20/11/2017 às 16h01min - Atualizada em 20/11/2017 às 16h01min

Semifinal do Amador é encerrada sem vencedor após confusão e invasão

Caso foi levado para o TJD e decisão deve sair essa semana

VINÍCIUS ROMARIO | REPÓRTER
A Polícia Militar precisou apartar a confusão / Foto: PMMG/Divulgação

 

O jogo entre Luizote de Freitas e Tabajaras, no último domingo, valido pela semifinal do Campeonato Amador foi encerrado após uma confusão e intervenção da Polícia Militar (PM). Os dois times se enfrentaram no estádio Ayrton Borges na partida de volta e o placar, até os 50 minutos do segundo tempo, estava 0 a 0, resultado que levaria o Luizote a final do campeonato, após vitória de 2 a 1 sobre o Tabajaras no primeiro confronto. Apesar da confusão, não há relato de prisões. Cerca de cinco pessoas ficaram feridas, entre elas um jogador do Tabajaras, mas sem gravidade.

Porém, já aos 51 minutos, o Tabajaras anotou um gol, o que levaria a partida para os pênaltis, causando a raiva dos torcedores do Luizote que já comemoravam ao lado de fora do campo. Após o gol, esses torcedores começaram a jogar objetos no gramado e arrebentaram o portão da grade que divide a arquibancada e o campo.

Durante a invasão, eles também tentaram agredir os juízes e membros da Liga Uberlandense de Futebol (LUF), além de arremessaram bombas no campo. A PM estava presente no local e fez a segurança dos mesmos, contendo também os invasores e agressores, inclusive, disparando tiros de bala de borracha. Cerca de uma hora e meia após a partida, o arbitro do jogo João de Souza Filho informou à LUF que havia encerrado a partida após a confusão, sem que a cobrança de pênaltis ocorresse.

O caso foi levado para o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) da liga uberlandense para ser julgado. A reportagem do Diário do Comércio ligou para o presidente da LUF, Renato Batista, mas as ligações não foram atendidas.

Pezão, treinador do Tabajaras, disse que, em 30 anos envolvido com o futebol amador, o jogo de domingo foi o fato mais assustador presenciado por ele. “Independente da decisão que sairá, estou pensando seriamente em abandonar o amador. Tive que sair em um carro de um amigo, porque pessoas estavam vigiando o meu carro, para que eu não saísse. O Tabajara não tem culpa de nada e não merecíamos passar pelo o que passamos”, afirmou Pezão.

O treinador do Luizote, Wisner Dantas, também lamentou o fato e disse ter sido pego de surpresa. Ele também defende que os pênaltis sejam batidos para haver um vencedor dentro de campo. “Ainda estamos tentando entender o que ocorreu. Não conseguimos controlar o ímpeto do ser humano, principalmente na multidão. O jogo ocorreu dentro da normalidade até que tudo perdeu o controle. As agremiações não têm culpa e o campeonato não pode ser manchado por isso, por isso, defendo que os pênaltis sejam batidos”, ressaltou Dantas.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »