30/05/2018 às 23h48min - Atualizada em 30/05/2018 às 23h48min

Campanha de vacinação é prorrogada até o dia 15

A campanha nacional de vacinação contra a Influenza foi prorrogada até o dia 15 de junho em 70 salas de saúde do Município. Quem faz parte do grupo de risco pode se vacinar nas Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF) e Unidades Básicas de Saúde (UBS), das 7h30 às 16h30, e nas Unidades de Atendimento Integrado (UAIs), exceto São Jorge e Morumbi, das 8h às 20h.

O término da vacinação estava programado para amanhã, mas em decorrência do impacto da paralisação dos caminhoneiros nos atendimentos voltados à imunização, o Ministério da Saúde fez a dilatação do prazo.
 

De acordo com a Prefeitura de Uberlândia, das 154 mil pessoas que devem se imunizar, cerca de 120 mil já receberam a dose. Em relação aos grupos prioritários, no entanto, apenas os idosos estão com mais de 90% da cobertura vacinal na cidade.

Segundo a coordenadora do Programa Municipal de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde, Cláubia Oliveira, a cobertura da vacina em Uberlândia está baixa e a Prefeitura ainda encontra dificuldades em atingir dois públicos específicos. “A menor procura é entre as crianças e as gestantes. Apenas 59% das crianças de 6 meses a menores de 5 anos tomaram a dose; ainda faltam quase 20 mil para se imunizar. E só 48% das gestantes se vacinaram”, disse.


No grupo prioritário entram idosos a partir dos 60 anos, crianças de 6 meses a menor de 5 anos, pessoas com comorbidades, gestantes, mulheres pós-parto até 45 dias, professores da rede pública e privada, profissionais da saúde, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.


A escolha dos grupos prioritários segue uma recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo Cláubia, esses grupos prioritários são escolhidos pelo grande fator de risco. “É importante vacinar essas pessoas. Na gestante, por exemplo, protege ela e o filho. Nós já tivemos quase 40 dias de campanha e vamos prorrogar mais 15. Mesmo quem trabalha consegue ir à UAI em algum horário, a vacinação está sendo feita até as 20h”, afirmou.


A vacina contra a Influenza protege contra três tipos de influenza: A/H1N1, A/H3N2 e B. A dose é considerada segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença, internações, ou até mesmo, óbitos.

Quem for vacinar deve levar um documento pessoal e o cartão de vacina. As gestantes também devem portar o cartão da gestante. Mulheres que estão de pós-parto até 45 dias devem levar um documento que comprove a gestação (cartão da gestante ou certidão de nascimento do filho), e os professores, profissionais da saúde e do sistema prisional devem portar um documento que comprove o vínculo profissional.

 

CASOS REGISTRADOS

 

O último boletim epidemiológico feito pela Secretaria de Estado de Saúde foi divulgado há duas semanas, na segunda-feira (14). Ele aponta o diagnóstico de 53 casos de Influenza em Minas Gerais, dos quais o subtipo A/H3N2 teve 33 confirmações, precedido do subtipo A/H1N1, com cinco casos, e o A não subtipado com 12 casos. Houve ainda três diagnósticos de Influenza B.

O boletim trouxe duas mortes por Influenza no Estado, uma em Paraguaçu (A/H3N2 sazonal) e uma em Uberlândia, não subtipada. Há uma segunda e terceira mortes suspeitas, que não foram confirmadas a tempo da divulgação no relatório. De acordo com a coordenadora de Imunização, as mortes registradas estavam dentro do grupo de risco.

No ano passado foram registradas 50 mortes por Influenza em Minas Gerais. Em 2016, pior ano da doença, o número de óbitos chegou a 291.

 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »