19/02/2018 às 19h00min - Atualizada em 19/02/2018 às 19h00min

Salas VIP chegam aos cinemas de Uberlândia

Rede Cinépolis inaugurou o novo espaço com serviços exclusivos para quem busca novas experiências

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER

Uberlândia é a primeira cidade de Minas Gerais a receber as salas vip do complexo / Foto: Dia D Filmes/Divulgação

Com um investimento de R$ 6 milhões Uberlândia se tornou a primeira cidade de Minas Gerais a receber salas tipo VIP da rede de cinemas Cinépolis. A aposta pode ser considerada alta por parte da empresa mexicana, tanto em gasto para implantação quanto no tipo de serviço ofertado, que inclui regalias como garçom e exclusividade de atendimento, além do cardápio que oferece produtos cujo custo beira uma centena de reais. Ao mesmo tempo, é um movimento de diversificação dentro do próprio negócio, que hoje conta com duas cadeias de cinema na cidade.

São duas novas salas que fizeram com que o complexo da Cinépolis voltasse a ter dez telas de exibição em Uberlândia, depois de alguns anos. O retorno financeiro delas ao grupo, entretanto, é algo que o presidente da Cinépolis Brasil, Luiz Gonzaga Assis de Luca, evita precisar durante a entrevista que concedeu ao jornal Diário de Uberlândia durante a inauguração das salas na sexta-feira (16). Ele prefere dizer que existe expectativa de retorno em longo prazo. O que não é uma exclusividade de Uberlândia, segundo Gonzaga, uma vez que a exibição de filmes é vista por ele como um tipo de negócio de risco em todo o Brasil. Risco que pode ser chamado de calculado, ao juntar oportunidade e visão sobre o mercado local. “Temos pesquisas socioculturais de Uberlândia. As salas vip são sucesso em cidade como Teresina (PI), Natal (RN), Manaus (AM). Quando você olha PIB per capta e concentração de riqueza, nível cultural, Uberlândia tem resultado até melhores que em cidades nas quais já existe a vip. Se deram certo ali, poderão dar certo aqui”, disse Gonzaga.

O fato da cidade ter sido escolhida antes mesmo de Belo Horizonte, também está ligada a uma questão de oportunidade. De acordo com a empresa, a localização do multiplex local é melhor que a presença da cadeia na capital mineira.
Interior

A entrada no interior dos Estados não se trata de uma estratégia traçada pela empresa, como explicou o presidente. As deficiências do próprio mercado é que promoveram esse tipo investimento para além das capitais. A Cinépolis Brasil, por exemplo, hoje atua também em cidade de 150 a 200 mil habitantes e o objetivo é chegar a centros urbanos menores, de até 100 mil habitantes. É um campo aberto a ser explorado, visto que o número de salas no País poderia dobrar para atender à demanda brasileira. As hoje pouco mais de 3,1 mil telas poderiam chegar a 7 mil delas, na opinião de Gonzaga. “O México tem metade da nossa população e o dobro de salas. O circuito exibidor brasileiro é desorganizado e muitas vezes advém de circuitos antigos. As deficiências promovem regionalização. Nós estamos há sete anos no Brasil e a deficiência no Norte e Nordeste era tão grande que nesses sete anos somos os maiores lá. Tivemos oportunidades e fomos”, afirmou.

DIVERSIFICAÇÃO

Para assistir a um filme em uma sala vip em Uberlândia, o cinéfilo vai ter que desembolsar R$ 47 em uma entrada inteira em um filme sem a tecnologia 3D, durante o final de semana. O que, segundo a Cinépolis, é compensado pela experiência que o serviço e a estrutura oferecidos proporcionam.

O atendimento, à primeira vista, realmente é diferente do que se tem em uma sessão comum, com acesso às salas, lobby e bombonière exclusivos. O atendimento pode acontecer ainda dentro das salas, onde os clientes poderão ser servidos em suas poltronas até o início do filme, solicitando quaisquer serviços da bombonière. O cardápio oferece produtos além dos tradicionais lanchinhos e pipoca, com a inclusão de wraps, churros, crepes, sanduíches, pizzas, cafés, cervejas e até vinhos e espumante. Caso o cliente esteja interessado em comprar produtos tradicionais, um combo família com pipoca, nachos, refrigerante e um doce sai a R$ 72. O wrap de salmão sai a R$ 33, enquanto o mineiro pão de queijo com café é vendido a R$ 19. Já o espumante pode chegar a R$ 95.

Os filmes exibidos nessas salas também são pensados de maneira diferente, segundo a empresa. A programação é de filmes que teriam vida curta em uma sala comum, com menor apelo puramente comercial e exibidos com legendas, evitando as dublagens, as quais a Cinépolis aponta terem demanda de 80% da plateia geral. “O vip, contudo, não atende o luxo. Ele busca o sujeito que está que está bem confortável em casa, e não vai sair apenas por conta da projeção e do som, porque isso você consegue em casa. Vai ser pelo conforto e do serviço, para criar uma experiência”, afirmou o presidente da empresa no Brasil, Luiz Gonzaga Assis.

POLTRONAS E USB

O projeto das duas salas vip contempla projeção digital em 2D e 3D, com mais de 90 lugares em cada uma, com formato stadium, poltronas de couro com comando elétrico e totalmente reclináveis, braço removível (tipo namoradeira) e som digital biamplificado. A novidade para Uberlândia é que em todas as poltronas há entrada USB para carregar celulares e tablets. O que pode gerar o desconforto destes aparelhos serem usados durante o filme e a luz atrapalhar a exibição. Ambas as salas têm saída exclusiva para a área gastronômica do Center Shopping no segundo piso.

O superintendente do Center Shopping, Thiago Castro, também destacou como o Center Shopping ao longo dos seus 25 anos, vem se destacando pelo pioneirismo na região. “A chegada destas salas vip ao Cinépolis no Center Shopping é mais um diferencial exclusivo que oferecemos à cidade e à região. Assim seguimos com a nossa determinação de fazer mais e melhor, mantendo sempre atualizadas nossas opções de lazer, lojas e serviços”, afirmou.

Tags »
Notícias Relacionadas »