25/10/2017 às 22h34min - Atualizada em 25/10/2017 às 22h34min

Educação de Uberlândia está entre as 10 melhores

Município subiu 24 posições em levantamento de consultoria nacional

WALACE TORRES | EDITOR
Rede pública municipal conta com 123 escolas e um universo de 60 mil alunos / Foto: Araípedes Luz/Secom/PMU

 

Uberlândia entrou na lista dos 10 municípios com a melhor infraestrutura educacional do país, segundo o ranking Connected Smart Cities, feito pela consultoria Urban Systems e divulgado esta semana pela revista “Exame”. O município saltou 24 posições em relação ao ano passado, quando ocupava a 33ª posição, sendo classificado em 9º no levantamento atual. Em Minas Gerais, Uberlândia é o melhor posicionado. O topo do ranking ficou com Curitiba, capital do Paraná.

O ranking Connected Smart Cities está na quarta edição, com divulgações anuais. O objetivo do estudo é mapear as cidades com maior potencial de desenvolvimento no Brasil através de 70 indicadores que retratam inteligência, conexão e sustentabilidade. Os indicadores avaliam os 11 principais setores de infraestrutura de uma cidade. Considerando todos os setores, entre eles, saúde, mobilidade, urbanismo, economia, meio ambiente, governança, entre outros, Uberlândia é a 28ª melhor cidade para investimentos em negócios no Brasil, conforme reportagem divulgada na edição do último domingo (22) do Diário.

Para chegar ao ranking das cidades com os melhores serviços de educação do Brasil, a Urban Systems levou em conta seis critérios que tem como base dados das três esferas públicas da educação: matrícula escolar na rede pública online, vagas em universidades públicas, a nota média no Enem e nos anos finais do IDEB, o número de docentes com ensino superior e a hora-aula diária média.

Segundo o estudo, 94,8% dos docentes do ensino médio em Uberlândia têm o ensino superior completo – a média nacional é de 93,1%. Na universidade pública, são 164 vagas para cada grupo de mil habitantes com mais de 18 anos. No Enem, a média ponderada dos alunos uberlandenses foi de 553 pontos (no Brasil, a nota média nas quatro áreas foi de 523 pontos). Já a média do IDEB foi de 4,5 pontos (4,2 no país). No item hora-aula diária, a média verificada no município foi de 4,5 ante 4,7 no país. “Se considerarmos o valor que é pago ao professor, nós temos um piso nacional de 40h e a nossa carga horária é de 20h. Então a proporção do salário do professor com 20h é uma referência diferente dos demais municípios”, avalia a secretária municipal de Educação, Célia Maria Tavares do Nascimento, que ressaltou a satisfação com a colocação de Uberlândia no ranking. “Uberlândia está atrás apenas de oito capitais. A somatória [da nota] não é só do Município, mas foi considerado também os aspectos da educação do Estado e o ensino superior. Na rede municipal, a nossa contribuição tem toda uma estrutura de 123 escolas, a maioria construída a menos de 20 anos, ou seja, é uma rede nova e em expansão”, diz.

A rede pública municipal conta hoje com um universo de 60 mil alunos nas 123 escolas. Na educação infantil, são atendidas crianças desde o berçário até o segundo período da pré-escola. No ensino fundamental, o atendimento vai do 1º ao 9º ano. O Município tem ainda o programa de erradicação do analfabetismo, com salas em escolas e em espaços identificados de acordo com a necessidade.

 

LICITAÇÃO

PMU retoma processo para construir novas escolas

A Prefeitura retomou este ano o processo de licitação para a construção de 16 novas escolas em vários bairros de Uberlândia. Os projetos chegaram a fazer parte do planejamento da gestão passada, mas não entraram na grade de execução. São 15 escolas de educação infantil (EMEI) e uma de ensino fundamental. Segundo a Secretaria de Educação, a previsão é que a maioria delas esteja em condições de atender a rede a partir de 2019.

Para o próximo ano, o Município deverá contar com a abertura de seis novas escolas, sendo três de educação infantil e três de ensino fundamental, implantadas na região Oeste. As unidades estão nos residenciais Monte Hebron e Pequis. “Essas escolas estão em fase final de construção (...) Mesmo que a parte estrutural esteja pronta, tem alguns aspectos específicos que precisam ser complementados, como energia e rede hidráulica. A obra precisa ser vistoriada pela Caixa e pela Secretaria de Obras, e aí é feito um termo de entrega ao Município”, disse Célia Tavares, citando que outras duas escolas da região estão atendendo desde maio.

Cada escola de ensino infantil tem capacidade para atender cerca de 250 crianças, já as do ensino fundamental comportam aproximadamente 650 alunos cada.

No início do segundo semestre, o Município chegou a chamar vários educadores na expectativa de que todas as oito escolas da região Oeste entrariam em funcionamento, o que não aconteceu. Parte dos profissionais convocados foi redirecionada para escolas de outras regiões onde havia vagas. Outra parte foi dispensada. 

“Para o próximo ano, haverá remoções e havendo necessidade de contratação, a gente tem um processo seletivo para seguir, além de novos processos que a prefeitura está preparando para ter a disponibilidade desse profissional para cobrir a necessidade de cada escola”, disse a secretária.

 

Educação no Brasil

Ranking de 2017 - Cidade - Pontuação - Ranking de 2016

1 Curitiba (PR) - 5,801 - 14º
2 Vitória (ES) - 5,782 - 1º
3 Goiânia (GO) - 5,630 - 17º
4 Rio de Janeiro (RJ) - 5,524 - 4º
5 Palmas (TO) - 5,435 - 22º
6 Campo Grande (MS) - 5,430 - 20º
7 Recife (PE) - 5,269 - 15º
8 Florianópolis - 5,195 - 3º
9 Uberlândia (MG) - 5,044 - 33º
10 Viçosa (MG) - 4,882 - 6º


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »