10/04/2018 às 05h54min - Atualizada em 10/04/2018 às 05h54min

Maioria dos deputados de Uberlândia mudou de partido

Cinco dos sete representantes de Uberlândia disputará eleição por nova legenda

WALACE TORRES | EDITOR

A expectativa de aumentar as chances de conseguir um novo mandato parlamentar provocou um verdadeiro troca-troca de partidos na reta final de filiação visando as eleições deste ano. Dos sete deputados que hoje representam Uberlândia, cinco estão em legendas diferentes das quais foram eleitos há quatro anos. Considerando todo o mandato, há casos de deputados que mudaram duas vezes de partido desde 2014.

O prazo de filiação para quem pretende disputar as eleições venceu no último sábado (7), mas o quadro real de representatividade partidária só será conhecido após o dia 13 de abril, que é a data limite para que os partidos entreguem à Justiça Eleitoral a lista atualizada de filiados.

Dentre os cinco deputados da cidade na Assembleia Legislativa, três vão tentar um novo mandato por novas legendas. Elismar Prado é o que mais trocas efetivou ao longo do mandato. Eleito pelo PT, ele passou o último ano no PDT e agora se filiou ao PROS, onde tentará a reeleição.

Felipe Attiê foi eleito pelo PP e ainda na primeira metade do mandato migrou para o PTB. “A mudança foi uma questão estratégica para as eleições municipais (em 2016)”, diz Attiê, que agora tentará o cargo de deputado federal. “Estou subindo a escada natural da vida. Tem muita gente que está embarcando numa aventura”, cita o deputado, prevendo uma eleição bem apertada em Uberlândia, com muitos candidatos da cidade disputando votos no mesmo nicho eleitoral. “Tem que tomar cuidado porque Uberlândia tem perdido representação federal ao longo dos últimos anos”.

Arnaldo Silva deixou o PR e disputará a reeleição pelo DEM. A mudança ocorreu na última semana, motivada pela conjuntura política em Uberlândia e região. “Eu sempre fui voto vencido dentro do PR na questão de continuar ou não na base do governo”, diz Arnaldo, que estava numa legenda aliada ao governador Fernando Pimentel (PT), do qual seu grupo em Uberlândia - liderado pelo prefeito Odelmo Leão (PP) - é adversário. “Busquei um caminho que tivesse alinhamento político mais focado num outro norte eleitoral”, completa.

Os deputados estaduais Luiz Humberto Carneiro (PSDB) e Leonídio Bouças (PMDB) são os únicos que se mantiveram nas mesmas legendas.
 
FEDERAIS
 
Já na esfera federal, os dois representantes de Uberlândia vão tentar um novo mandato por agremiações diferentes. Eleito pelo PT em 2014, Weliton Prado chegou a se filiar ao PMB, mas agora irá disputar a reeleição pelo PROS. “Eu mantive minha linha de atuação, mas quando teve o ajuste fiscal, saí do PT. A ida para o PMB foi uma transição”, diz Weliton, se referindo à brecha na legislação que permite a mudança para um partido recém-criado sem o risco de perder o mandato. Já a filiação ao PROS foi mais estratégia de eleição. O partido tem apenas ele e Eros Biondini como federais em Minas e não deverá fazer coligação proporcional. “O PROS tem condições de eleger novos deputados com votação bem menor que outros partidos”, diz Weliton que estima serem necessários 42 mil votos para eleger um deputado federal no partido, considerando o potencial de votação mais expressivo dos dois cabeças de chapa.

O deputado federal Tenente Lúcio também mudou de legenda depois de fazer as contas e analisar as chances numa chapa com margem de votos mais baixa. Eleito em 2014 pelo PSB, ele agora irá tentar a reeleição no PR. “O PSB fará coligação com o PDT. É uma chapa que já tem quatro candidatos com média de 90 mil votos. Será difícil de reeleger. No PR, consegue eleger com até 75 mil votos”, avalia Lúcio, citando que o novo partido também se encaixa melhor com seu perfil político. “Eu tenho uma ligação com o Exército e estava num partido socialista. Não estava batendo”, diz.
 
TROCA DE PARTIDOS 

Deputados federais

Tenente Lúcio – trocou o PSB pelo PR
Weliton – eleito pelo PT, migrou para o PMB e agora está no PROS
 
Deputados estaduais

Arnaldo Silva – Trocou o PR pelo DEM
Elismar Prado – eleito no PT, foi para o PDT e agora se filiou no PROS
Felipe Attiê – trocou o PP pelo PTB
Leonídio Bouças – permanece no PMDB
Luiz Humberto Carneiro – permanece no PSDB
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »