22/03/2018 às 19h06min - Atualizada em 22/03/2018 às 19h06min

Uberlândia lança campanha de vacinação em escolas

Ação pretende imunizar mais de 50 mil adolescentes em cerca de 80 unidades

MARIELY DALMÔNICA | REPÓRTER
Secretário de Saúde, Gladstone Rodrigues, anuncia início da campanha para a próxima segunda-feira | Foto: Valter de Paula/Secom

Mesmo que as vacinas contra HPV e Meningite C estejam disponíveis durante o ano nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de todo o Brasil, a cobertura vacinal ainda é muito baixa no País. Somente em Uberlândia, segundo a Superintendência Regional de Saúde de Uberlândia (SRS), cerca de 57 mil adolescentes ainda não foram vacinados. Para ampliar o quadro de imunização deste público, a Prefeitura de Uberlândia lançou na manhã de hoje uma campanha de multivacinação nas escolas da cidade.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Gladstone Rodrigues, o objetivo da campanha, que terá início na segunda-feira (26), é mobilizar a população, que, além das doses contra HPV e Meningite C, terá acesso à vacina Tríplice Viral, contra sarampo, caxumba e rubéola.

A vacina de HPV deve ser aplicada em meninas entre 9 e 14 anos, e em meninos de 11 a 14 anos. Estudantes com 15 anos que não tomaram a segunda dose também poderão se imunizar. Já a vacina contra a Meningite C é destinada a adolescentes entre 11 e 14 anos, e a Tríplice Viral, para pessoas entre 12 meses e 29 anos.

Segundo Cláubia Oliveira, coordenadora do Programa de Imunização, as vacinas serão aplicadas em 53 escolas municipais e em 31 estaduais para facilitar o acesso dos adolescentes. “Vamos fazer com que os jovens entendam a importância de se imunizar”, explicou.
 
INFLUENZA
 
A Prefeitura informou hoje que a campanha de vacinação também irá focar na imunização contra a influenza, de 16 de abril a 25 de maio, nas 70 salas de vacina do município. O Dia D da campanha contra a Influenza será em 5 de maio.

O foco será em pessoas acima de 60 anos de idade, gestantes, puérperas, crianças de seis meses a menores de cinco anos, portadores de comorbidades clínicas, trabalhadores de saúde que atuam em serviços com atendimento público e professores.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »