28/10/2017 às 05h36min - Atualizada em 28/10/2017 às 05h36min

Concerto para entrar no Guinness

Uberlândia busca registrar a maior orquestra de viola caipira do mundo em concerto hoje no Sabiazinho

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
Registro do Mil Violas em 2015 que teve 520 participantes, neste ano os inscritos são 890 de vários estados do País / Foto: Douglas Luzz/Divulgação

 

Já reconhecida como um dos pilares da cultura musical brasileira a viola caipira volta a buscar reconhecimento internacional. Hoje, a Arena Sabiazinho recebe o concerto Mil Violas que será registrado conforme normas estabelecidas pelo Guinness Book para a tentativa de entrar na publicação como o maior concerto de violas caipiras do mundo.

Dessa vez com realização da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), através da sua Pró-reitoria de Extensão e Cultura (Proex) e Diretoria de Cultura(Dicult) em parceria com a Viola de Nóis Produções o Mil Violas está seguindo à risca todos os requisitos enviados pelo Livro dos Recordes. Um dos organizadores, Tarcísio Manuvei, afirma que na primeira tentativa em 2015 a falta desses cuidados inviabilizaram o registro do show na publicação. “Na época tivemos 520 violeiros porém, o Guinness Book é muito rigoroso e as evidências que precisávamos não tivemos”, explica.

A história agora será diferente. A Autoridade Global em Recordes Mundiais, responsável pelo Guinnes Book, aceitou a inscrição do desafio em julho e envia quase que diariamente atualização do que é preciso para enviar as evidências para a publicação. A ação está inscrita como “Largest Viola Caipira Ensemble”.

Entre as exigências da instituição consta que a cada 50 violeiros é preciso haver um fiscal voluntário. A produção também contará com duas pessoas fluentes em inglês e com conhecimento de música de duas capitais brasileiras que serão os fiscais desses voluntários. “Tivemos 890 inscrições e para conseguirmos entrar no livro dos recordes todos devem estar tocando ao mesmo tempo, ninguém pode parar ou seremos desclassificados”, disse Tarcísio.

Câmeras estarão posicionadas em lugares estratégicos para registrarem toda a façanha. Outra exigência do Guinnes é a presença de uma música conhecida mundialmente no repertório dos violeiros que ganhe um novo arranjo e seja executada por pelo menos cinco minutos. A escolhida para o Mil Violas foi “La Paloma”, uma canção espanhola de domínio público. A canção foi composta em 1863 por Sebastian Yradier (1809-1865). “Ela tem uma base mais fácil e será interpretada no nosso ritmo que é o catererê e isso também já foi aprovado pelo Guinnes”, contou Tarcísio.

Segundo ele, os violeiros estão animados. Durante oficinas e workshop que aconteceram nos últimos dez dias houve a presença de músicos não só de Uberlândia como também de outros estados. Entre os mais de 800 inscritos para o Mil Violas de 2017 há representantes de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Tocantins, Rio Grande do Sul e Espírito Santo. “Apesar de todo o trabalho é algo apaixonantes de se fazer, de se ver. O comprometimento e a entrega deles chega a emocionar”, afirmou Tarcísio.

E depois que entrarem para dentro do ginásio, em suas marcas delimitadas, os violeiros terão que circular também por uma área pré-determinada, tudo exigência do Guinnes. Com promoção da TV Integração e da Rádio Cultura FM e apoio da Prefeitura Municipal de Uberlândia e Sesc Minas Gerais, o evento também precisou de parcerias privadas. “As camisetas, por exemplo, conseguimos com a Rozini, Hospital Madrecor e Bretas”, conta o produtor e violeiro.

 

MOMENTOS

Tarcísio Manuvéi explica que o Mil Violas 2017 está dividido em momentos. Regida por Rui Torneze, maestro da Orquestra Paulistana de Viola Caipira, a maior orquestra de viola caipira do Brasil tocará sete músicas do cancioneiro brasileiro: “Beijinho doce”, “Boiadeiro errante”, “Chora viola”, “Hino de Reis”, “Meu reino encantado”, “Saudade de minha terra”, “Vide Vida Marvada” além da já citada “La Paloma”.

Antes haverá apresentações temáticas como “Momento mulher violeira”, com Juliana Andrade e convidadas como Polyana e Irmãs Barbosa; “Momento da música de fronteira”, com Valdir Verona e convidados e “Momento instrumental” com Fernando Sodré e Paulo Santana. Haverá também duas homenagens. A primeira é para José Dias Nunes, nome de batismo do consagrado Tião Carreiro. Mineiro de Montes Claros, Tião Carreiro foi um dos maiores violeiros do país e, mesmo após sua morte, em outubro de 1993, as pessoas continuam cultuando o ídolo. “Alex Marli, filha de Tião Carreiro estará aqui em Uberlândia e trará a viola vermelha, uma das preferidas de seu pai”, revela Tarcísio.

O outro homenageado é Leo, da dupla Liu & Leo, de Itajobi (SP), que ficou em atividade entre 1957 e 2012. Leo virá para a homenagem. Na edição de 2015 o homenageado foi Pena Branca.

 

SERVIÇO

O QUE: Concerto Mil Violas

QUEM: Violeiros de Uberlândia e de outras cidades do país

LOCAL: Arena Sabiazinho

HORÁRIO: abertura dos portões às 15h30, início das apresentações às 16h

ENTRADA FRANCA

INFORMAÇÕES

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »