25/04/2018 às 11h48min - Atualizada em 25/04/2018 às 11h48min

Uberlandense Henrique Honorato é convocado para a Seleção

Esta é a primeira convocação do atacante para o time principal

ÉDER SOARES | REPÓRTER
Henrique Honorato atua no Minas Tênis Clube atualmente | Foto: Minas Tênis/Divulgação

Tem jogador uberlandense na lista de convocação do técnico Renan Dal Zotto da Seleção Brasileira de Vôlei, que disputará competições importantes no ano, como a Copa das Nações e Liga Mundial. O ponteiro Henrique Honorato, de 21 anos, é filho do técnico e coordenador da Academia do Vôlei, projeto revelador de talentos na cidade Manoel Honorato. Esta é a primeira convocação do atacante para o time principal do selecionado amarelo.

O atleta já é figurinha carimbada nas convocações das equipes de categorias de base. Atualmente, o uberlandense atua no Minas Tênis Clube pelo qual disputou a Superliga Masculina. O jogador já se apresentou no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV), em Saquarema, onde o time brasileiro iniciou os treinamentos visando às competições do ano.

Henrique garante que só acreditou na convocação assim que pisou no centro de treinamentos de Saquarema. “Só caiu a ficha quando comecei a treinar. Tenho muito que agradecer à Uberlândia, todas as escolinhas por onde passei e especialmente ao meu pai pelo aprendizado e por acreditar em mim. É um passo grande na minha carreira, mas tenho consciência que ainda tenho muito chão pela frente e preciso pensar em crescer, sempre”, disse Henrique Honorato.

Influenciado pelo pai, Honorato começou a jogar aos nove anos de idade, nas escolinhas dos poliesportivos Luizote, Planalto e Lagoinha. Entre 2010 e 2013, integrou a equipe de base do UTC. Entre 2013 e 2017 jogou pelo Uberlândia/Gabarito (Academia do Vôlei), além de defender diversas vezes a Seleção Mineira. Em 2017, foi contratado pelo Minas Tênis Clube, equipe de ponta que disputa a Superliga Masculina.

Orgulhoso do filho, Manoel Honorato entende que a convocação de Henrique pelo técnico de Renan Dal Zotto é fruto da dedicação e da boa formação de base que teve o ponteiro. “Sei que ele sempre correu atrás dos seus objetivos, então estar na seleção é uma consequência da dedicação dele. Procuro cada vez mais dar conselhos positivos, para que ele seja sempre um garoto muito querido por onde quer que passe”.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »