23/01/2018 às 18h47min - Atualizada em 23/01/2018 às 18h47min

Sobe para 25 os casos de óbito por febre amarela em Minas

DA REDAÇÃO
 
Chegou a 25 o número de pessoas que morreram por causa da febre amarela em Minas Gerais, segundo o último balanço divulgado hoje pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). De acordo com o boletim, outras 22 pessoas estão internadas com caso confirmado da doença no estado e há mais 99 casos em investigação, sendo que desse total, 12 pessoas morreram, mas ainda está sendo investigado se a causa foi febre amarela.

Conforme a SES, do total de casos confirmados, 44 (93,6%) são do sexo masculino e três (6,4%) do sexo feminino. Todos os casos foram confirmados laboratorialmente. Até o momento, não há relato de vacinação para a Febre Amarela entre os casos confirmados. A mediana de idade dos casos confirmados é de 46 anos (15 – 88 anos). A letalidade por febre amarela em Minas Gerais no período de 2017/2018 é de aproximadamente 53,2%

Os óbitos foram registrados nas cidades de Poço Fundo (1), Belo Horizonte (2), Brumadinho (1), Caeté (1), Mariana (4), Mateus Leme (1), Nova Lima (6), Rio Acima (1), Carmo da Mata (1), Barão de Cocais (1), Santa Bárbara (1), Goianá (1), Mar de Espanha (1), Barra Longo (1), Porto Firme (1) e Viçosa (1).

Atualmente, a cobertura vacinal acumulada de febre amarela no Estado de Minas Gerais está em torno de 82%. Ainda há uma estimativa de 3.522.381 não vacinados, especialmente na faixa-etária de 15 a 59 anos, que também foi a mais acometida pela epidemia de febre amarela silvestre ocorrida em 2017. Entre os 853 municípios do estado, 39,39% (336) delas não alcançaram 80% de cobertura vacinal; outros 32,71% (279) dos municípios têm entre 80% e 94,9% de seus moradores vacinados; com mais de 95%, estão 27,90% (238) das cidades mineiras com recomendação de vacina.

LEITOS EXTRAS

Na semana passada, foi publicada no Diário Oficial a resolução da SES que prevê a autorização de repasse de recursos financeiros visando à disponibilização de novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva ou Semi-Intensiva e leitos de Clínica Médica no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) de Minas Gerais para atendimento de casos suspeitos ou confirmados de Febre Amarela.

A resolução, que a princípio terá vigência de três meses a partir da data de publicação, englobará os municípios que possuem casos suspeitos e confirmados da doença, de acordo com a situação epidemiológica dos mesmos. Os leitos são adicionais aqueles já habilitados para o SUS pelo Ministério da Saúde em Minas Gerais e que já estão em funcionamento no estado.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »