12/04/2018 às 05h32min - Atualizada em 12/04/2018 às 05h32min

Trânsito é interditado hoje para demolição de viaduto

Fluxo sofrerá alterações por ao menos 6 meses para execução da obra

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
Pilastra do viaduto Virgílio Mineiro impossibilita ampliação de pista da BR-365 | Foto: Vinícius Lemos

Começa nesta quinta-feira (12) o fechamento do trânsito rodoviário e urbano no entorno do viaduto Virgílio Mineiro, na rua Rio Grande do Sul, sobre a BR-365, para o início dos trabalhos de demolição e reconstrução da estrutura. O objetivo da obra é reorganizar as faixas de rolagem da rodovia, que são divididas por um dos pilares do viaduto. O valor da nova obra ficará em R$ 5,2 milhões, mas o empenho até agora não atinge o valor integral.

A PRF comunicou que a interdição do trânsito começa às 9h desta quinta, para o fluxo urbano. O tráfego rodoviário será interditado na sexta (13).

O fluxo será contido entre o Viaduto Paschoaline Felice (trevo de saída para Prata) e o Viaduto Regis Bittencourt (trevo saída para Araguari), para a demolição do Virgílio Mineiro.

Após a demolição, que termina domingo (15), o trânsito será liberado, com eventuais restrições locais devidamente sinalizadas, até a conclusão da reconstrução da estrutura.

A Settran também reorganizará o trânsito com rotas alternativas (veja abaixo).

OBRAS

A responsabilidade da execução das obras é da construtora Gomes Lourenço S/A, contratada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). A demolição do atual viaduto, que liga os bairros Brasil e Marta Helena, vai acontecer a partir de amanhã. Posteriormente segue a construção da nova obra de arte, que, como informou o Dnit, terá o gabarito de seus pilares refeito, “a fim de permitir a implantação das quatro faixas de rolamento da BR-365”.

O novo viaduto será semelhante ao atual, mas com largura diferente entre os pilares. Embaixo do viaduto será concluída a duplicação da BR-365, e em cima continuará pista simples.

Em reunião realizada no início do mês, foram definidas as diretrizes do trabalho. Participaram do encontro representantes do Dnit, Polícia Rodoviária Federal (PRF), da construtora Gomes Lourenço, Secretaria de Trânsito e Transportes e do Ministério Público Federal (MPF), sendo que este acompanha a execução do cronograma. A ata desta reunião informa que do total a ser gasto com a edificação, pouco mais de R$ 4 milhões já estão empenhados e que até maio deste ano há “previsão de suplementação orçamentária no valor de R$ 5,5 milhões”.

O secretário de Trânsito e Transportes, Paulo Sérgio Ferreira, disse ao Diário de Uberlândia que espera que não haja atrasos na obra, como já aconteceu em intervenções na BR-365. “Nossa preocupação é que a obra não se alongue e que o Governo Federal libere os valores para a execução do viaduto”, disse em relação aos transtornos que o projeto pode trazer.

PACOTE

A intervenção no viaduto faz parte de um pacote de obras no trecho urbano da rodovia que ainda inclui outros projetos. São eles: a passagem inferior na avenida Amazonas, a reconstrução do viaduto da avenida Monsenhor Eduardo sobre a BR-365, as trincheiras do trevo Oswaldo de Oliveira e entre os bairros Taiaman e Dona Zulmira, na zona oeste.

Entretanto, não existe previsão para que os demais projetos sejam executados devido à falta de orçamento. Não há consenso do valor a ser gasto nas demais obras e o orçamento estimado varia entre R$ 44 milhões e R$ 69 milhões.

POPULAÇÃO

Moradores das redondezas do viaduto Virgílio Mineiro estão cientes dos incômodos e esperam que haja a execução da obra com rapidez, ainda que vejam com desconfiança os prazos.

Dono de um salão na rua Rio Grande do Sul, a poucas quadras do elevado, o cabeleireiro José Roberto da Silva tem medo de que haja atrasos e que os desvios diminuam o fluxo de pessoas em seu estabelecimento. “Posso perder clientes, ainda mais se a obra enrolar. Mas é esperar pra ver, não tem alternativa. Se for para melhorar o trânsito, que seja rápido”, afirmou.
 
ROTAS ALTERNATIVAS

Trânsito próximo ao viaduto durante os trabalhos de demolição

- Motoristas que trafegam pela avenida Professora Minervina Cândida Oliveira deverão utilizar a alça da avenida Monsenhor Eduardo, passando pela avenida Amazonas e pela rua São Paulo, para retornar à marginal da BR-365.

- Motoristas que trafegam pela avenida Paulo Roberto Cunha Santos deverão seguir pela rua Natal de Oliveira Marquez, passando pela avenida Monsenhor Eduardo e utilizando sua alça, para retornar à marginal da BR-365.
 
Trânsito urbano até a construção de um novo viaduto (ao menos 6 meses)

- Motoristas que trafegam no sentido bairro Brasil - Marta Helena devem utilizar o viaduto da avenida Monsenhor Eduardo ou a trincheira da rua Claudemiro José de Souza.

- Motoristas que trafegam no sentido bairro Marta Helena - Brasil devem utilizar o viaduto da avenida Monsenhor Eduardo ou a trincheira da rua Alagoas.
 
Transporte coletivo a partir de hoje

- As linhas A109 (Marta Helena-Terminal Central) e B908 (Cruzeiro do Sul-Terminal Central) terão o itinerário modificado para atravessar a BR-365 pelo viaduto da avenida Monsenhor Eduardo.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »