04/09/2018 às 07h50min - Atualizada em 04/09/2018 às 07h50min

Paquetá e Everton falam em jogar "onde Tite quiser"

Recém-chegados, atletas ainda aguardam orientações de técnico

FOLHAPRESS
Paquetá (esq.) e Everton são recebidos por Taffarel na concentração da Seleção | Foto: Lucas Figueiredo/CBF
Dois dos nomes convocados pela primeira vez para atuar pela seleção brasileira, o meio-campista Lucas Paquetá (Flamengo) e o atacante Everton (Grêmio) ainda aguardam orientações de Tite sobre o papel que cada um pode desempenhar na equipe.

Ambos foram chamados para os dois jogos da seleção, que enfrenta os EUA, na sexta (7), em Nova Jersey, e El Salvador, na terça (11), em Washington. Ontem, em entrevista no hotel em que a seleção brasileira está hospedada em Nova Jersey, os dois disseram que só conversaram brevemente com Tite após a convocação. "Ainda não conversamos. Ele ligou para dar parabéns. Estamos aqui para buscar nosso espaço e para dar o melhor para a seleção", afirmou Paquetá.
Questionado sobre se ocuparia o espaço deixado por Renato Augusto, que pediu dispensa do amistoso por problemas pessoais, o jogador do Flamengo desconversou. "É uma posição em que eu sempre joguei dentro de casa, mas vou me encaixar onde o professor decidir", disse.

Everton também ressaltou que está pronto para jogar onde Tite decidir. "Estou preparado para atuar pela esquerda ou pela direita, onde o professor achar melhor." O atacante reconheceu que seu desempenho tem melhorado com o tempo. Em 2016, ele era reserva da equipe. "Eu deixava a desejar, mas é uma evolução que vem dando resultado. Tenho trabalhado e estou sendo recompensado por esse trabalho". No primeiro jogo depois da eliminação para a Bélgica na Copa do Mundo, Paquetá afirmou que a meta agora é fazer um bom trabalho para assegurar novas convocações em outros amistosos. "Esse tem que ser o pensamento, passo a passo. Viver o hoje para que o objetivo seja alcançado", afirmou.

MILITÃO

No domingo (2), o técnico Tite confirmou o lateral-direito Éder Militão no lugar de Fagner, do Corinthians, cortado após lesão. O ex-jogador do São Paulo, atualmente no Porto, de Portugal, foi o último nome anunciado para os amistosos contra EUA e El Salvador. Além de Fagner, Pedro, atacante do Fluminense e um dos artilheiros do Campeonato Brasileiro, com dez gols, também se lesionou e está fora. Ele foi substituído por Richarlison, do Everton (ING).

O meia Renato Augusto, do chinês Beijing Guoan, pediu para não jogar por problemas particulares. Até agora, Tite não anunciou ninguém para a vaga dele. Os amistosos serão os primeiros jogos da seleção brasileira depois da Copa do Mundo. Ainda há quatro previstos até o fim do ano, mas os adversários ainda não foram anunciados.
 
APÓS DERROTA
Paquetá promete empenho após vaias no Flamengo

 
Vaiado durante a derrota do Flamengo por 1 a 0 para o Ceará, Lucas Paquetá concedeu entrevista coletiva como jogador da seleção brasileira pela primeira vez ontem. O meio-campista se disse triste com o revés, mas prometeu foco na equipe nacional para agradar a Tite e ter sequência. "Fico triste pela derrota de domingo. Quando estou no Flamengo, faço o melhor pelo meu clube. Na seleção, faço o melhor para servir aqui e tenho que deixar o que aconteceu de lado. Espero entender o que o professor quer e ajudar", disse Paquetá.

De acordo com o jogador, a última Copa do Mundo mostrou a importância tática de jogadores de sua função, e evoluir nesse sentido é uma das suas prioridades na carreira. "A forma tática das equipes mostra o nível alto da Copa. Procurei levar isso para campo no Flamengo, tentar melhorar cada vez mais, melhorar o meu futebol taticamente. O sistema de jogo da seleção, com Paulinho sempre pisando na área, recompondo, fechando as linhas de passe, me chamou a atenção", declarou.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »