15/01/2018 às 19h27min - Atualizada em 15/01/2018 às 19h27min

Orçamento da UFU cresce 4,5% e chega a R$ 1,019 bilhão em 2018

Valor para o Hospital de Clínicas também teve acréscimo e será de R$ 321,1 mi

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
Orçamento deste ano teve acréscimo de 4,5% / Foto: Vinícius Lemos

O orçamento da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) cresceu cerca de 4,5%, e a instituição terá um total de R$ 1,019 bilhão para administrar em 2018. Contudo, mais de 80% dos repasses previstos para esse ano estão vinculados às despesas com pessoal e encargos sociais, enquanto apenas 2% do montante é destinado a investimentos. O orçamento do Hospital de Clínicas (HC-UFU) também cresceu neste ano e vai chegar a R$ 321,1 milhões.

Os valores foram publicados hoje no Diário Oficial da União (DOU). Se somados os montantes da UFU com o do Hospital de Clínicas, o valor é equivalente a mais de 50% de todo o orçamento do Município de Uberlândia, fixado em R$ 2,5 bilhões para 2018. Os aumentos são vistos pela universidade como naturais e necessários devido às necessidades da instituição.

Os cerca R$ 46 milhões extras para UFU neste ano, segundo o pró-reitor de Planejamento e Administração, Darizon de Andrade, serão aplicados como ajuda ao custeio. “Os recursos a mais são para pagar os serviços, que têm uma série de reajustes de um ano para o outro. O foco é manter o funcionamento normal da instituição”, disse.

Ainda que tenha uma folha que cubra a maior parte do dinheiro que será liberado para a universidade, o pró-reitor explicou que os cálculos de custeio e investimento são feitos separadamente. Dessa maneira, a instituição poderá aplicar R$ 24 milhões para expansões em diversas áreas da universidade, o que inclui não apenas obras, mas compras de livros, licenças de software, equipamentos para laboratórios e até mobiliário para salas novas em Monte Carmelo.

OBRAS PARALISADAS

No caso de Monte Carmelo, a obra de expansão do campus havia sido afetada depois que a UFU paralisou oito obras por falta de dinheiro, em julho de 2017. A pró-reitoria de Planejamento e Administração informou, contudo, que no final do ano cerca de R$ 5,6 milhões foram descentralizados por meio de pedidos e reuniões em Brasília entre União e o reitor Valder Steffen Júnior. O valor foi aplicado na retomada desses projetos. Entre eles também estava a finalização de um prédio para pesquisas no campus Umuarama.

Entretanto, valores do Plano de Desenvolvimento e Expansão, especificamente para obras, não estão contemplados no orçamento divulgado nesta segunda-feira.

PESSOAL

HC também tem grandes gastos com folha

O Hospital de Clínicas da UFU também tem a maior parte do orçamento comprometido com a folha de pagamento. Dos R$ 321,1 milhões a serem repassados à unidade médica e de ensino, 85% estão vinculados à despesa de pessoal e encargos sociais. Isso é equivalente a R$ 272,3 milhões de todo o dinheiro que entrará no hospital em 2018, de acordo com publicação no Diário Oficial da União de hoje. O percentual de investimentos é ainda menor que o da UFU, sendo que no HC não passa de 5% ou R$ 17,9 milhões.

Apesar disso, a Lei Orçamentária Anual destina um montante maior para o hospital escola neste ano do que em 2017, quando a previsão era de R$ 293 milhões. O crescimento foi de 9,5% aproximadamente. O que de acordo com o pró-reitor de Planejamento e Administração, Darizon de Andrade, deixa o início de 2018 com certa folga para o hospital se acrescentadas ações para ajudar a instituição ao longo do ano. “O HC entrou 2018 em condições mais favoráveis que em 2017. Não há dívidas com fornecedores ou Cemig. Além disso, o hospital terminou o ano com mais de R$ 14 milhões empenhados para materiais e medicamentos, o suficiente para tocar o HC até metade do ano com mais tranquilidade”, afirmou.

Segundo a diretoria do HC-UFU, a unidade tem déficit mensal de R$ 2,5 milhões. Os repasses federais para custeio são na ordem de R$ 10 milhões, enquanto os valores gastos por mês chegam a R$ 12,5 milhões em atendimentos.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »