18/04/2018 às 18h23min - Atualizada em 18/04/2018 às 18h23min

Homem é suspeito de torturar esposa e sete filhos por 20 anos

MARIELY DALMÔNICA | REPÓRTER
Suspeito nega agressões, mas diz que irá procurar tratamento | Foto: Mariely Dalmônica
 
Um homem de 45 anos foi preso suspeito de agredir a esposa e os sete filhos durante mais de 20 anos. Após denúncia, a Polícia Civil o encontrou em sua própria casa, no bairro Tibery, zona leste da cidade, na noite de terça-feira (17). Até o momento, ele será indiciado por estupro e tortura, mas a polícia ainda irá ouvir outras vítimas, o que pode ampliar a quantidade de crimes no inquérito.

Durante coletiva de imprensa na tarde de hoje (18), a delegada Alessandra Rodrigues da Cunha contou que o homem era usuário de drogas e já havia sido preso em flagrante por lesão corporal no dia 6 de março, após denúncias dos vizinhos. Ele ficou na cadeia por três dias e a vítima procurou a Polícia Civil para desistir das medidas. “Achamos estranho porque a prisão aconteceu por fatos muito graves, mas a desistência dela não foi aceita”.

Os filhos mais velhos do casal, de 23, 20 e 18 anos, não moram mais com os pais, mas também sofreram torturas. O casal ainda tem filhos de 11, 9, 7 e 1 ano e outro de 11 meses, que segundo a delegada, eram agredidos pelo homem com murros, no caso do bebê, e cabos de vassoura e fios elétricos, no caso dos outros.

Ainda de acordo com a delegada, uma sobrinha da vítima, que ficou sabendo das agressões após relato do filho de 20 anos, procurou a delegacia e denunciou o caso. “Esse filho foi expulso de casa porque o pai descobriu que ele contou das agressões para a parente. A sobrinha disse que os oito [mãe e filhos] eram torturados, a tia também era estuprada e obrigada a usar cocaína”, contou.

Depois da denúncia, Alessandra pediu que a Patrulha de Prevenção à Violência Doméstica (PVD) buscasse a vítima em sua casa e a levasse até delegacia na segunda-feira (16). A delegada contou que a mulher, que tinha sinais de agressões e mordidas no rosto, só denunciou o marido após descobrir que havia uma casa-abrigo na cidade, onde ela e os filhos estariam protegidos.

A vítima relatou que é casada há 25 anos com o suspeito e que as agressões começaram após o segundo ano de casamento. “Ele a agredia com ferro, cabo de vassoura, empurrões, chutes, murros e a mantinha em cárcere privado. Ele também comprava maquiagem para a vítima esconder os ferimentos”, disse. Ainda segundo a delegada, a família estava passando necessidades, mas o marido não permitia que a mulher aceitasse doações.

TORTURA

O filho de 11 anos do casal contou à polícia que o pai já chegou a pedir que ele batesse na mãe, o que foi recusado. “A criança também disse que o pai obrigava que ele e os dois irmãos mais novos se ajoelhassem de costas para apanhar sem chorar”, disse a delegada. O menino ainda relatou que pensava em formas de matar o pai, pois não aguentava mais ver a mãe e os irmãos serem agredidos.

De acordo com a delegada, as outras vítimas ainda serão interrogadas para que seja possível saber a totalidade de crimes pelos quais o homem será denunciado, o que já inclui tortura e estupro.

O suspeito foi apresentado na delegacia e negou as acusações. Ele apenas disse que surtou durante os dias que ficou preso e contou que vai procurar um tratamento para melhorar e tentar reatar com a esposa.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »