24/07/2018 às 07h48min - Atualizada em 24/07/2018 às 07h48min

Romeiros seguem sem rota exclusiva

MPF analisará a possibilidade de requerer judicialmente que Dnit inclua caminho alternativo no processo de duplicação da BR-365

CAROLINA PORTILHO | REPÓRTER
Raul Neto defende a via exclusiva para dar mais segurança aos fiéis (Raul Neto/Arquivo Pessoal)
Após décadas de tradição da festa em homenagem à Nossa Senhora da Abadia, os peregrinos que caminham pela BR-365 nesta época do ano seguem sem previsão de ter uma rota exclusiva para percorrer o trajeto de quase 90 quilômetros entre Uberlândia e Romaria. A festa, que completa 147 anos em 2018, acontece de 29 de julho a 15 de agosto.

Nesta segunda-feira (23), mais uma reunião foi realizada pelo Ministério Público Federal (MPF), em Uberlândia, na tentativa de viabilizar a construção de uma estrada semelhante ao Caminho da Fé, que é um roteiro de turismo religioso existente no Estado de São Paulo, mas o projeto segue sem data prevista para implementação. A audiência contou com a presença de representantes da comunidade e de diversas entidades, como prefeituras dos municípios vizinhos, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit).

O procurador da República Leonardo Macedo disse que a primeira alternativa seria, com apoio das prefeituras, recuperar as estradas vicinais que margeiam a BR-365 para que os peregrinos pudessem usá-las ao invés de trafegar pela própria rodovia. Essa possibilidade foi descartada por questões geográficas e ambientais, por exemplo.

Diante da negativa, a alternativa será a inclusão de uma via destinada somente para os romeiros no processo de duplicação da rodovia, obra de responsabilidade do Dnit sem previsão de execução e que se encontra, nesse momento, na fase de estudo de viabilidade econômica e ambiental.

O engenheiro Weslley Ernanes Lima Novaes, analista de infraestrutura de Transportes do Dnit, participou da reunião e disse que no projeto de duplicação da BR-365 não está contemplada a construção de uma via destinada somente para os romeiros. Para garantir que esse assunto avance, o Ministério Público Federal deve entrar com ação judicial.

“Vamos analisar a possibilidade de requerer judicialmente que na elaboração desse projeto de duplicação seja considerada essa rota dos romeiros, desse Caminhos da Fé”, disse o promotor.

O motorista Vanderli Rodrigues, 60 anos, contou que já perdeu as contas de quantos anos faz o caminho para a festa de Nossa Senhora da Abadia. Segundo ele, a construção de uma estrada só para os peregrinos é o ideal. “Fui pagar uma promessa do meu pai e nunca mais deixei de ir. A família toda faz esse trajeto que dará muito mais segurança se for construído um espaço só para isso”, contou Vanderli que sairá de Uberlândia nesta sexta-feira (27) com destino a Romaria.

O jornalista Raul Neto já foi três vezes para Romaria, mas disse que só concluiu o trajeto a pé uma vez, em 2016. “Fui agradecer uma promessa que fiz, que se realizou antes da minha ida. Eu tenho outra promessa, mas provavelmente vou dar assistência por conta do acidente que sofri e quebrei meu fêmur. Essa proposta de um caminho somente para os romeiros será bem-vinda, pois os riscos são grandes, muitos veículos passam em alta velocidade”.
 
LEI
Festa é reconhecida como patrimônio imaterial do Estado
 
A festa de Nossa Senhora da Abadia, em Romaria, foi reconhecida como de relevante interesse cultural e patrimônio imaterial de Minas Gerais. A lei foi publicada no Diário Oficial do Estado no dia 12 de janeiro desse ano e prevê que o Poder Executivo adote medidas cabíveis para o registro do bem cultural.

Atenção na estrada

A Polícia Rodoviária Federal atuará com um reforço maior esse ano em relação a 2017. Segundo a inspetora Jane Santos, serão duas equipes de ronda, mais de três radares, outra equipe focada na educação para o trânsito, além de policiais que acompanharão mais de perto o evento.

“Também daremos início à Operação Hermes que ocorrerá durante toda a festa. No trecho da BR-365 usaremos radares para coibir os motoristas em relação ao excesso de velocidade. O objetivo é educar esses motoristas a trafegar no limite da velocidade, respeitando os romeiros”, destacou Jane.

A PRF também orienta para que os romeiros adotem medidas de segurança durante a caminhada (veja abaixo).
 
Recomendações acatadas

O Dnit acatou as recomendadas feitas pelo Ministério Público Federal de Uberlândia, durante outra audiência, realizada no dia 2 de maio. Entre os pedidos estavam a instalação das estruturas sinalizadas a nove metros da borda da rodovia. Serão 15 barracas ao longo do trecho e até o momento, sete pedidos oficiais foram feitos. As pessoas que estão instalando barracas sem comunicar ao Dnit serão orientadas a passar pelo processo. O departamento também disse que reforçará a sinalização com uso de cones e que está providenciando uma licitação para contratar, pelos próximos cinco anos, a empresa que será responsável por sinalizar a via durante o período em que a festa ocorre.

A PRF também acatou algumas recomendações feitas pelo MPF, mas que só serão implementadas nos próximos anos. Uma delas é a cartilha educativa com orientações sobre segurança. Sobre a restrição do tráfego de veículos pesados no período da festa, a justificativa é que essa medida ocasionaria outros transtornos e como forma de amenizar o problema atuará com um efetivo maior na rodovia, inclusive com o uso de radares.

Recomendações da PRF
 
-Uso de roupas claras
-Colete refletivo
-Lanterna para sinalizar a rodovia. A luz não deve ser apontada em direção aos motoristas
-Caminhar em fila indiana, um atrás do outro
-Andar no contra fluxo dos veículos
-Redobrar a atenção em trechos com pontes e locais em que o acostamento é ruim
- Para quem vai dar apoio, não acompanhar os peregrinos ao longo do trajeto. O correto é prestar o apoio e esperar o romeiro mais à frente, deixando o veículo estacionado fora da pista
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »