14/11/2017 às 05h50min - Atualizada em 14/11/2017 às 05h50min

Fliaraxá chega ao 6º ano de casa nova

Com série de atividades entre quinta e domingo o Festival Literário da cidade mineira homenageia Mia Couto

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
O escritor moçambicano Mia Couto é o homenageado do 6º Fliaraxá e ficará na cidade mineira durante todo o evento / Foto: Divulgação

 

O Festival Literário de Araxá (Fliaraxá) surgiu modesto em 2012, porém, fadado a ser um evento de sucesso e longevo dado as repercussões positivas que obteve nos últimos anos. Na próxima quarta-feira (15) tem início sua 6ª edição que segue até domingo (19), desta vez em casa nova. O festival deixa a Fundação Cultural Calmon Barreto e vai para o Tauá Grande Hotel.

“Ao final da 5ª edição já sabíamos que precisaríamos de outro local que abrigasse melhor o evento que sempre teve lotação esgotada”, explicou o curador e idealizador do Fliaraxá, Afonso Borges, escritor, produtor cultural e empresário mineiro.

Ele disse que apesar da experiência das edições anteriores eles trabalham agora como se realizassem o primeiro festival literário. “Tudo é absolutamente novo”, comentou.

Segundo Borges, a rede hoteleira de Araxá já não tem mais vagas para o período do Fliaraxá há um mês. Apesar de não ter um levantamento específico sobre o número de visitantes de outras cidades no evento ele acredita que esse é um número que aumenta a cada ano. Uberlandenses apaixonados por literatura fazem parte deste grupo.

Apresentado pelo Ministério da Cultura e Circuito CBMM de Cultura, todas as atividades do Fliaraxá têm acesso livre graças à Lei Rouanet, com o apoio cultural do Itaú e da Fundação Roberto Marinho. A realização é da Associação Cultural Sempre Um Papo. A programação deste ano inclui oficinas, lançamento de livros, sessões de autógrafos, teatro (no Cine Teatro Tiradentes), painéis, saraus, contação de histórias, música, exposição e uma novidade para este ano: o "Diálogos em Espiral", que pretende desconstruir o velho modelo de debates e mesas, onde o público interage com os autores com mais dinamismo. Também será implantado pela primeira vez um Espaço Gastronômico.

Borges conta que o tema escolhido os diálogos é “Língua, Leitura e Utopia" que será o grande eixo de conteúdo onde "a utopia entra como reflexo das possibilidades de transformação social e cultural que o País e o mundo necessitam".

O 6º Fliaraxá contará com a presença de nomes importantes da literatura lusófona, entre eles, Mia Couto, José Eduardo Agualusa, José Luís Peixoto e Ondjaki. Couto, autor moçambicano, será o autor homenageado da edição 2017. No sábado (18) ele debate o tema dos “Diálogos em Espiral” ao lado da atriz Bruna Lombardi. O patrono será o português José Saramago (In Memorian), Prêmio Nobel de Literatura, em 1998, permissão concedida pela primeira vez em festivais literários pelo mundo.

Conciliar a agenda de tanta gente boa é um grande desafio. “Para isso tive a ajuda de pessoas com experiência que tornaram mais fácil essa tarefa. Como é algo que a população de Araxá abraçou, percebemos o quanto é importante que o evento cresça. Mia Couto, por exemplo, ficará na cidade durante todos os dias do Fliaraxá”, contou o curador.

Para ele, um dos pontos mais positivos do festival é o fomento da literatura na cidade. São criados espaços para novos autores que também têm a chance de compartilhar conhecimentos com monstros sagrados da literatura. Nesta edição, por exemplo, estão confirmados: Zuenir Ventura, J. Borges, Bruna Lombardi, Carlos Herculano Lopes, Luiz Ruffato, Ana Maria Gonçalves, Ana Paula Maia, Andrea Zamorano, Carlos Marcelo, Cristovão Tezza, Evandro Affonso Ferreira, Isabela Noronha, Lucrecia Zappi, Daniella Zupo, Marcia Tiburi, Paulo Scott, Roberto Lima, Pedro Muriel, Jose Luis Goldfarb, Claudia Giannetti, Sergio Abranches, Sergio Rodrigues e José Santos.

Eles dividirão espaço com autores locais que participam do "Espaço Araxá Terra das Letras", que terá como patrono o escritor Dirceu Ferreira. Nele, haverá uma programação especial com autores e intelectuais da cidade, como Luiz Humberto França, Canarinho, Leila Ferreira, Rafael Nolli, Evandro Afonso Ferreira, Cassio Amaral, Mara Senna, Heleno Alvares, Rodrigo Feres, Dirceu Ferreira, Marlette Menezes, Wagner Matias, Joubert Amaral, Liria Porto, Paulo Henrique Bragança, Lucas Matheus de Souza, César Campos, Vinicius Silva, Glaura Teixeira Nogueira Lima, Annette Akel, Bruno Riffel, João Batista Sena da Costa, José Otávio Lemos e seu filho Pedro, Grupo Fratelo, Fernanda de Oliveira, Augusto Rodrigues, Pedro Gontijo, Fernando Braga, Eduardo Maia, Glayer França Jordão e Armando de Angelis.

Os números deste ano devem superar os do ano passado quando a 5ª edição recebeu quase 17 mil visitantes, além dos 70 convidados. Mais de 100 mil livros foram comercializados na livraria do Fliaraxá, durante os dias do evento, nestas cinco edições. Desde a primeira edição, é realizado um concurso que premia, em dinheiro, as cinco melhores redações de alunos das escolas da cidade, denominado Prêmio de Redação Maria Amália Dumont.

Para quem não conseguir se descolar até Araxá para acompanhar o festival existe a opção de conferir a transmissão de vários debates online pelo site do Fliaraxá.

 

SERVIÇO

O QUE: Festival de Literatura de Araxá (Fliaraxá 2017)

QUANDO: de 15 a 19 de novembro

ONDE: Tauá Grande Hotel e Termas de Araxá

INGRESSOS: retirados mediante cadastro antecipado em www.sympla.com.br/fliaraxa

ACESSO: gratuito – atrações sujeitas a lotação

INFORMAÇÕES: (34) 98402-6064 e www.fliaraxa.com.br


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »