28/08/2018 às 08h25min - Atualizada em 28/08/2018 às 08h25min

LBV quer ampliar atendimentos em Uberlândia

NÚBIA MOTA
Crianças atendidas na LBV têm aulas de educação física | Foto: Núbia Mota
Apesar da crise econômica, que tem afetado significativamente o número de doações recebidas, a Legião da Boa Vontade (LBV) espera ampliar os trabalhos em Uberlândia, onde atua há 57 anos. Além do atendimento para crianças e jovens de 5 a 16 anos, que cresceu de 65 para 80 vagas no Centro Comunitário de Assistência Social, o Lar dos Idosos está em obras para expansão do espaço físico.

Hoje, a LBV atende cerca de 70 crianças e jovens no Centro Comunitário, com intenção de chegar a 100 depois da construção de um refeitório, e mais 35 idosos que moram no Lar dos Idosos, além de outras 20 pessoas com mais e 65 anos que frequentam o local. A manutenção e as despesas são todas bancadas com doações da comunidade, tanto em dinheiro, como em forma de cestas básicas, roupas, frutas, fraldas geriátricas ou outros materiais. “Não temos só pessoas com vulnerabilidade econômica. Tem casos de violência doméstica, violência sexual, atendemos crianças que ficavam sozinhas em casa. O maior problema que enfrentamos é a falta de tempo dos pais com os filhos. Qualquer doação é bem-vinda”, disse Kátia Rodrigues, gestora social do Centro Comunitário.

Arthur, de 7 anos, é uma das crianças atendidas em Uberlândia. Segundo a mãe, a autônoma Jeniffer Ferreira Moura Martins, o menino ficava toda a manhã com ela, no trabalho, e acabou desenvolvendo ansiedade, o que o fez ganhar peso. Depois de um mês na LBV, a mudança de vida já é notável. “Não tinha com quem deixar e ele ficava comigo de manhã, no salão de beleza, onde eu auxilio, e à tarde ele ia pra escola. Ele ficava só no celular e comendo sem parar, sem controle. Era difícil acorda-lo para sair de casa. Hoje, ele dá um pulo da cama quando chamo [para ir à LBV] e, às vezes, nem precisa chamar. Além de ter parado de comer, ele aprendeu a respeitar as diferenças. Já percebemos em casa”, afirmou Jeniffer.

O neto de Margarida de Souza Leão, Gabriel Vinícius Menezes de Souza, de 11 anos, vem de um histórico de perdas. Foi abandonado pela mãe biológica aos 3 meses, perdeu os dois avós e, por último, o pai, que tinha apenas 45 anos e era o filho único da aposentada a quem o menino chama de mãe. Devido à desestrutura psicológica, a criança está começando a aprender a ler e escrever somente agora. No contraturno da escola, Gabriel frequenta a LBV há quase 5 anos para praticar esporte, brincar, ver vídeos e aprender a respeitar o próximo. “Ele veio para cá antes do pai falecer e por causa de tudo que aconteceu, teve um atraso. Ele ficou ótimo depois que veio para cá. Aqui não tem bullying, todo mundo é igual. Foi uma benção”, disse Margarida.

Os atendimentos das crianças são divididos em dois turnos, de 8h às 11h, com fornecimento de café da manhã, e de 13h às 16h30, com lanche da tarde. Lá, eles têm oficinas de cidadania ecumênica, de arte e cultura, música, além de atividades físicas e momento do brincar. Os menores ainda ganham uniforme, material escolar e atendimento social para eles e a família.
 
SERVIÇO
 
PARA DOAÇÕES
O Lar dos Idosos fica na rua Padre Pio, 1353, funciona todos os dias, e o telefone é 3236-2377. Já o Centro Comunitário de Assistência Social, na rua Ângelo Testa, 425, funciona de segunda a sexta-feira, e o telefone é 3292-0900. Ambos ficam no bairro Osvaldo Rezende.
Também é possível doar pelo site https://www.lbv.org/
 
INSCRIÇÕES PARA MENORES
Para fazer a inscrição de crianças de 5 a 16 anos, basta comparecer ao Centro Comunitário de Assistência Social da LBV, das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira, levando declaração de escolaridade, xerox do documento de identidade, do CPF e do comprovante de endereço.
O endereço é Rua Ângelo Testa, 425, bairro Osvaldo Rezende.
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »