01/09/2017 às 05h26min - Atualizada em 01/09/2017 às 05h26min

Prefeitura não tem previsão de entrega de corredor e terminal

Prazo inicial era abril de 2016; administração não quis se manifestar

VINÍCIUS ROMARIO | REPÓRTER
Secretário havia dito em abril que obras seriam concluídas “em breve” / Foto: Vinícius Romario

 

Previstos inicialmente para serem inaugurados em abril do ano passado, o corredor de ônibus da avenida Segismundo Pereira e o Terminal Novo Mundo, na zona leste de Uberlândia, seguem sem previsão de entrega. Em abril deste ano, o Secretário de Trânsito e Transportes (Settran), Paulo Sérgio, afirmou ao Diário do Comércio que a licitação para a escolha da empresa que iria operar o sistema estava prestes a começar e que a inauguração das obras ocorreria “o mais breve possível”. Nesta semana, no entanto, a reportagem questionou sobre o andamento do processo, mas a Prefeitura não quis se manifestar.

As obras do projeto começaram em junho de 2015, ao custo de R$ 22,45 milhões e incluem 11 estações de embarque e desembarque ao longo dos 4,5 km de extensão da avenida, além do Terminal Novo Mundo. Apesar da previsão de entrega param abril de 2016, a data acabou prorrogada por diversas vezes e segue sem confirmação. De acordo com a Settran, cerca de 55 mil passageiros deverão ser beneficiados diariamente com a nova estrutura.

Ainda em março desse ano, os trabalhadores do terminal paralisaram as atividades, alegando constantes faltas de pagamentos e repasses do vale alimentação. Dias depois a situação foi regularizada. Em janeiro desse ano, a informação era de que 90% das obras já haviam sido concluídas. Esse status não foi confirmado pelo município.

 

USUÁRIOS

A dona de casa Juvenilha de Sales Monteiro mora na zona leste da cidade e pega ônibus constantemente na avenida Segismundo Pereira. De acordo com ela, ter que ficar no sol, enquanto as estações estão prontas, mas ainda não podem ser utilizadas, é motivo de indignação. “Nós ficamos sem entender. Tudo parece estar pronto, mas não colocam para funcionar. O pior é que a Prefeitura pode ter que gastar mais dinheiro, já que a estrutura está parada e os materiais podem desgastar”, disse.

Ela ainda faz mais uma reivindicação: banheiros nas estações. “Não é só para os passageiros, mas, principalmente para os funcionários. Eles são obrigados a ficar o dia inteiro sem ir ao banheiro?”, questiona Juvenilha.

A doméstica Luciana Esteves também cobra que o terminal e o corredor sejam inaugurados. “Pego ônibus na Segismundo Pereira há oito anos e não dá para entender uma obra desse porte, que pode trazer tanto benefício, e segue sem previsão de entrega. Será que estão esperando perder o que já foi feito?”, disse. 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »