18/10/2017 às 17h09min - Atualizada em 18/10/2017 às 17h09min

Bombeiros registram 169 incêndios em edificações

Corporação faz alerta para manutenção em redes e outros cuidados

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
Incêndio de grandes proporções atingiu um galpão de uma empresa de recicláveis na última semana / Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

 

Com 169 casos de incêndios em residências ou empresas em Uberlândia em 2017, o Corpo de Bombeiros alerta para cuidados para se evitar tais ocorrências, como a que destruiu aproximadamente 200 toneladas de materiais recicláveis em um galpão na saída da cidade durante na semana passada. As principais causas destes incidentes estão ligadas à falta de manutenção, principalmente em redes elétricas, e descuidos.

Os registros consolidados até setembro deste ano mostram que a maior parte dos incêndios urbanos aconteceu em moradias, com um total de 127 casos. Duas ocorrências foram em creches e os demais 40 episódios de incêndios em edificações foram em diferentes tipos de estabelecimentos, dentre comércios, indústrias, depósitos ou oficinas, por exemplo.

A tenente do Corpo de Bombeiros Shirley Carvalho Neves explicou que é difícil determinar com precisão o que ocasionou um incêndio na cidade, uma vez que não existe perícia específica na unidade militar de Uberlândia. Entretanto, ainda segundo ela, ao juntar relatos e a própria verificação dos militares durante o atendimento aos incêndios, os curtos-circuitos são tidos como os maiores possíveis causadores do fogo, tanto em empresas quanto em casas. No âmbito residencial, acidentes envolvendo crianças também são fatores relevantes como causas de incêndios.

“Além de cuidado com as crianças, é importante que haja manutenção nas redes elétricas e verificação constante de suas condições. Evitar sobrecargas com a ligação de muitos aparelhos em uma tomada e também as chamadas gambiarras são essenciais para prevenir incêndios”, disse tenente Shirley.

Ela informou ainda que ocorrências criminosas, como a que aconteceu no início do mês em um apartamento no bairro Santa Mônica, são minoria. No caso citado, no dia 1º de outubro, o imóvel teria sido incendiado devido a uma briga de casal e boa parte dos móveis foi destruída, além de afetar parte das paredes do local.

 

OUTROS CASOS

No último domingo (15), um incêndio atingiu uma das unidades da empresa de soluções logísticas Comfrio, no bairro Chácaras Bonanza, quando uma carreta-baú pegou fogo e as chamas se espalharam em uma área da empresa.

Já no sábado (14), um incêndio destruiu uma residência na Rua Caiapônia, no Centro de Uberlândia. Uma mulher e três crianças, sendo um bebê de apenas 15 dias, precisaram de atendimento médico por conta de inalação de fumaça.

 

EMPRESAS E LEGISLAÇÃO

No caso de empresas, além de cuidados básicos, é preciso que haja respeito com relação às regras de segurança previstas em Lei. Cada tipo de negócio tem exigências diferentes por sua categoria de atuação, dimensão da edificação e recebimento de pessoas além dos próprios funcionários, entre outros fatores.

O tipo de equipamento exigido, sinalização ou mesmo dimensões a serem respeitadas para circulação de pessoas, além da necessidade de brigada de incêndio são definidos pelo chamado Processo de Segurança Contra Incêndio e Pânico.

A emissão do Habite-se em Uberlândia, hoje, é ligada à fiscalização dos militares, que emitem o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB). Sem a certidão, o imóvel é considerado irregular.

“A obrigatoriedade da emissão do AVCB para obtenção do Habite-se ajuda muito na prevenção a incêndios a edificações comerciais e até residenciais. Essa vinculação não existe em todas as prefeituras, mas Uberlândia é um dos Municípios que faz a exigência”, disse tenente Shirley.

 

Incêndios em edificações

Janeiro a setembro 2017 – 169 casos

Residências – 127

Comércio – 17

Escola/creche – 2

Oficinas – 7

Indústrias – 1

Depósitos/Pátios – 6

Silos – 1

Locais de processamentos de lixo – 8


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »