19/03/2018 às 19h07min - Atualizada em 19/03/2018 às 19h07min

DEM lança pré-candidato ao governo do Estado

Com Rodrigo Pacheco e Rodrigo Maia pré-candidatos, partido se descola de tucanos no Estado

CAROLINA LINHARES | FOLHAPRESS

Lideranças do Democratas lançaram nesta segunda (19), em Belo Horizonte, a dobradinha Rodrigo-Rodrigo para as eleições deste ano - Maia, presidente da Câmara, para o Planalto e Pacheco, deputado federal, para o governo de Minas Gerais.

Pacheco, ex-MDB, assinou sua filiação ao DEM durante a solenidade. "Vou levar o nome de Maia aos 853 municípios de Minas, é um compromisso público que eu assumo", afirmou Pacheco ao lado do presidente da Câmara.

Em seus discursos, ambos defenderam renovação, corte de gastos e enxugamento da máquina pública, enfatizando a crise econômica que Minas Gerais vive atualmente.

Pacheco, que desejava o apoio dos tucanos em Minas, mas deve ter o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) como adversário, deu um recado ao aliado histórico ao afirmar que o passado deve ser respeitado, mas Minas deve olhar para o futuro.

Anastasia foi governador de Minas Gerais entre 2010 e 2014. Em entrevista à imprensa, Pacheco afirmou que a fala não foi uma referência ao senador.

Com a decisão de Anastasia de aceitar construir sua candidatura no estado, Pacheco perde o protagonismo na oposição ao governador Fernando Pimentel (PT), que tentará a reeleição.

Próximo de Anastasia, Pacheco voltou a negar a possibilidade de formarem uma chapa juntos. Questionado sobre a possível divisão de votos de eleitores contrários ao PT, o deputado disse ter direito de concorrer.

"Há um anseio comum dos mineiros hoje e é a esperança de mudar. Quanto à divisão de propostas e propósitos, considero natural. Eu mantenho meu conceito em relação a Anastasia, que é o melhor possível, mas eu tenho direito de dar a Minas uma oportunidade de uma alternativa."

O presidente do PSDB de Minas, deputado federal Domingos Sávio, esteve presente e pregou união.  "Caminhamos juntos em momentos decisivos e é hora de reconstruir. Os nossos ideais nos manterão unidos."
 
CRISE E RENOVAÇÃO
 
Maia enfatizou a importância do diálogo para enfrentar o colapso financeiro dos estados, já sentido em Minas Gerais e no Rio de Janeiro.

"Aquela política radicalizada e polarizada gerou esse estado onde ficou impossível repactuar acordos mínimos para a sociedade", disse.

Maia afirmou ainda que o estado brasileiro está grande demais, defendendo redução de despesas, segurança jurídica para o setor privado e investimento em emprego e educação.

O presidente da Câmara iniciou suas viagens de campanha pela Paraíba, na última semana, e admitiu sua imagem sisuda.

"Falam que eu tenho que abraçar mais, que eu sorrio pouco. Eu vou ser o que sempre fui: um político mais fechado e que fala a verdade."

Em seu discurso, o presidente do DEM e prefeito de Salvador, ACM Neto, afirmou que o partido passa por um momento de refundação em todo o país.

"O partido sempre desejou apresentar candidato próprio à Presidência da República. [...] Temos nos organizado em todo o Brasil, temos recebido lideranças. E na figura de Rodrigo Pacheco posso apontar esse novo Democratas que se apresenta aos brasileiros", disse.

ACM Neto afirmou ainda que a candidatura de Pacheco será prioridade do DEM nas eleições estaduais e que ele terá liberdade nas articulações políticas.
Maia e ACM Neto não deram entrevistas à imprensa.

Lideranças do PP, PSB, PPS, PMB, Avante e Patriota também discursaram em apoio a Pacheco.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »