09/01/2018 às 17h54min - Atualizada em 09/01/2018 às 17h54min

Após título, técnico renova com Tocantins

ÉDER SOARES | REPÓRTER
Guilherme Ferreira deverá comandar cinco equipes na região / Foto: Divulgação

O técnico Guilherme Ferreira renovou seu vínculo com o Tocantins por mais uma temporada. Este será o terceiro ano seguido de Guilherme no comando técnico e na gestão do Toca, que tentará nesta temporada o tricampeonato do Campeonato Amador, organizado pela Liga Uberlandense de Futebol (LUF). As datas do calendário do Amador serão divulgadas nos próximos dias pela diretoria de competições da LUF.

Depois de um 2016 de reestruturação e formatação de uma base, veio o bicampeonato para o Toca, num trabalho que foi além das quatro linhas. Guilherme tem qualificações no futebol profissional, com cursos na CBF e passagens como diretor e gestor de equipes profissionais como o CAP Uberlândia e Patrocinense.

Segundo o treinador, a semente plantada em 2016 foi fundamental para o sucesso e o título do Amador de Uberlândia em 2017. “Estou feliz com a renovação com o Tocantins, terceiro ano que vou trabalhar nesta equipe. No primeiro ano, o objetivo era classificar a equipe para a segunda fase, pois fazia dois anos que o time não se classificava. Com o nosso know how no futebol profissional, demos uma consultoria, no sentido de ajudar a diretoria. Conseguimos nos organizar dentro e fora de campo, em nível profissional, e conseguimos chegar nas semifinais e implementar um trabalho diferenciado”, disse Guilherme, que falou sobre o ano de 2017 e o título.

“Foi sensacional, pois fomos campões. Conseguimos manter grande parte do plantel e introduzir coisas novas em termos de estrutura. A diretoria entendeu que estamos no caminho certo. Para este ano, já começamos a trabalhar e a estrutura vem um pouco maior. Também conseguimos e estamos em negociação para manter boa parte do elenco e trazer algumas peças cruciais para compor o time”.

Guilherme Ferreira entende que sua experiência no futebol profissional foi determinante para ajudá-lo a abrir mercado no futebol amador de toda a região. “Foi um processo rápido de adaptação do profissional para o amador, que comecei em 2016. Este trabalho já rendeu frutos. Ano passado também conseguimos ser campeões no Regional de Patos de Minas, e tudo isso vem ajudando a abrir mercado”.

Nesta temporada, o treinador deverá comandar pelo menos cinco equipes do futebol amador na região do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. “Graças a Deus, em 2018, o telefone não para de tocar e deverei trabalhar em cinco competições pela região. Vamos dar sequência e caminhar nas duas áreas, na parte de treinamento técnico e tático das equipes, e com a experiência no profissional; fora de campo, ajudar na parte de consultoria e gestão do futebol”.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »