27/09/2017 às 18h39min - Atualizada em 27/09/2017 às 18h39min

Fernando Franco apresenta 'Como se faz um livro'

O fundador da Franco Editora falou a alunos e professores sobre o processo de criação de uma obra literária

GUSTAVO RIBEIRO | ESPECIAL PARA O DIÁRIO*

Fernando Franco tem 68 anos e entre seus títulos publicados estão "Quer conhecer minha rua?", "Quer conhecer minhas brincadeiras?" e "Quer conhecer os meios de transporte?". Ele é o fundador da Franco Editora, de Juiz de Fora, e ministrou a oficina “Como se faz um livro” no Encontro Literário do Cerrado (Elicer), na manhã desta quarta feira (27).

Franco é um autor e editor que gosta de conversar com crianças. Foi com essa vontade de dialogar não somente com os pequenos, mas também com professores e bibliotecários, que ele trouxe para sua oficina a discussão de como escrever um livro. Nela, o editor falou sobre o processo editorial e as etapas finais da produção, como a impressão e distribuição.

Tudo isso aconteceu em um clima leve e repleto de risadas dos pequenos e de Fernando, que brincava e contava histórias ao longo das conversas. Seu foco na oficina era o livro e fazer com que as crianças valorizassem mais as obras que passam pelas suas mãos. A alegria do autor é poder escrever para o público infantil, porque ele, que é pai e avô, adora crianças.

Seu passado é repleto de histórias, como a de ter sido livreiro em Petrópolis e Juiz de Fora na década de 70. Além disso, ele lecionou inglês por 10 anos e foi professor na Universidade Católica de Petrópolis.

Após trabalhar por anos com livros, em 2001, Fernando fundou a Franco Editora, que conta com 300 títulos publicados. Ele atualmente viaja por todo o país e leva consigo a missão de lançar novos autores e ilustradores. Seu foco são os escritores que dificilmente teriam oportunidades no mercado editorial.

 

PROCESSO EDITORIAL

Franco disse que recebe de 10 a 15 originais por semana. O editor diz que “quando não é bom, eu agradeço e digo que não é o que estou precisando no momento. Quando é ótimo eu assumo sozinho. Mas quando é bom, eu convido outras pessoas para avaliarem junto comigo. Tem minha mulher, genro, uma professora e algumas crianças que leem também”.

Fernando busca dar retorno aos autores em no máximo um mês, mas algumas das obras recebidas impressionam tanto o editor que ele entra em contato imediatamente com os autores. Foi o caso do livro "Dani Down, Um Menino Legal", dos autores Arnaldo Junior e André Oliveira. Para eles, o retorno da obra ocorreu dois dias após o envio do material. Essa rapidez se deve ao apreço que ele tem pela temática abordada, a síndrome de Down.

Neste mês ocorreu o lançamento do livro de Arnaldo e André. Os visitantes do Elicer puderam conhecer melhor a obra e os autores, que além de terem o livro ofertado na feira, também palestraram na manhã de quarta, com o tema “Os últimos guardiões do imaginário infantil”, onde bateram um papo com o público. André ministrou também na terça à tarde uma oficina falando sobre brincadeiras e leituras.

 

NA CIDADE

A expectativa do autor é que os títulos da Franco Editora sejam distribuídos em Uberlândia. Ele enxerga que o mercado da literatura infantil está efervescente e afirmou que “aqui em Uberlândia há dezenas de autores de livros infantis, no Brasil inteiro também. Está se publicando muito, está se lendo muito mais do que há 43 anos, quando abri minha livraria”.

Para Franco, a cidade tem não somente autores em potencial, mas também um grande público e ilustradores com quem gostaria de trabalhar. “Eu acredito na inovação e na parceria”, diz Fernando quando se refere à busca para nortear o seu cotidiano. Por isso ele está desenvolvendo laços com livrarias locais, visando a ampliação de seu público leitor.

Já a inovação é algo que Franco não abandona. Tanto em suas obras, que exploram o processo de descobertas das crianças, quanto nos formatos dos livros, trazendo ilustrações, letras e edições em tamanhos atrativos para os pequenos.

Fernando inclusive atribui o sucesso de público do Elicer à inovação, evento que apresenta ao público infantil, juvenil e adulto a cultura da leitura. Para ele, os números de público são o resultado de um processo inovador, que só no primeiro dia trouxe oito mil leitores. A expectativa de visitantes nesta quarta é de 10 mil alunos, professores e população em geral.

O Encontro Literário do Cerrado se estende até o sábado (30), na Unialgar e conta com atividades das 8 às 21h, que vão desde oficinas até contação de histórias e apresentações culturais, com autores e artistas locais, da região e de renome nacional.

(*) Programa de Formação de Comunicadores Elicer | UFU e Esamc 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »