16/05/2018 às 16h12min - Atualizada em 16/05/2018 às 16h12min

Sem pagamento, funcionários do Hemocentro fazem protesto

MARIELY DALMÔNICA | REPÓRTER
 
Cerca de 30 funcionários do Hemocentro de Uberlândia fizeram uma manifestação na manhã de hoje para reivindicar o pagamento dos salários atrasados. Eles se vestiram de preto e entregaram folhetos com informações do ato aos doadores. O protesto faz parte de um ato unificado que aconteceu também em Belo Horizonte.

“Vivemos há dois anos com uma grande insegurança, estamos lutando para receber o nosso salário no quinto dia útil. Temos informações de que os policiais e os funcionários da Fhemig [Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais] receberam, mas e o restante dos servidores?”, questiona Marcela de Faria Moraes, delegada do Sindicato dos Profissionais em Enfermagem, Técnicos (Sindisaúde), em Uberlândia.

A delegada também disse que além do atraso e parcelamento dos salários, alguns benefícios, como a qualificação dos profissionais, foram cortados e não há reajuste salarial há cinco anos.

Patrícia de Almeida, assistente técnica do Hemominas, também participou da manifestação. “Estamos preocupando com a previdência e com a falta de atendimento no Ipsemg [Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais]. Se o pagamento não for feito, estamos cogitando uma greve a partir da próxima segunda-feira (21)”, afirmou.

O ato durou cerca de uma hora e o atendimento do Hemocentro funcionou normalmente. O Diário de Uberlândia entrou em contato com a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado de Fazenda e por meio de nota eles informaram que:

“A decisão de parcelar os salários dos servidores do Executivo Estadual (ativos e inativos) está atrelada à atual crise econômica que, inclusive, levou o governo de Minas Gerais, com aprovação da Assembleia Legislativa, a decretar estado de calamidade financeira. Portanto, as datas estabelecidas no parcelamento estão diretamente relacionadas à possibilidade real de desembolso do Tesouro Estadual, considerando-se a entrada de recursos, sempre priorizando o compromisso de pagamento da folha.

Diante disso, desde fevereiro de 2016, estes têm sido os critérios adotados:

- servidores com salário até R$ 3 mil líquidos (75% do funcionalismo) recebem integralmente em parcela única;
- servidores com salário até R$ 6 mil líquidos (17% do funcionalismo) recebem uma primeira parcela de R$ 3 mil e o restante na segunda parcela;
- servidores com salário acima de R$ 6 mil líquidos (8% do funcionalismo) recebem uma primeira parcela de R$ 3 mil, uma segunda parcela de R$ 3 mil e o restante na terceira parcela.

Quanto a alteração da data da primeira parcela do pagamento de abril, a decisão foi necessária tendo em vista a análise preliminar da lista de servidores com supostos acúmulos de função apontados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).”
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »