09/07/2018 às 10h53min - Atualizada em 09/07/2018 às 10h53min

Motorista é preso com o carro cheio de droga até no teto

681 kg de maconha e skank vinham de Campo Grande e seriam vendidos em Uberlândia

NÚBIA MOTA | REPÓRTER
Maconha e skank foram distribuídos em 621 tabletes e sacos embalados a vácuo (Núbia Mota)
 “No carro, mal cabia o motorista”, disse o tenente Hector Bispo, da Polícia Militar que, ao lado das polícias Federal, Civil e Rodoviária Federal, formam a Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (Ficco), e participou da apreensão de 681 kg de maconha e skank, que percorreram 764 km entre Campo Grande (MS) até chegar em Uberlândia, em um carro de passeio abarrotado de droga até no teto. O Prisma branco, dirigido por um rapaz de 23 anos, foi localizado na entrada da cidade, na madrugada de domingo (8), estacionado no Posto Décio Parada Bonita, na BR-365.

A maconha foi distribuída em 621 tabletes, além de outros sacos onde foi embalado a vácuo o skank, também conhecido como supermaconha - uma droga produzida em laboratório feita pelo cruzamento de vários tipos de maconha e com o teor mais concentrado de THS.  Segundo o delegado da Polícia Federal, Carlos D’ângelo, o motorista do veículo disse, em depoimento, que receberia R$ 6 mil para trazer o material até Uberlândia, onde a droga seria vendida. O rapaz foi para Campo Grande de ônibus, mas disse não saber com quem pegou a encomenda e para quem entregaria. Ele é natural de São Paulo, mora em Uberlândia há vários anos, já foi preso outras vezes por tráfico de drogas e receptação e está detido no Presídio Professor Jacy de Assis.
 
Segundo o tenente Hector Bispo, que estava no exato momento da prisão do suspeito, a droga estava dividida entre o porta-malas do carro, nos bancos da frente e de trás, coberto por alguns tapetes. O motorista também jogou pó de café para disfarçar o cheiro da droga e do lado dele ainda tinha um galão de combustível, para o caso de entrar em uma estrada vicinal e precisar abastecer. “Com as informações que recebemos da Ficco e do Copom, abordamos o motorista assim que ele estacionou o carro e não teve como ele ter reação. Ele estava muito nervoso e não negou nada, porque a droga estava nítida demais”, disse o policial.

As policias passaram a noite de sábado (7) e madrugada de domingo (8) em todas as entradas de Uberlândia, observando os carros suspeitos, porque a denúncia não dava conta das características do veículo que trazia a droga e de onde ela vinha. Vários outros carros foram abordados. As investigações continuam para descobrir a origem da droga e o destino aqui dentro de Uberlândia. O Prisma branco, possivelmente, foi roubado.

Essa é a segunda maior grande apreensão de droga na cidade neste ano. No dia 13 de maio, foram apreendidos 1.112 kg de maconha, na MGC 497, no sentido Prata-Uberlândia, trazidos em uma Pajero. Duas pessoas foram presas e uma está foragida.
Segundo Carlos Dângelo, só neste ano, 6 toneladas de drogas já foram incineradas em Uberlândia. Em 2017, cerca de 12 toneladas também foram levadas para incineração, enquanto em Belo Horizonte, por exemplo,  1 tonelada foi queimada durante o mesmo período.
Uberlândia já é conhecida com rota e depósito de traficantes de droga, devido à localização privilegiada, com a malha viária que liga o município a várias partes do país.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »