podem ser a chave para abrir esse mundo de infinitas possibilidades principalmente para crianças e jovens, agentes transformadores do seu meio. Há 22 anos o grupo Emcantar – que até 2016 foi ONG e agora se desdobra em Companhia Cultural e Emcantar Social - dava seus primeiros passos, ou melhor, dedilhava os primeiros acordes de uma trajetória feita de luta, conquistas e o desejo de não só falar, como agir por um mundo melhor.

“A nossa história é perseverar o sonho nesse mundo maluco”, disse um emocionado Marco Aurélio Querubim, um dos idealizadores do Emcantar, durante entrevista ao Diário de Uberlândia. Ele e Ana Paula Rabelo iniciaram as conversas sobre o grupo nas idas e vindas de ônibus entre Uberlândia (onde faziam faculdade) e Araguari (cidade natal).

Amanhã (17), no Teatro Municipal de Uberlândia, o Emcantar estreia um novo espetáculo: “Canto da Gente”, dentro do projeto Boca de Cena. A produção é um retorno às origens do grupo, que começou pautado pela riqueza da música brasileira. “É uma forma de homenagear nossos 22 anos e reforçar nossa identidade. O repertório do show traz muito daquilo que nos inspirou e nos inspira a construir essa história”, disse Querubim.

Mas para ele não se trata só de poética. É fácil falar sobre os valores comuns para as pessoas de bem, mas mais importante é sair da comodidade do discurso e agir. “É um convite ao espectador, um recado, para que ele observe sua essência. É o que nós estamos fazendo. Nesse mundo cada vez mais individualista e violento em que tanta gente fala sobre esperança, paz, amor, crença em Deus, por que não percebemos que o mundo melhora?”, questiona.

Para Querubim, cada um tem uma jornada individual intransferível que pode ser feita de uma forma muito bela, dependendo das escolhas de cada um. “O trabalho no Emcantar sempre foi voltado para as razões de nossa existência e a partir daí, construir não só valores, mas comportamentos que transformem vidas e realidades”, explicou.

Mesmo sendo uma Companhia Cultural, o grupo nunca abriu mão da intervenção social. “Ao trabalharmos com crianças, convidando-as para cantar, para tocar música brasileira, vimos que elas passam a se perceber como gente, como pessoa em construção olhando um mundo cheio de belezas e maravilhas, vendo o lado luminoso dos outros”, disse Querubim.

NÚMEROS
Tratar pessoas como números não é nada natural. Porém, nos registros do Emcantar, mais de 350 mil pessoas foram atingidas diretamente pelos espetáculos do grupo em 22 anos de trajetória. Porém, o impacto dessas 350 mil deve ter se multiplicado algumas vezes. “Sabemos quantas pessoas viram o espetáculo mas não sabemos quantas estão vendo o DVD, ouvindo os discos e como estão passando isso para frente. De qualquer forma somos gratos a cada uma delas”, disse Querubim.

Para o produtor, que também é músico, projetos como o Emcantar Social permitem levar às pessoas o encantamento no sentido mais puro da palavra. “Se encantar com uma imagem, uma música, uma cena. Esse espanto filosófico é o que estamos precisando. As pessoas não têm que se acostumar com uma realidade que não podem mudar por mais que isso seja difícil. Valores como paz, justiça, igualdade e fraternidade não podem ser só utopia”, comentou.
A concepção do espetáculo “Nosso Canto” levou o Emcantar a se perguntar como cada um do grupo tem levado a sua vida e quer que sua audiência faça o mesmo questionamento em alto e bom som direto do palco do Municipal, como eles mesmos dizem, com requintes de elegância e nostalgia.

SERVIÇO
O QUE: show “Canto da Gente” – Projeto Boca de Cena
QUEM: grupo Emcantar
QUANDO: amanhã (17), às 20h
LOCAL: Teatro Municipal de Uberlândia (Av. Rondon Pacheco, 7.070, Tibery)
INGRESSOS: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada) à venda na loja Espaço G (R. Bernardo Guimarães, 710, Fundinho), na bilheteria do teatro e pelo site megabilheteria.com

REPERTÓRIO
1. “Cânticos Gildes Bezerra / Dércio Marques) / Recolher (Artur Andrade)
2. A Primeira Estrela (Milton Nascimento)
3. Trenzinho do Caipira (Heitor Villa Lobos / Ferreira Gullar)
4. Mira Ira (Lula Barbosa)
5. Dança dos Meninos (Marco Antônio Guimarães / Milton Nascimento)
6. Folia (Lourenço Baêta / Xico Chaves) / Maria Solidária (Fernando Brant / Milton Nascimento)
7. Dentro (Cleusa Bernardes / Enzo Banzo)
8. Gracias a la vida (Violeta Parra)
9. Passarim (Celso Adolfo)
10. Canto Lunar (Denise Emmer)
11. Cálice (Chico Buarque / Gilberto Gil)
12. San Vicente (Fernando Brant / Milton Nascimento)
13. Escultura (Marco Aurélio Querubim)
14. O Cio da Terra (Chico Buarque / Milton Nascimento)
15. A Roda (Marco Aurélio Querubim)
16. Coração Civil (Fernando Brant / Milton Nascimento)
 
FICHA TÉCNICA
Concepção: Emcantar
Textos: Enzo Banzo, Marco Aurélio Querubim e Mariane de Ávila
Direção artística: Marco Aurélio Querubim
Direção musical: Carlim Ribeiro
Músicos: Carlim Ribeiro (violão, teclado e arranjos), Carlos Júnior (contrabaixo e flauta), Ivan Ribeiro (bateria e percussão) e Ana Rabelo (percussão)
Vozes: Ana Lopez, Ana Rabelo, Carlim Ribeiro, Carlos Júnior, Maíra de Ávila, Marco Aurélio Querubim, Mariane de Ávila e Viviane Rodrigues
Preparação vocal: Ivan Marques
Figurino, cenografia e visagismo: Pablo Mendonça
Ilustração: Helio de Lima
Assessoria de figurino e cenografia: Mariane de Ávila
Confecção de figurino: Maria Augusta Rodrigues
Sonorização: Didi Barros
Produção executiva: Lilian Fulô
Assistentes de Produção: Ioleides Cabral e Luiza Gonzaga
 
MAIS SOBRE O EMCANTAR
22 anos em atividade
Mais de 1.000 apresentações realizadas
350 mil espectadores diretos atingidos
20 mil produtos distribuídos
5 álbuns e 1 DVD lançados
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »