24/07/2018 às 12h31min - Atualizada em 24/07/2018 às 12h31min

Futel não pagará valor atrasado do Amador

Primeira rodada do Campeonato Amador, que começaria no último domingo (22), foi suspensa pela Liga Uberlandense de Futebol

EDER SOARES | REPÓRTER
Silvio Soares disse que não há como fazer repasse de 2016 e que valores da atual gestão estão em dia (Eder Soares)
O início do Campeonato Amador da Liga Uberlandense de Futebol (LUF) está cada vez mais comprometido e a competição poderá até não acontecer neste ano. Ontem, em contato com a reportagem do Diário de Uberlândia, o secretário-geral da Fundação Uberlandense de Turismo, Esporte e Lazer (Futel), Sílvio Soares dos Santos, afirmou que a Prefeitura não deve mais nenhum valor aos árbitros e nem à LUF e que não irá fazer nenhum pagamento referente ao ano de 2016. Naquele ano, o convênio anual previa um repasse de R$ 140 mil para o pagamento de taxas de arbitragem, mas somente foram pagos R$ 70 mil. Segundo Silvio, não existem possibilidades jurídicas para que este dinheiro seja pago à LUF e que o caso está dado por encerrado.

Na segunda-feira (16), a Associação dos Árbitros e Representantes do Futebol Amador de Uberlândia (Aareaur) decidiu por unanimidade que os árbitros não voltam a trabalhar enquanto a Prefeitura não quitar o valor devido à categoria.  Na quinta-feira (19), a LUF divulgou nota oficial suspendendo o início das Divisões Especial e de Acesso, que começariam neste domingo (22).
“O término do convênio é no final do ano. Após este prazo, não tem como ser repassado mais [verba] como convênio, não existe mais forma jurídica para isso. Nós não temos nada a ver com a associação de árbitros. Nós repassamos o dinheiro para a Liga Uberlandense e ela faz o uso desse dinheiro, que só pode ser utilizado no futebol amador. Não existe formas para repasse referente a 2016”, disse Sílvio, enfatizando que os convênios da atual gestão então em dia.
“Em 2017 foram repassados para a LUF R$ 183.320,82 por meio de outro convênio, porque o anterior (2016) havia acabado. Para 2018, foram cerca de R$ 140 mil. A Liga não deve nada, pois passou o prazo de reivindicação que foi em agosto de 2016. Não tem nada a ver por ser débito de uma gestão anterior. Não tem mais conversa. Este assunto está encerrado”, afirmou.

O presidente da LUF, Renato Batista, afirma que a dívida do município com a entidade existe, mas que vai esperar a formalização da decisão da Futel, através de documento, para fazer, em assembleia, o comunicado aos árbitros e clubes. “ O convênio entre Futel e LUF foi assinado em 2016. Ela pagou R$ 70 mil e ficou devendo a outra metade. No final do ano, o Ezequias de Souza, então secretário, deixou os R$ 70 mil restantes penhorados para pagar em 2017. O prefeito Odelmo Leão pediu todos os empenhos na época para serem pagos. Só que entrou o ano e não foi pago, nem de forma parcelada como foi cogitado. A mesma situação aconteceu neste ano. Eu não posso assumir uma dívida que não é minha. Agora me resta esperar a formalização da Futel, por escrito e protocolada, para que eu possa chamar árbitro, clubes e fazer o comunicado”, disse Renato, que lamentou a paralisação da competição.

“Estou com a tabela e regulamento prontos, tudo certo para começar a competição já neste domingo, se precisasse, mas sem os árbitros não tem como fazer. É triste esta situação, mas não temos estes recursos para fazer o pagamento aos árbitros, e mesmo se tivesse, repito, não posso assumir uma dívida que não é minha. Quando eu assumi a presidência da LUF, por exemplo, eu tinha ciência de dividas da gestão anterior e nem por isso deixei de pagá-las. Esperamos, o quanto antes, um entendimento com a Prefeitura para que tudo se resolva”, finalizou.

O presidente Aareaur, Ugladiston de Paula, voltou a afirmar que se o valor devido não for pago, os árbitros não vão apitar. “A nossa posição é a mesma. Só vamos voltar a trabalhar quando o valor devido for quitado”, disse.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »