23/05/2018 às 21h35min - Atualizada em 23/05/2018 às 21h35min

Onda de protestos leva à falta de itens em supermercados e farmácias

MARIELY DALMÔNICA | REPÓRTER
Em Uberlândia diversos setores foram afetados no terceiro dia de bloqueios nas rodovias do Brasil | Foto: Núbia Mota
 
Graças a greve dos caminhoneiros que ocorre em todo o País desde segunda-feira (21), o abastecimento de alimentos, medicamentos e outros insumos também está comprometido. Milson Borges é vice-presidente regional da Associação Mineira de Supermercados (AMIS) e disse que algumas mercadorias já estão em falta. “Compramos semanalmente e estamos esperando itens que deviam ter chegado há dois dias. Os clientes já estão sentindo falta de alguns produtos nas prateleiras. Esperamos a sensibilização do Brasil para normalizar essa situação”, disse Borges.

Por meio de nota, a rede de supermercados Bretas lamentou que a paralisação esteja afetando o abastecimento das lojas, e “gerando transtornos aos clientes que infelizmente poderão não encontrar o produto que procuram. Estamos atentos, acompanhando de forma proativa a situação junto aos fornecedores e esperamos que o abastecimento seja rapidamente normalizado para que a população não seja prejudicada pela falta de itens de consumo diário.”

Cristiane Guimarães é farmacêutica e contou que alguns medicamentos e produtos da farmácia em que trabalha estão atrasados. “Tudo vem de Belo Horizonte. O que deveria chegar na segunda-feira, chegou na terça-feira, e os que deveriam ser entregues na quarta-feira estão presos na rodovia, junto com a paralisação”, afirmou.

A Prefeitura de Uberlândia divulgou uma nota informando que, devido à greve, alguns produtos como combustível para abastecimento de ambulâncias e do restante da frota, materiais de limpeza, merenda escolar, medicamentos e insumos hospitalares estão retidos nas rodovias brasileiras. A nota diz que “o prefeito Odelmo Leão determinou que as secretarias estejam atentas e administrem com ainda mais cautela os recursos existentes até que a situação seja normalizada.”

O Diário de Uberlândia também entrou em contato com a Ceasa Minas em Uberlândia e em Belo Horizonte, e informaram que não se posicionariam a respeito das manifestações.

NO AR

Não é só o transporte terrestre que está com problemas. Voar também está complicado. Há uma previsão de que os voos no aeroporto de Uberlândia possam ser afetados a partir de sexta-feira (25). Leia mais.

FIM DA GREVE

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, anunciou hoje à noite que vai reduzir preço do diesel em 10% nas refinarias, por 15 dias. A expectativa é de que a paralisação seja suspensa e, nos 15 dias em que vigorar a nova tarifa, governo e caminhoneiros encontrem uma solução definitiva. Leia mais.

Em outra ação, o juiz Marcelo Rebello, da 16ª Vara Federal do Distrito Federal, determinou hoje a liberação de algumas rodovias federais e autorizou o uso de força policial. Leia mais.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »