01/11/2017 às 06h08min - Atualizada em 01/11/2017 às 06h08min

Assessor da Settran é pego com carteira vencida há cinco anos

Servidor foi flagrado em blitz; documento do carro também tinha problemas

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
Documento deveria ter sido renovado em 2012; já o CLRV era de 2016 / Foto: Diário do Comércio de Uberlândia

 

O assessor de Operações de Tráfego da Secretaria de Trânsito e Transportes (Settran) Capitão Maurílio Terra de Deus teve o veículo apreendido na tarde de terça-feira (31), durante blitz da Polícia Militar (PM), por ter sido flagrado na direção com habilitação vencida há mais de cinco anos e problemas na documentação do veículo. Em entrevista ao Diário do Comércio, o servidor alegou problemas na transferência do veículo e dificuldades na renovação de sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Ele foi parado durante fiscalização de trânsito da PM na avenida Dr. Vicente Sales Guimarães, no bairro Alto Umuarama. Inicialmente foi verificado que o último licenciamento emitido para o veículo do assessor de Operações de Tráfego da Settran havia sido emitido em 2016. Após a abordagem, os policiais descobriram que a CNH de Maurílio Terra estava vencida desde janeiro de 2012.

Dirigir com a carteira de motorista vencida é considerado infração gravíssima, com multa prevista e retenção da CNH. Também é considerada gravíssima a infração por dirigir com o licenciamento do veículo em atraso e leva o motorista a ser multado. Desde julho, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MG) cobra de todos os automóveis registrados em Minas Gerais a documentação de 2017. No caso do servidor municipal foram lavradas duas multas no valor de R$ 293,47 cada uma e o carro foi retido.

Capitão Terra tem 76 anos, é militar da reserva do Exército e teve uma série de cargos na Secretaria de Trânsito e Transportes desde 2011. Também foi candidato a vereador nas eleições de 2012, quando obteve 243 votos. Recentemente ele participou atividades de instruções que envolviam o Município e a PM sobre operações de educação e fiscalização no trânsito, que serão desenvolvidas em conjunto até 2020 em Uberlândia.

Procurado pelo Diário, ele explicou que chegou a pagar licenciamento, seguro obrigatório e o Imposto sobre a Propriedade de Veículo Automotor (IPVA) referente a 2017, mas houve atraso na transferência do carro que comprara recentemente. “A PM tinha razão, porque precisaria estar com o CRVL nas mãos, mas faltou esse documento. Foi uma questão de transferência, havia pago o carro, já tem uns três meses que terminei de pagar, mas não transferi e meu licenciamento ainda não saiu”, afirmou o assessor de Operações de Tráfego. Sobre a carteira vencida desde 2012, o funcionário da Settran disse que faltou tempo para a regularização. “Trabalho muito e faltou tempo para ir lá e renovar. Estou na auto escola e já dei entrada no processo”, disse.

 

PREFEITURA

A reportagem entrou em contato com a Prefeitura por meio da Secretaria de Comunicação. Até o fechamento desta edição, o Município não havia dado um posicionamento em relação ao fato do servidor da Settran ter sido flagrado com problemas que o impediam de dirigir um veículo.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »