14/03/2018 às 17h50min - Atualizada em 14/03/2018 às 17h50min

Empresa anuncia reparos em mineroduto rompido

DA REDAÇÃO
Despejo de polpa de minério em rio interrompeu captação de água em cidade | Foto: MPMG/Divulgação
A mineradora Anglo American anunciou ontem medidas para reparar o rompimento de um mineroduto em Santo Antônio do Grama, na Zona da Mata, como filtros e uma nova adutora.

A captação de água na cidade está interrompida desde as 10h de segunda (12). A tubulação rompeu às 7h42 na zona rural do município, derramando 300 toneladas de polpa de minério de ferro no ribeirão Santo Antônio.

O Ministério Público Federal instaurou um inquérito civil para investigar as causas do rompimento e os responsáveis. Foram solicitadas informações ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), à Copasa (estatal de fornecimento de água) e à Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais.

Segundo a Anglo American, a situação está controlada e o vazamento foi estancado. O despejo de polpa de minério de ferro no rio durou 25 minutos -depois disso, afirma a mineradora, somente água foi bombeada na tubulação por cerca de 11 horas.

Ainda de acordo com a empresa, a polpa, formada de minério de ferro (70%) e água (30%), é classificada como resíduo não perigoso pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Dentre as medidas anunciadas pela mineradora estão implantação de filtros ao longo do rio para conter sedimentos, construção de uma bacia de contenção e monitoramento da qualidade da água em 30 locais. A tubulação danificada também está sendo reparada.

Quanto ao abastecimento de água, a Copasa e a Anglo American decidiram construir uma adutora no Ribeirão Salgado, para que Santo Antônio do Grama tenha uma fonte alternativa de captação. A obra deve ser entregue em três dias.

A mineradora enviou ontem nove caminhões-pipa para os moradores da cidade. Na segunda, dois dos três caminhões enviados não puderam ser usados por má qualidade da água.

Em nota, a empresa afirma: "Todas as medidas estão sendo tomadas de forma transparente e dentro dos mais elevados padrões de segurança, de forma a minimizar transtornos às pessoas e ao meio ambiente".

O mineroduto liga uma mina em Conceição do Mato Dentro (MG) ao Porto do Açu, no litoral norte do Rio. O projeto foi idealizado pelo empresário Eike Batista, mas vendido à Anglo American em 2008.

Com 525 quilômetros de extensão, o mineroduto Minas-Rio corta 32 municípios em Minas e no Rio. A tubulação foi inaugurada em 2014.

MPMG

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) ajuizou ontem Ação Civil Pública contra a Anglo American Minério. O órgão requer a adoção de medidas emergenciais pela empresa em virtude do rompimento do mineroduto Minas-Rio.

O MPMG pede também o imediato bloqueio de R$ 10 milhões da mineradora. O objetivo é garantir a reparação e indenização dos danos sociais e ambientais causados.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »