13/07/2017 às 05h08min - Atualizada em 13/07/2017 às 05h08min

Supermercadistas aprovam reforma

Encontro realizado em Uberlândia é recorde com participação de três mil pessoas e 120 expositores

WALACE TORRES | EDITOR
Alexandre Poni, presidente da Amis, disse que o cenário é favorável a investimentos no setor / Foto: Walace Torres

 

No dia seguinte à aprovação da reforma trabalhista no Senado, empresários do setor supermercadista de todo o Estado reunidos em Uberlândia comemoram a votação e avaliam que a flexibilização das regras é um fator que irá contribuir nas relações de trabalho e na geração de emprego. “A expectativa é de economia mais estável e mais oportunidade e segurança para fazer novos investimentos”, disse o diretor da rede Super Maxi, Nilson Santos, que é um dos quatro grupos do setor no Triângulo Mineiro que estão na lista dos 20 maiores do Estado. A rede tem 18 anos no mercado e 17 lojas em Uberlândia, Uberaba e Monte Alegre, e até o fim do ano pretende abrir mais duas unidades.

O grupo Zebu Carnes, com seis lojas em Uberaba, também se prepara para inaugurar uma nova unidade em novembro e aposta na nova legislação para impulsionar o setor. “Nós empregadores queremos a fidelidade do trabalhador e poder remunerá-lo bem. Essa flexibilidade ajuda para que o funcionário seja valorizado mais ainda (...). Lógico que o empresário sério continua sendo sério, independente de lei. Agora, aquele que não trabalha sério, não adianta lei, ele vai continuar trabalhando errado”, disse o presidente da rede Zebu Carnes, Matusalém Alves.

Com início ontem e encerramento na tarde de hoje, a 20ª edição do Super Encontro Varejista (Sevar), organizado pela Associação Mineira de Supermercados (Amis), tem recorde de participação – são aproximadamente três mil pessoas e 120 expositores.

O Sevar acontece anualmente em cinco regiões do Estado, sendo que a edição do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, realizada em Uberlândia, é considerada a maior do interior de Minas Gerais.

De acordo com a Amis, segmento supermercadista é um dos poucos ramos da economia que continua em expansão, mesmo com a atual conjuntura econômica do País. Ano passado, o setor registrou faturamento de R$ 33,97 bilhões e empregou diretamente 180,2 mil colaboradores, em 7,1 mil lojas pelo País.

 

REGIÃO

Segundo a Amis, as regiões do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba vêm puxando a expansão do setor no interior, com a presença das principais redes supermercadistas brasileiras e o crescimento de empresas locais. Uberlândia, por exemplo, é a única cidade do estado a contar com lojas das quatro maiores redes supermercadistas do País: Carrefour, Grupo Pão de Açúcar, Walmart e Cencosud/Bretas.

“Nesse encontro, queremos mostrar a força de Uberlândia no cenário de Minas Gerais. Aqui, temos mais bandeiras nacionais do que Belo Horizonte”, diz o presidente da Amis, Alexandre Poni. Ele avalia que o momento é favorável para novos investimentos.

Neste ano, o setor está investindo R$ 400 milhões em abertura e reformas de lojas em todo o Estado. Pelo menos 56 unidades serão abertas em Minas, com a geração de 5,6 mil postos de trabalho. De janeiro a maio deste ano, o segmento acumula crescimento de 1,25%.

 

COMPRAS SOCIAIS

Encontro tem participação de pequenos produtores

Pela primeira vez, o Super Encontro Varejista em Uberlândia conta com a participação de pequenos produtores e micro e pequenas indústrias que buscam o acesso às grandes redes supermercadistas como fornecedores. Esse elo é fruto do projeto Circuito Mineiro de Compras Sociais, feito em parceria da Amis com o Governo do Estado. Ao todo, 13 empreendedores da região foram selecionados, por meio de processo seletivo, e capacitados para apresentar seus produtos aos supermercadistas.

José Eustáquio Jordão foi um dos selecionados. Ele produz queijo artesanal curado e hoje tem o produto em gôndolas de redes em Uberlândia e região. “O objetivo é abranger nova clientela, o nosso alvo é o grande supermercadista. Estamos otimistas”, disse.

Fabrício Malaquias dos Anjos produz mel e já conta com cerca de 80 pontos de venda em Uberlândia. “Na feira esperamos chegar aos 100 pontos de venda. Para nós pequenos produtores seria difícil alcançar esse público se não fosse esse projeto”, diz Fabrício, que conheceu a iniciativa após receber uma orientação da Emater.

“A intenção é que eles tenham uma mudança na vida empresarial e mercadológica da empresa. Esperamos que saiam daqui empreendedores prontos para crescer e conquistar mais mercados”, disse Fernando Passalio de Avelar, secretário geral do Fórum Permanente Mineiro das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Fopemimpe). Segundo apontou, qualquer empreendimento que esteja classificado como produtor rural, agricultor familiar, cooperativa, micro e pequena empresa pode se credenciar a participar do projeto.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »