15/02/2018 às 05h44min - Atualizada em 15/02/2018 às 05h44min

Mais quatro macacos são achados mortos na cidade

Análise vai indicar se animais tinham ou não o vírus da febre amarela

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
Postos volantes de vacinação contra Febre Amarela funcionaram entre 5 e 9 deste mês / Foto: Araípedes Luz/Secom/PMU

Desde a última semana, quatro macacos mortos foram em encontrados em Uberlândia. Os animais foram recolhidos pela Prefeitura para que passem por análise que indicará se eles tinham ou não febre amarela. Os primatas não transmitem a doença para humanos e as mortes são indicativos importantes da possível circulação do vírus. A Prefeitura informou que fará a chamado bloqueio nas áreas onde os animais foram encontrados.

O último macaco morto recolhido estava no bairro Marta Helena, zona norte da cidade, na manhã de ontem. Na terça-feira (13), outros dois primatas foram achados pela população nos bairros Chácara Tubalina e Dona Zulmira, ambos na zona oeste. No dia 8, um morador da região do Rio das Pedras, zona rural na saída de Uberlândia para Monte Alegre de Minas, entrou em contato com o Centro de Controle de Zoonoses (CZZ) informando que um pequeno primata foi encontrado quase morto. O animal acabou morrendo e foi recolhido na manhã seguinte.

Em nota, a Secretaria de Saúde informou que “assim que tomou conhecimento dos fatos, enviou equipes do Centro de Controle de Zoonoses para recolher os animais e tomar as medidas necessárias”. O texto ainda informa que “possui um cronograma estratégico de ações a serem executadas em casos desta natureza, a fim de garantir a saúde de toda a população” e que agentes do Município irão intensificar visitas às residências aplicando inseticidas, catalogando quais moradores ainda não foram imunizados e orientando estas pessoas sobre os locais onde é possível se vacinar.

FEBRE AMARELA

Os animais mortos serão enviados para Belo Horizonte, onde será analisada a causa da morte e se houve infecção com o vírus da febre amarela. O resultado pode demorar mais de 30 dias.

Em Uberlândia, apenas um caso de primata morto em decorrência da febre amarela foi confirmado. O animal foi achado morto em novembro de 2017, no bairro Lídice, setor central, mas a divulgação da confirmação veio no fim de janeiro, por parte da Prefeitura.

A cidade não tem nenhum registro da doença em humanos até o momento.

IMUNIZAÇÃO

Vacinação extra distribuiu 4 mil doses

Por causa da confirmação da morte por febre amarela do macaco encontrado em novembro, a Secretaria de Saúde intensificou a vacinação contra a febre amarela em Uberlândia. Ao todo, 4 mil doses extras foram aplicadas nos postos de vacinação temporários montados no Terminal Central do transporte coletivo e também no Parque do Sabiá. Os postos ficaram nos dois locais entre os dias 5 e 9 de fevereiro.

A Prefeitura informou que considera o número expressivo, mas que uma parcela da comunidade ainda precisa se proteger. “Tivemos uma boa adesão, mas sabemos que ainda temos pessoas que não estão vacinadas. A doença é grave e queremos garantir a proteção de todos”, comentou a coordenadora do Programa de Imunização, Cláubia Oliveira, em informe do Município.

A vacinação continua nas 70 salas de vacina dentro do perímetro urbano, incluindo nas Unidades de Atendimento Integrado (UAIs), que realizam o atendimento até as 20h. Considerando o resultado da vacinação extra, a cidade deve melhorar o índice de cobertura vacinal, que até na última semana era de 87%. O preconizado é de pelo menos 95% da população. Uma dose da vacina é considerada suficiente.

ZONA RURAL

Com o fim do Carnaval, a zona rural vai entrar no foco das ações do Programa de Imunização. Para certificar que toda a população está protegida, será feira uma averiguação do cartão de vacina. A varredura acontecerá a partir do dia 17 de fevereiro, quando as equipes realizarão a visita de fazenda em fazenda. A atividade desse ano é considerada uma ampliação da ação que aconteceu no ano passado, quando os moradores das propriedades rurais tiveram os cartões de vacina verificados.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »