02/11/2017 às 05h13min - Atualizada em 02/11/2017 às 05h13min

Secretaria recua sobre mudanças em laboratórios

Salas de informática passariam por reestruturação e professores seriam realocados

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
Célia Tavares desmentiu boato sobre possível fechamento de laboratórios / Foto: Valter de Paula/Secom/PMU

 

A Secretaria Municipal de Educação suspendeu a decisão de reestruturar os laboratórios de informática e de realocar profissionais desses setores, como havia sido previsto e comunicado por meio de um memorando que circulou entre as instituições de ensino na última semana. O documentou chegou a gerar a desconfiança de um possível fechamento dessas alas nas escolas do Município, o que foi negado. O boato circulou na internet e foi motivo de crítica de vereadores de oposição ao governo.

O documento é o memorando Circular nº 3051/2017 endereçado às diretorias das escolas de Ensino Fundamental do Município e assinado pela secretária de Educação, Célia Tavares, pela assessora pedagógica da pasta, Rosana Torquette, e pelo coordenador de Recursos tecnológicos, Karius Lemes Rodrigues. Ele revogava a regulamentação do “funcionamento dos laboratórios de informática nas escolas da rede Pública Municipal de Ensino de Uberlândia” e por meio dele seria feito um remanejamento dos profissionais que atuam nos laboratórios, os quais seriam “reconduzidos às atividades de professor, por meio de processo de remoção interna” a ser realizado ainda nesse segundo semestre de 2017.

Ainda de acordo com o documento, o objetivo era reestruturar as salas de ensino de informática para o ano de 2018. Tanto no memorando quanto em um vídeo divulgado na internet, a secretária Célia Tavares explica que houve um levantamento das condições dos laboratórios apresentando uma série de problemas, como baixo desempenho dos computadores, equipamentos obsoletos e com defeitos, o que inviabilizaria os trabalhos nos locais. No vídeo, a secretária desmente o suposto fechamento dessas salas. “Nós faremos uma revitalização desses espaços que são muito importantes como apoio pedagógico aos professores. Em momento algum os laboratórios serão fechados. Isso é um boato”, afirmou na Célia Tavares na gravação.

No entanto, de acordo com a nota enviada pela Secretaria de Comunicação a pedido do Diário do Comércio, todas as mudanças previstas foram suspensas por prazo indeterminado, até que sejam fornecidas informações que justifiquem e garantam a execução da medida.

 

PROFESSORES

A Prefeitura tem 53 escolas municipais com laboratórios de informática e mais de 130 professores para cuidar especificamente das aulas ministradas nesses espaços. Existe pelo menos um professor por turno. Parte desse corpo docente que seria afetado se mobilizou com o intuito de evitar as mudanças e uma carta aberta de professores da Escola Municipal Ladário Teixeira, no bairro Nossa Senhora das Graças, foi divulgada. Nela, são apontados vários projetos desenvolvidos na instituição e que dependem dos profissionais específicos para que aconteçam. A carta afirma que “remanejá-los para outras funções ou delegar a outros profissionais que não possuem a qualificação necessária, constitui-se um imenso retrocesso e impede que a educação caminhe rumo às mudanças exigidas para o século XXI, em que a tecnologia se tornou indispensável à formação do aluno para o mercado de trabalho”.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »