15/09/2017 às 15h04min - Atualizada em 15/09/2017 às 15h04min

Cientistas encontram nova espécie de sapo em Minas

Exemplar raro foi encontrado no Parque Estadual da Serra Negra

AGÊNCIA MINAS | BELO HORIZONTE
Espécie de sapinho é muito rara, vive em áreas restritas e montanhosas / Foto: Izabela Barata

 

Uma nova espécie de anfíbio acaba de ser descoberta no Parque Estadual da Serra Negra, no Vale do Jequitinhonha. Pesquisadores ainda não escolheram o nome da espécie, mas sabem que ela pertence ao gênero Crossodactylodes, que é muito rara. A espécie foi encontrada enquanto pesquisadores buscavam por novas populações do sapinho da bromélia Crossodactylodes Itambe, que tinham sido descobertos no Parque Estadual Pico do Itambé, em 2011.

A busca foi guiada pela pesquisa de doutorado de Izabela Barata, bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) na University of Kent, na Inglaterra, e pesquisadora do Instituto Biotrópicos.

Após a descoberta da nova espécie do Pico do Itambé, o gerente do Serra Negra, Wanderlei Pimenta, fez um convite à pesquisadora para que ela também visitasse a reserva ambiental, uma vez que o parque possui altitude e bromélias semelhantes às do Pico do Itambé.

“Achei que uma visita à unidade poderia ajudar na pesquisa e fiquei muito feliz quando descobriram uma nova espécie no nosso parque”, diz Pimenta.

O gerente destaca também a importância da unidade de conservação para a preservação da biodiversidade do seu entorno. “Apesar da intensa atividade de silvicultora na região, a unidade possui um ecossistema ainda bastante preservado, com grande domínio de Mata Atlântica e uma pequena porção de Cerrado. Essa transição entre dois biomas também favorece a diversidade das espécies”, ressalta.

Quando os pesquisadores coletaram as primeiras amostras dos sapinhos acharam que se tratava de uma população de Crossodactylodes Itambe, mas análises de DNA confirmaram que na verdade foi encontrada uma nova espécie do gênero Crossodactylodes.

A espécie foi encontrada no topo de montanha, isolada dos demais fragmentos florestais. A área onde ocorre é coberta por Mata Atlântica e as bromélias estão localizadas dentro da mata, crescendo no solo e também nas árvores.

Os sapinhos do gênero Crossodactylodes são raros, vivem em bromélias e têm distribuição restrita em áreas montanhosas da Mata Atlântica.

As espécies de Crossodactylodes são ameaçadas de extinção. Para validar o registro da descoberta, os pesquisadores irão trabalhar na descrição da nova espécie e escolher seu nome.

 

EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Além do trabalho científico, a doutoranda Izabela coordena o projeto de educação ambiental do Instituto Biotrópicos, chamado Salvem os Sapos.

“Esse trabalho leva as crianças para perto da natureza, mais especificamente, dos sapinhos. Nos últimos anos tenho desenvolvido um trabalho com a comunidade de entorno do Pico do Itambé. Os pequenos passam o dia na sede da unidade, e a gente conversa sobre mitos e verdades sobre os sapos, e eles tiram dúvidas e aprendem curiosidades sobre a espécie”, conta Izabela.

Durante as atividades as crianças também têm a oportunidade de conhecer os sapinhos de perto, acompanhar o desenvolvimento dos girinos e fazer trabalhos artísticos, como pintura de quadros e camisetas, tudo com a temática sapos.

 

SERRA NEGRA

A unidade de conservação do Parque Estadual da Serra Negra foi criada com o objetivo, entre outros, de proteger a grande quantidade de nascentes nela existentes, considerada de vital importância para as regiões do Alto Médio Jequitinhonha, conhecida por seu problema de escassez hídrica.

O parque faz parte da Bacia do Rio Jequitinhonha e está inserido na Cadeia do Espinhaço, dominando a paisagem local com seu relevo montanhoso e aparência escura, quando vista contra o sol. Deve-se a este fator o nome da Serra e do próprio Parque.

A reserva ambiental está incluída nos domínios da Mata Atlântica. Em locais de difícil acesso e em algumas baixadas podem ser observados grandes fragmentos da imponente vegetação que, originalmente, dominava a região.

A região da Serra Negra possui importância vital para as regiões do Alto e Médio Jequitinhonha, pois inclui inúmeras nascentes de cursos d'água, vertentes para a bacia do Rio Jequitinhonha, Rio Araçuaí e alguns tributários do Rio Doce.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »