27/09/2017 às 05h30min - Atualizada em 27/09/2017 às 05h30min

Seminário discute arte, direito e cultura até sexta

Inscrições são gratuitas e ainda há vagas para todas as atividades

DA REDAÇÃO
Maikon K. participa hoje da mesa de abertura com “Arte, cultura e religião: direito e tolerância” / Foto: Divulgação

 

De hoje até sexta-feira (29), advogados e profissionais da área jurídica, artistas, pesquisadores e estudantes se reunirão para compartilhar questões práticas e teóricas do Direito que se inter-relacionam com a cultura e com as artes.

O 1º Seminário de Direitos Culturais de Uberlândia propõe despertar o interesse pela temática dos Direitos Culturais estimulando a pesquisa, a prática e o diálogo entre profissionais com diferentes experiências, tanto na área jurídica quanto na área artístico-cultural. As atividades acontecem no Auditório da Sede da OAB Uberlândia e no Campus Santa Mônica da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

O evento é uma iniciativa da Comissão de Cultura da 13ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil em Minas Gerais – OAB Uberlândia e realização da OAB-Uberlândia em parceria com a UFU.

Toda a programação de hoje será na sede da OAB (Av. Rondon Pacheco, 980). A estreia será com a mesa de trabalho com o tema “Arte, cultura e religião: direito e tolerância”, das 8h30 às 11h30, que contará, entre outros, com a presença do artista e performer Maikon K.. Das 16h às 17h30, no mesmo local, haverá a exposição do tema: “Os marcos legais para a cultura em Minas Gerais” com o Presidente da Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Às 19h tem a abertura oficial do evento, com a aula magna: “O que são direitos culturais?”, ancorada pelo professor Dr. Humberto Cunha, da Universidade de Fortaleza, precursor da organização do conhecimento em Direitos Culturais no Brasil.

Amanhã, no Bloco 5 O Auditório H da UFU, Campus Santa Mônica, das 8h30 às 11h30, será realizada a mesa de trabalho: “Cidade, desenvolvimento e preservação” com a participação dos integrantes da Cia Mungunzá de Teatro. Das 16h à 17h30, no mesmo local, será discutido o tema: “Direitos Culturais e a máquina pública: atuando com democracia”, para tratar de temas pungentes da produção cultural local, com a participação de produtores, gestores e representantes do poder público com objetivo de buscar soluções aos problemas apresentados. Às 19h, no auditório da OAB, será promovido o diálogo: “Direitos Culturais e perspectivas de trabalho no campo jurídico”, ancorado pelo advogado Rodrigo Vieira da Universidade do Semi- Árido (Ufersa).

Na sexta-feira as atividades têm início com a mesa de trabalho: “Arte, trabalho e sociedade”, das 8h30 às 11h30, no Bloco 5 O, auditório H, que contará com participação de artistas, promotores, entre outros, com a participação de Gyl Giffony, artista, bacharel em Direito e pesquisador (IBDCult) e da artista plástica local, Alessandra Cunha, que teve uma de suas 31 obras da exposição Cadafalso retirada do Museu de Arte Contemporânea (Marco) em Campo Grande (MS). Às 16h, no mesmo Bloco, acontece o debate sobre o tema “Gestor público, o artista e a legislação – limitações e (des) caminhos”. O encerramento é às 19h, na OAB”. Entre os participantes estão a Secretária Municipal de Cultura de Uberlândia, Mônica Debs, e o Presidente da Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Deputado Bosco. De acordo com a presidente da Comissão de Cultura, Katia Bizinotto, a intenção é que esta primeira edição, em meio a tantos acontecimentos, seja um espaço aberto para a troca com o debate de ideias, respeito às diferenças, com o exercício da cidadania e da empatia.

Ainda há vagas para todas as atividades e a participação é gratuita. As inscrições devem ser feitas pelo site.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »