14/07/2017 às 05h31min - Atualizada em 14/07/2017 às 05h31min

Entra em vigor hoje o reajuste médio de 10% do pedágio na BR-050

Novos valores foram definidos para cobrir obras não previstas no contrato

WALACE TORRES | EDITOR
O valor cobrado em cada uma das seis praças de pedágio varia de acordo com o trecho de cobertura / Foto: MGO Rodovias/Divulgação

 

A partir de hoje trafegar pela BR-050 no Triângulo Mineiro ficará mais caro com a entrada em vigor da sexta revisão extraordinária da Tarifa Básica de Pedágio (TBP), que passa a ser de R$ 5,91 para cada 100 quilômetros. Os valores da tarifa variam em decorrência do Trecho de Cobertura da Praça (TCP). Em média, o reajuste foi de 10,78%.

São seis praças de pedágio no trecho de 436,6 quilômetros da BR-050 entre a divisa com Goiás, em Cristalina, até Delta, na divisa com São Paulo, administrado pela Concessionária de Rodovias Minas Gerais Goiás S.A. (MGO Rodovias). A tarifa básica de pedágio da praça Ipameri passa de R$ 6,30 para R$ 7,00; na praça Campo Alegre Goiás, o pedágio passa de R$ 6,80 para R$ 7,60; na praça de pedágio Araguari 1, a tarifa passa de R$ 5,20 para R$ 5,80: na praça Araguari 2, de R$ 4,00 para R$ 4,40; na praça Uberaba, o pedágio passa de R$ 5,70 para R$ 6,30; e na praça Delta muda de R$ 4,10 para R$ 4,50. Os novos valores entraram em vigor à zero hora desta sexta-feira.

A nova revisão foi aprovada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e acontece exatamente três meses depois do último reajuste ordinário. Segundo a MGO Rodovias, a revisão extraordinária foi adotada para atender obrigações que não estavam previstas inicialmente no contrato de concessão, mas que foram incluídas a partir de ações judiciais propostas pelo Ministério Público Federal.

Nesta revisão foram considerados os novos investimentos que a MGO Rodovias terá que fazer em obras emergenciais em pontos críticos e de recuperação de pavimento do trecho de 65,70 quilômetros que vai da divisa de Minas com Goiás até a intersecção da BR-050 com o contorno de Uberlândia, e do trecho do km 174 ao km 180 em Uberaba, que estavam sob responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e foram transferidos para a concessionária em maio deste ano.

Entre as obras emergenciais estão os reparos de uma erosão no acostamento aberta em decorrência das chuvas, uma encosta com ameaça de deslizamento também em função de infiltração, e um viaduto com erosões decorrentes do desgaste natural da pista. O prazo para o término dos reparos é de um ano, mas a MGO Rodovias informou que alguns trechos já serão concluídos até agosto. A concessionária ainda terá mais quatro anos, a partir do término das obras emergenciais, para fazer a recuperação de todo o pavimento. O investimento total é de R$ 197,7 milhões, sendo R$ 51,2 milhões somente nas obras emergenciais.

 

DUPLICAÇÃO EM GOIÁS

Por causa das decisões judiciais, que priorizaram as obras emergenciais e de recuperação nos trechos que até então estavam sob a responsabilidade do DNIT, a Agência Nacional de Transportes Terrestres alterou o cronograma de duplicação da BR-050 no Estado de Goiás, onde ainda restam 120 quilômetros de pista simples. Com isso, a duplicação de 43,50 km prevista para ser executada até junho de 2018, num trecho de menor tráfego, será finalizada somente em 2020.

 

CONCESSÃO

O contrato de concessão entre a MGO Rodovias  e a ANTT foi assinado em dezembro de 2013 por um período de 30 anos e prevê a administração, recuperação, conservação, manutenção, ampliação e operação da BR-050 no trecho de 436,6 quilômetros que começa no entroncamento com a BR-040, em Cristalina (GO), e se estende até a divisa de Minas Gerais com São Paulo, no munícipio de Delta. Em sua extensão, abrange nove municípios, sendo cinco em Goiás (Cristalina, Ipameri, Campo Alegre de Goiás, Catalão e Cumari) e quatro em Minas Gerais (Araguari, Uberlândia, Uberaba e Delta).


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »