05/12/2017 às 16h39min - Atualizada em 05/12/2017 às 16h39min

Conferência no MUnA traz antropólogo da USP

José Guilherme Magnani encerra a série Diálogos Sobre espaço e Cultura

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
Professor José Guilherme Magnani durante aula aberta no Ibirapuera, em São Paulo / Foto: EA Feusp/Divulgação

 

Depois de uma série de conferências termina hoje o 1º Diálogos Sobre Espaço e Cultura em Uberlândia com a participação do professor da Universidade de São Paulo (USP), José Guilherme Magnani que abordará o tema “Espaço e cultura: poéticas da tessitura da cidade”. O encontro acontece a partir das 19h no auditório do Museu Universitário de Arte (MUnA) e está sujeito a lotação do espaço. Haverá emissão de certificados.

Magnani é coordenador do Laboratório do Núcleo de Antropologia Urbana (NAU) da USP e já esteve em Uberlândia, mas há muitos anos, por isso, durante a entrevista, também atualizou alguns dados da cidade com a repórter. “Os estudos que fazemos na NAU não são aplicados somente em São Paulo. Trabalhamos com um método etnográfico para identificação dos equipamentos culturais da cidade e como são usados pela população”, disse o professor que também é mestre em Sociologia pela Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales do Chile e tem doutorado em Ciências Humanas (Antropologia Social) pela USP.

Segundo Magnani, atualmente ainda se vê a antropologia como algo voltado especialmente para o estudo das comunidades indígenas, o que também é correto, porém, é preciso destacar a presença da Antropologia nos nossos tempos. “Estudamos a dinâmica cultural das cidades porque quando se pensa na dinâmica das metrópoles, e Uberlândia pode ser considerada uma, esse pensamento vem na dimensão dos serviços públicos pensados, nos espaços de alimentação, entre outros. É preciso ir um pouco mais além”, explicou o professor.

Ele exemplifica com um estudo realizado em Montes Claros (MG) sobre como os skatistas se apropriavam dos espaços da cidade, como circulam por ela. Para alguns, esse grupo representa apenas um núcleo de praticantes de esporte radical mas nós queremos saber da interação deles com o espaço em que vivem”, comentou.

Outros exemplos citados são o Baile da 3ª Idade, em São Paulo, e o fechamento de um trecho da tradicional Avenida Paulista para o tráfego de veículos aos domingos. “Você percebe a cultura de perto quando as pessoas ocupam esses espaços. Não se trata de perguntar por que tal grupo não utiliza tal equipamento cultural e sim o que podemos proporcionar a ele”, disse.

Para Rodrigo Rafael Gonzaga, aluno do aluno do 8º período de Ciências Sociais da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e idealizador do projeto, a conferência com Magnani fecha com chave de ouro o ciclo. “Trabalhamos com assuntos muito abrangentes que dialogam entre si e tivemos um público bastante interessado, que tornou o evento bastante rico. Fica o convite para logo mais”, destacou o estudante.

O 1º Diálogos Sobre Espaço e Cultura foi viabilizado no âmbito de edital da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (ProexC) e Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proae) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) com apoio do Centro Cultural Orè - Egbé Ilè Ifá (Cecorè) e MunA.

 

SERVIÇO

O QUE: 1º Diálogos sobre Espaço e Cultura – última conferência

TEMA: “Espaço e cultura: poéticas da tessitura da cidade”

QUEM: José Guilherme Magnani (USP)

QUANDO: hoje, às 19h

ONDE: Auditório do Museu Universitário de Arte da UFU (MUnA) (Praça Cícero Macedo, 309, Fundinho)

INSCRIÇÕES GRATUITAS: a serem feitas nos respectivos eventos no facebook.com/dialogoscult

INFORMAÇÕES: 3231-7708


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »